Golfinho abandonado em aquário fechado há meses gera mobilização na internet

O Inubosaki Marine Park Aquarium, em Choshi, no Japão, fechou as portas em janeiro deste ano devido ao declínio no número de visitantes.

Entretanto, o ativista Sachiko Azuma descobriu que, um mês após o fechamento do aquário, os animais ainda continuavam no local. A partir dessa informação, ele buscou conhecer mais da realidade do espaço e mobilizar a internet para que os animais tenhm um destino digno.

O caso mais impactante é o de um golfinho chamado Honey, que permanece sozinho em uma piscina abandonada. Além dele, dezenas de pinguins-de-humboldt aguardam uma nova chance.

Imagem relacionada

Embora estejam sendo alimentados regularmente, o golfinho já apresenta sinais de estresse devido à solidão, bem como queimaduras de sol durante o verão; enquanto o local de confinamento dos pinguins está desmoronado e eles permanecem entre os detritos. Há ainda centenas de peixes e répteis dentro do antigo parque.

Sachiko denuncia o descaso com os animais desde março deste ano, tendo sido ouvido pela imprensa internacional. A PEACE, organização de defesa dos animais com a qual trabalha, incitou a comunidade a enviar cartões postais pedindo providência às autoridades locais. Estas, no entanto, alegam não ser responsáveis pelo caso, visto que o aquário era de propriedade privada.

Um vídeo feito por ativistas mostra o golfinho nadando sozinho em um parque completamente abandonado:

https://player.vimeo.com/video/291921695

Duas iniciativas online já foram criadas pedindo a soltura de Honey, mas até agora nada foi feito. Para apoiá-las, assine a petição no Change.Org ou contribua para a campanha de financiamento lançada através da plataforma GoFundMe, cujo objetivo é comprar os animais para então transferi-los a um santuário.

Fotos: Reprodução Vimeo/fonte:via

Um príncipe vegano está construindo aquários sem peixes no Oriente Médio

Ao invés de tirar os animais de seu habitat natural, esta experiência imersiva promete transportar qualquer pessoa para o fundo do mar – sem uma gota só de água!

Os aquários sem peixes são a aposta do príncipe saudita Khaled Bin Alwaleed. Vegano, ele planeja levar o projeto Ocean Odyssey a dez cidades do Oriente Médio até 2019. “Nosso objetivo é erradicar os zoológicos completamente do Oriente Médio. Um zoológico é demais.”, disse o príncipe em entrevista ao KBW Ventures, grupo do qual é fundador e CEO.

A experiência é elaborada em parceria com o National Geographic que recria o ambiente de um aquário gigante sem usar nenhum animal de verdade. “Usamos tecnologia digital imersiva e de última geração para permitir que os visitantes vejam de perto algumas das maiores e mais interessantes criaturas do oceano, em tamanhos realistas e com detalhes científicos exatos“, descreve o site da atração.

O Ocean Odyssey já pode ser visitado em Nova York, onde os ingressos custam a partir de US$ 39,50 e podem ser reservados aqui. Nos primeiros seis meses de funcionamento, mais de 250 mil pessoas já visitaram a exposição.

Alguma dúvida de que ela será um sucesso também no Oriente Médio?

Fotos: Ocean Odyssey /fonte:via