A árvore que é literalmente dona de si e a importância de sua condição jurídica surreal

Na cidade de Athens, na Georgia (EUA), uma árvore é completamente dona de si – e ela provavelmente tem mais posses do que você.

A história dela começa por volta de 1800, quando William H. Jackson decidiu honrar a árvore que foi testemunha de muitas de suas aventuras de infância.

Dessa forma, ele colocou uma placa próximo à planta, onde pode ser lido: “Em consideração ao grande amor que carrego por esta árvore e pelo grande desejo que tenho por sua proteção, por todos os tempos, transmito a ela toda a possessão de si mesma e de toda a terra a oito pés da árvore por todos os lados”.

Embora a escritura das terras não tenha sido encontrada, a população da cidade reconheceu como legítimos os direitos do carvalho-branco sobre si e sobre a terra em que está plantado.

Porém, o destino tinha outros planos para ele… A árvore adoeceu e foi derrubada durante uma tempestade em 1942, mas sua história não terminou: alguém plantou uma das bolotas do carvalho e uma nova planta cresceu a partir daí.

Chamado desde então de “O filho da árvore que é dona de si”, o novo carvalho herdou também o patrimônio da família – os oito pés (cerca de 2,4 m) ao seu redor em todas as direções e, mais importante, o reconhecimento de ser seu único dono. Como legalmente ainda não é possível que uma árvore tenha propriedades em seu nome, a cidade e seus habitantes são os verdadeiros responsáveis em dar continuidade a este legado.

Fotos: Domínio Público/fonte:via

Anúncios

A árvore mais larga do mundo mais parece uma floresta inteira

/fonte:via

Quem se depara com a Grande Baniana pode achar que está diante de uma floresta, mas trata-se de somente uma árvore.

Localizada no Jardim Botânico de Acharya Jagadish Chandra Bose, em Haora, na Índia, a árvore se espalha por mais de 14 mil metros quadrados. Segundo o Oddity Central, o espaço ocupado por ela é maior do que uma construção média do Wal-Mart.

Acredita-se que a Grande Baniana tenha pelo menos 250 anos. As primeiras referências que se tem sobre a árvore datam do século 19 e foram encontradas em um diário de viagens.

E por que ela se parece tanto com uma floresta? Não é apenas por seu tamanho, mas também pelas enormes raízes que se levantam do chão como se fossem troncos de outras árvores.

São as próprias raízes que sustentam a planta, que teve seu caule removido após ser infectado por um fungo em 1925. Essa não foi a única intempérie à qual a árvore sobreviveu: ela também já aguentou dois ciclones ocorridos em 1864 e 1867. Mesmo assim, sua resistência não foi abalada e ela continua crescendo – mais de 2 acres foram ocupados pela Grande Baniana nos últimos 30 anos.

Treze pessoas são responsáveis pelos cuidados com a árvore, considerada a mais larga do mundo. Os curiosos podem visitá-la durante um passeio pelo Jardim Botânico, que fica a uma curta distância do centro da cidade de Kolkata, na Índia.

Nós já estamos pesquisando as passagens, e vocês?

Créditos das fotos sob as imagens/fonte:via

Arquitetos usam tecnologia para criar casa ao redor de árvore de forma integrada e sustentável

Tem dias em que dá vontade de largar tudo para o alto e viver no meio da floresta, né não?

Se o “meio da floresta” for como essa casa criada pela Mason Architects, em conjunto com a A. Masow Architects, então essa vontade fica muito maior.

Em verdadeira sintonia com a natureza, a casa se ergue ao redor de uma árvore e passa a fazer parte da paisagem. O nome do projeto não poderia ser outro: Árvore na Casa.

Painéis solares transparentes ao redor da estrutura fornecem calor e eletricidade para a residência, enquanto a água da chuva, após ser purificada, é usada no chuveiro. Os pisos também contam com sistema de ventilação para preservar o ar que circula na casa e aquele destinado à árvore.

Com cerca de 20 metros de altura e quatro andares, a residência promete vistas espetaculares em meio à natureza, sem alterar a paisagem. O único lado negativo do projeto parece ser a ausência de privacidade, já que toda a casa é transparente.

Se bem que, com uma vizinhança destas, a ideia não parece tão ruim assim…

Fotos: Reprodução/fonte:via

Estas são algumas das árvores mais incríveis do mundo

Todas as árvores nos beneficiam com a entrega de oxigênio. Mas algumas fazem muito mais do que isso: elas têm histórias para contar.As imagens incríveis contidas nessa matéria revelam algumas das árvores mais marcantes e impressionantes do mundo. Elas estão entras as maiores e mais velhas e, de uma forma ou de outra, se tornaram entidades nas culturas de comunidades que as cercam.

As fotos foram extraídas do livro Wise Trees, que reúne árvores históricas e culturalmente significativas, da Índia até a Califórnia.Os cliques foram feitos pelos fotógrafos Diane Cook e Len Jenshel, que passaram dois anos viajando o mundo em busca de capturar imagens de 59 árvores extraordinárias. 

Eles afirmam que desejavam que o livro realçasse a importância e potência do papel que as árvores historicamente desempenham em vista de preservar o equilíbrio natural do mundo.

 

Fotos: Diane Cook and Len Jenshel /fonte:via

Árvore chinesa de 1.400 anos derruba suas folhas amarelas sobre templo budista, e é a coisa mais linda do mundo

A árvore das imagens abaixo é uma Ginkgo biloba de 1.400 anos, localizada em um templo budista na China.As fotos são de um ano atrás, mas a beleza das folhas caídas no chão do templo Gu Guanyin, afogando-o em um oceano amarelo e dourado, continua a mesma.

A Ginkgo biloba é conhecida como “fóssil vivo” porque, apesar de todas as mudanças climáticas drásticas, permanece inalterada há mais de 200 milhões de anos. Sim, essa espécie de árvore já existia desde os tempos dos dinossauros.

Ela é caduca, o que significa que perde todas as suas folhas no inverno. As dessa árvore antiga, que cresce nas montanhas de Zhongnan, começam a cair em meados de novembro, final do outono na China.

fonte:via [BoredPanda]