O incrível caso do ‘Indiana Jones da arte’ que recuperou um Picasso roubado nos anos 1990

via

Essa imagem tem um atributo alt vazio; o nome do arquivo é arthur-brand-posa-com-o-picasso-encontrado3-1024x768.jpg

Arthur Brand é conhecido como o “Indiana Jones da arte“. Não há obra perdida que ele não encontre, após um longo processo de investigação. Em dezembro, ganhou as manchetes do mundo após recuperar um mosaico de 1,6 mil anos, perdido desde os anos 70. Agora, o detetive ataca novamente com a recuperação de um Picasso roubado em 1999.

A obra “Portrait de Dora Maar“, também conhecida como “Buste de Femme (Dora Maar)“, de 1938, havia sido roubada do iate do xeque saudita Abdul Mohsen Abdulmalik, em Antibes, na Costa Azul (França). Depois de quatro anos de investigação, Brand conseguiu recuperar a obra, avaliada hoje em 25 milhões de euros.

O retrato é uma das figuras femininas mais emblemáticas pintadas por Picasso e permaneceu na casa do artista até sua morte, em 1973. A polícia francesa já havia perdido as esperanças de recuperar a obra, mas o famoso “Indiana Jones” não descansou enquanto não a encontrou. No ínicio de março, ele teria entregue o quadro a uma seguradora, segundo informações da AFP.

À agência de notícias, o detetive contou que resgatou a obra após contatos com o submundo do crime na Holanda. A pintura teria chegado a seu escritório através de dois intermediários, que a levaram embrulhada em um lençol, dentro de um saco de lixo. Picasso pintou ao menos quatro retratos de Dora Maar, sua principal modelo e companheira durante alguns anos.

A autenticidade da obra foi atestada pelo detetive britânico Dick Ellis, fundador da unidade da Scotland Yard sobre arte e antiguidades. Assim como Arthur Brand, Dick Ellis também pode se gabar de ter recuperado diversas obras famosas que haviam sido roubadas, incluindo o quadro “O Grito”, de Edvard Munch.

fonte:via Fotos: Tetteroo

Astrologia é arte: 48 opções de tatuagens estilosas para todos os signos do zodíaco






A astrologia é uma das grandes paixões do brasileiro. O debate em cima dos signos e seus ascendentes é tão empolgante e democrático que pode acontecer tanto na mesa de bar, quanto em um café após o almoço no trabalho.

A paixão pelos signos, assim como qualquer outra, pode ser representada de diversas formas. Uma delas são as tatuagens, prática que muita gente utiliza para marcar no corpo seus gostos, pensamentos e preferências.

Pensando nisso, nós fomos atrás de inspirações para quem quer encarar a agulha com o objetivo de enaltecer seu signo. Separamos 48 obras de arte para todos os integrantes do zodíaco e que representam os mais variados gostos. Se liga!

Aquário

Tattoo: @ENE.ARTISTTATTOO

Tattoo: @LENNYRESPLENDENT

Tattoo: @LUCAS_SIQ13

Tattoo: @YANTRA

Peixes

Tattoo: @GLITTERPOOPS_

Tattoo: @HANDITRIP

Tattoo: @HEEMEE.TATTOO

Tattoo: @WHATDUSKSAW

Áries

Tattoo: @AURORA

Tattoo: @BEBEDRGN

Tattoo: @NEGALEAH

Tattoo: @TOFU_TATTOO

Touro

Tattoo: TAN VAN DEN BROEK

Tattoo: NICHELLE GABBARD

Tattoo: RACHEL SK TATTOO

Gêmeos

Tattoo: BILL CONNER

Tattoo: @JRHERGUNER

Tattoo: KIMBERLY GREENLEAF

Tattoo: @MOX_INK

Câncer

Tattoo: @AMABILEDUARTE

Tattoo: @TOCO_DAMICO_

Tattoo: @SCAR_LUV_19

Tattoo: @YAAKUTSU

Leão

Tattoo: @MATHEUSCOSTAART

Tattoo: @TATTOOSBYTHIERRY

Tattoo: @VERAMATEO

Tattoo: @XOXOTATTOO

Virgem

Tattoo: @JALAN85_

Tattoo: @KAYA.INK

Tattoo: @ROTFUCCHS

Tattoo: @SUPERRGEEK

Libra

Tattoo: @PETERSON.TATTOOS

Tattoo: @SEY8N

Tattoo: @TATTOOSBY_HEN

Tattoo: @VINCENTSIMONTATTOOER

Escorpião

Tattoo: GEOVANA SPECALSKI

Tattoo: @LLGLOVER11

Tattoo: @LUCIFERLOVELY

Sagitário

Tattoo: @BRISA_TATTOO

Tattoo: @JOAQUIMTATTOO

Tattoo: @SEMCRISETATTOO

Tattoo: @THAIS_CASADETATTOO

Capricórnio

Tattoo: @ISISMUNIZTATTOO

Tattoo: LEXY HAVE MIND

Tattoo: @MELXBE

Tattoo: @NICOLASROUSH

Fotos: Instagram/Reprodução/fonte:via

A incrível árvore que dá livros ao invés de frutos

Quando a árvore em frente à casa da artista Sharalee Armitage Howard precisou ser cortada, ela soube exatamente o que fazer: transformá-la em uma biblioteca. O espaço se tornou parte do movimento Little Free Library, uma iniciativa que já espalhou mais de 75 mil bibliotecas livres pelo mundo.

Este projeto ainda não está pronto, mas não posso esperar para compartilhá-lo. Tivemos que remover uma grande árvore que tinha mais de 110 anos, então eu decidi transformá-la em uma Little Free Library, como sempre quis“, escreveu ela em uma publicação no Facebook.

Embora a copa da árvore tenha sido removida, seu tronco foi usado como estrutura para a biblioteca e ela ganhou até mesmo uma portinha, por onde os interessados podem entrar para escolher quais livros levar para casa. A ideia é que, além de pegar obras emprestadas, as pessoas também deixem novos títulos no local.

A árvore não é a única biblioteca construída de forma criativa. Em Nova York, uma empresa de design criou um espaço para o empréstimo de livros em que os interessados podem realmente entrar no mundo da literatura enquanto escolhem o que ler. No Brasil, o projeto conta com diversas bibliotecas compartilhadas no Rio Grande do Norte, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e no Rio Grande do Sul.

Veja mais detalhes da árvore que deixou de dar sombra para dar livros:

fonte:via Fotos: Sharalee Armitage Howard/Reprodução Facebook

Estas incríveis mesas criam a ilusão de animais emergindo da água

mesas_de_agua (8)

Enquanto a maioria das mesas existentes no mundo consistem em uma base simples com um tampo de madeira ou vidro simples, o designer Derek Pearce decidiu revolucionar este conceito de mobiliário.

Suas criações, as chamadas “Mesas de água”, retratam de forma impressionante animais com parte de seus corpos mergulhados na água. De hipopótamos e golfinhos a patos, ele projeta as mesas para que os animais possam ser vistos ‘mergulhando’ dentro e fora do vidro, que representa a superfície da água.

As peças são funcionais e irresistíveis para quem ama tanto animais quanto arte. Com uma estética lúdica latente, Pearce esculpe suas mesas de água desde 1997 e as peças têm sido vendidas em lojas pelos Estados Unidos, Europa e Japão.

Confira alguns de seus trabalhos:

mesas_de_agua (1)
mesas_de_agua (2)
mesas_de_agua (3)
mesas_de_agua (4)
mesas_de_agua (5)
mesas_de_agua (6)
mesas_de_agua (7)
mesas_de_agua (8)
mesas_de_agua (9)

Todas as fotos© Derek Pearce fonte:via

A história dos gatos determinados que nunca desistem de tentar entrar neste museu

gatos museu Hiroshima 5

Os gatos são mesmo seres incríveis. Incapazes de serem totalmente domados pelos seres humanos, eles são inteligentes, misteriosos e têm muito a nos ensinar sobre as relações. Porém, Ken Chan e Gosaku, superam todas as expectativas. Decididos a entrar no Museu de Arte da cidade de Hiroshima – Japão, há 2 anos eles vão diariamente até a porta do museu, sem sucesso.

gatos museu Hiroshima 1

Porém, a determinação da dupla é tão grande, que os próprios funcionários do estabelecimento fizeram a fama dos felinos, agora famosos na internet. Diversos vídeos e fotos publicados no Twitter estão sendo compartilhados e as pessoas estão se perguntando de onde eles vêm e porque cismaram em visitar o museu.

gatos museu Hiroshima 2

A história começou em 2016, na estreia da exposição Cats – Mitsuaki Iwago Photography Exhibition, quando Ken-chan – o gato preto, mostrou que também gosta de arte e foi até a porta na esperança de ser convidado. Sem sucesso e com uma insistência que muita gente inveja, depois de 2 anos ele decidiu pedir a ajuda de seu amigo, Tom Gosaku – de cor champagne, que passou a participar da missão.

gatos museu Hiroshima 3

Não sabemos o motivo de tanta vontade para entrar neste museu, mas uma coisa podemos afirmar: gatos são mesmo incríveis!

gatos museu Hiroshima 5
gatos museu Hiroshima 7

Fotos: Onomichi Museu/ fonte:via

Mistério e poesia na ilustrações de María Medem

Muitos artistas usam as ilustrações para dar vazão a seus sentimentos, outros para nos provocar e fazer refletir. Já a espanhola María Medem gosta mesmo de confundir os sentidos do público e nos tragar para seu universo onírico.

María desenha tiras sem falas, mas isso não quer dizer que elas não tenham histórias para contar. “Gosto de prestar atenção em tudo que envolve storytelling. Não quero que minhas tramas acabem com soluções clichê, nem que elas percam o ritmo ou suas mensagens se tornem indecifráveis”, diz.

María conta ainda que gosta de histórias íntimas e paradoxais, capazes de provocar estranhamento em quem as lê. “Eu realmente gosto de criar cenários misteriosos, tento torna-los tão sutis quanto for possível. Meu objetivo na maior parte das vezes é criar uma atmosfera capaz de alterar levemente o estado de consciência de quem vê as histórias. E gosto de usar cores vibrantes para me ajudar nessa tarefa”, relata a artista.

Fotos: Reprodução/María Medem /fonte:via

Desenho inédito de da Vinci deve ser vendido por mais de US$ 15 milhões

Leonardo da Vinci foi um gênio muito à frente de seu tempo. Alguns de seus projetos só conseguiram sair do papel graças a mais de 500 anos de desenvolvimento tecnológico, e os frutos de seu talento continuam sendo descobertos até hoje.

O caso mais recente é de um desenho datado de 1492, quando o artista tinha 40 anos, que só foi descoberto em 2016, enquanto um especialista em da Vinci vasculhava uma coleção particular francesa.

Obra recém-descoberta de da Vinci será leiloada em breve

A obra é bem representativa da versatilidade do genial italiano: de um lado há a ilustração, feita de caneta e tinta, de São Sebastião amarrado a uma árvore. No verso, da Vinci anotou resultados de experimentos científicos sobre a luz de velas.

Em 2016, a casa de leilões Tajan avaliou a obra em cerca de US$15,8 milhões, mas o valor estimado cresceu bastante nos últimos tempos, especialmente depois que a pintura Salvator Mundi, que passou séculos sendo considerada perdida, foi leiloada por incríveis US$450 milhões, aumentando a expectativa pelo valor do desenho de São Sebastião.

‘Salvator Mundi’ fez multiplicar o interesse pelas obras inéditas de da Vinci

O nome de da Vinci será ainda mais lembrado no mundo da arte que o normal a partir de 2019: entre 24 de outubro do ano que vem e 24 de fevereiro de 2020, o Louvre vai realizar uma “exposição sem precedentes” das obras do renascentista, em homenagem aos 500 anos de seu falecimento.

Fotos: Reprodução/Wikimedia Commons/fonte:via