O pinscher Mike Tyson fechou um bar para comemorar seu aniversário de 3 anos

Uma festa de arromba fechou o bairro Alvorada 1, na Zona Centro-Oeste de Manaus, Amazonas, no último fim de semana. Tudo para comemorar o terceiro ano de vida de Mike Tyson.

Ao contrário do que poderia se imaginar, Mike não é uma criança filha de um fã do famoso pugilista, mas sim um pinscher simpático e muito amado por seu humano, Rui, que fechou um barzinho e bancou um open bar para os convidados que foram festejar o aniversário do cãozinho.

Além disso, Rui providenciou um churrasco e um cardápio dos mais variados para ninguém botar defeito.

“A bebida era por minha conta, mandei fazer bolo, salgadinho, teve churrasco. O pessoal foi chegando, todo mundo queria parar e comer um pedaço de bolo”, disse o Rui ao jornal A Crítica.

Segundo a publicação, as festas caninas se tornaram uma tradição na vida de Rui. Só que dessa vez, ele pretendia apenas fazer um almoço básico de sábado, mas a festança durou até 2h da manhã de domingo (12).

Até um bolo foi encomendado para o Mike Tyson também ter a chance de assoprar as velinhas.

Oficialmente, o aniversário de Mike Tyson é no dia 7 de novembro. Mas como neste ano a data caiu em uma terça-feira, a comemoração ficou para o sábado.

Mike é mesmo um cão de sorte. Em 2015, ele foi encontrado por Rui sendo maltratado por um rapaz em uma via pública no bairro Viver Melhor, na Zona Norte da cidade. O homem disse que estava vendendo o cachorro, ainda filhote, por não conseguir mais mantê-lo, e Rui o comprou por 150 reais.

Ela abriu o pet shop no meio da noite para este ‘banho e tosa’ emergencial

Era tarde da noite quando Kari Falla, de Seminole, na Flórida, viu uma publicação no Facebook de um cachorro resgatado que precisava muito de ajuda. A jovem, que possui um pet shop e tem o costume de cuidar desses animais de graça, não pensou duas vezes e correu para ajudá-lo.

Lucky, nome dado por ela para o bichinho, foi achado no meio de uma estrada em estado deplorável, prestes a morrer. Kari relatou ao site The Dodo que foi a situação mais perturbadora que já viu na vida e que sentiu o cheiro de morte. O cão não podia caminhar pois estava mumificado.

O cachorrinho ficou irreconhecível após os cuidados de Kari, que deu banho e tosou o pêlo de Lucky, que estava todo embolado, além de aplicar antipulgas e outros cuidados necessários.

Tudo isso às 3 da manhã, porque para a jovem não fazia sentido esperar o dia seguinte uma vez que o cachorrinho parecia estar sofrendo tanto. Agora, Lucky está em um lar temporário, se adaptando para em breve ser adotado e viver feliz com sua nova família.