Alguém notou que as botas espaciais de Louis Armstrong não batem com pegadas na Lua

A primeira missão tripulada à Lua vai completar cinco décadas no ano que vem, e, junto com o aniversário, serão cinquenta anos de teorias conspiratórias que duvidam que Louis Armstrong e Buzz Aldrin (e dez outros astronautas) realmente pisaram no satélite.

E, mesmo após tanto tempo de debates com argumentos dos dois lados, ainda é possível que surjam novos fatos para dar suporte à tese de que tudo não passou de uma grande fraude. Mas talvez eles não sejam tão factuais assim.

A teoria, que tem circulado na internet, compara uma foto das botas de Neil Armstrong, que foram exibidas junto de outras partes do traje no Museu do Ar e Espaço, em Washington, às famosas imagens das pegadas de Neil e Buzz na Lua.

As imagens são claras: não é possível que as botas de solas lisas de Armstrong tenham deixado marcas com listras, como são as pegadas (que, diga-se, estão na Lua há quase 50 anos e só sairão de lá caso outra pessoa mexa nelas, já que não há vento para mover o material da superfície lunar).

Mas há mais sobre essa história do que as duas fotos indicam: na verdade, o traje espacial exibido no museu não está completo. Para voltar à Terra, os astronautas deixaram para trás alguns objetos que significariam um peso desnecessário na nave espacial.

Foram mais de cem itens deixados, incluindo lentes de câmeras (usadas para transmitir a chegada à Lua na Terra), fluídos corporais (isso mesmo que você está pensando) e… um complemento das botas, chamado Overboot.

Se trata de nada mais que uma bota usada sobre outra bota para dar mais proteção contra o risco de rasgos ou a entrada de poeira da superfície lunar no traje espacial. Tudo devidamente documentado por relatórios da NASA desde a década de 60.

Fotos via NASA/fonte:via

Anúncios

Temos imagens da estação espacial de Elon Musk em Marte. E ela fica pronta em 10 anos

Painéis solares na Base Alfa de Marte (Foto: Reprodução/Twitter Elon Musk)

A exploração espacial é um dos principais projetos do bilionário Elon Musk. Através da empresa SpaceX, ele tem investido na criação de foguetes e sonha com feitos como viabilizar viagens de turismo espacial e a criação de uma base em Marte. E parece ter definido uma meta para fazer essa última acontecer.

Como já se tornou costume, Musk utilizou o Twitter para atualizar o público sobre as atividades da SpaceX. Ele publicou imagens do projeto Mars Base Alpha, literalmente a Base Alfa de Marte, e afirmou a um seguidor que ela provavelmente seria construída em 2028 (mas apagou o tweet horas depois).

Base Alfa de Marte, produzida pela SpaceX (Foto: Reprodução/Twitter Elon Musk)

Musk acredita que seria possível construir uma cidade com um milhão de habitantes num prazo entre 50 e 100 anos. A Mars Base Alpha seria o ponto de partido para enviar materiais e começar a construir a infraestrutura necessária para habitar o planeta.

O projeto de Musk inclui também a construção do BFR, ou Big Falcon Rocket (literalmente “Foguete Grande Falcão”), uma nave espacial com 40 cabines, com capacidade para 6 passageiros em cada uma. Os planos da SpaceX envolvem fazer testes em órbita até 2020, além de planejar uma viagem à Lua em 2022 e uma a Marte em 2024.

Imagens via Elon Musk/fonte:via

Ele captou imagens fantásticas da Via Láctea nos pontos mais isolados da Finlândia

O céu muitas vezes nos traz visões tão belas que merecem ser registradas para sempre. Mas na maioria das vezes a imagem fica ruim e nós, fotógrafos amadores, precisamos nos contentas com a memória de uma bela noite estrelada. Ainda bem que há profissionais como Oscar Keserci para nos brindar com incríveis imagens.

I finlandês tem se dedicado a fotografas estrelas há quase quatro anos, viajando por horas para chegar aos pontos que permitem a visão desejada. Se antes sair por aí sozinho durante a escuridão da noite era um desfio, hoje é um de seus maiores prazeres.

Autodidata, Oscar, que nasceu na Finlândia, mas foi criado na Grécia, diz estar sempre em busca de novas ideias e técnicas para aprimorar suas fotografias. Depois das sessões, ele costuma dormir no próprio carro, em meio à imensidão e sob as estrelas.

No Instagram, Oscar também publica imagens de outras maravilhas da natureza que ele encontra rotineiramente na Finlândia.

Todas as fotos © Oscar Keserci /fonte:via

18 imagens que são candidatas ao prêmio de Melhor Fotografia Astronômica de 2018

Imagens do sol expelindo plumas de plasma no espaço, auroras deslumbrantes capturadas em vídeo e closes excepcionais da lua estão competindo para vencer o prêmio de melhor fotografia astronômica do ano.

As tomadas hipnotizantes pré-selecionadas pelos juízes do Royal Observatory Greenwich impressionam mostrando a beleza do universo. O vencedor do concurso receberá um prêmio em dinheiro de 10 mil libras ($ 13 mil dólares) e os vencedores de todas as outras categorias, incluindo o Fotógrafo de Astronomia Jovem do Ano, receberão £ 1.500 ($ 1.900) em dinheiro.

Confira as imagens:

fonte:via

Guia estelar: 3 fenômenos da astronomia para você apreciar no mês de maio

Se você é do tipo que está sempre a olhar para cima, procurando os mais incríveis eventos astronômicos que o céu nos reserva, o mês de maio terá algumas atrações para nossos olhos – pode reservar seu binóculo ou telescópio e preparar a pipoca para se deleitar. Todos os eventos aqui citados são melhor observados longe das luzes intensas dos grandes centros urbanos.

1. Para começar, chuva de meteoros

No início do mês, entre os dias 4 e 6 de maio, duas chuvas de meteoros das Eta Aquáridas acontecerão por conta de um encontro anual que a Terra tem sempre marcado: com o cometa Halley. As chuvas se darão pelo rastro da passagem do cometa e, ainda que a Lua em 2018 provavelmente esconderá boa parte do espetáculo, será possível, após a meia-noite, no leste, ainda assistir a poeira do Halley passar.

2. Júpiter brilhando muito

No dia 9 de maio, Júpiter estará em exata oposição ao sol, quando visto da Terra – e assim o planeta gigante atingirá seu máximo brilho. O fenômeno poderá ser visto a noite inteira. Já no dia 21, a estrela do show será a Lua, em quarto crescente, posicionada entre a estrela Regulus e Algieba, um sistema binário.

3. A vez de Saturno

No fim do mês, no dia 31, a lua estará em conjunção com Saturno e seu anéis. Ambos estarão visíveis na constelação de Sagitário, com a beleza que é peculiar ao planeta. Atrações, portanto, não faltarão em maio – tudo isso, gratuitamente em exibição em uma tela gigante de imbatível definição: o céu acima de nós.

© fotos: divulgação/fonte:via

O adeus da nave espacial responsável pelas melhores fotos de Saturno de todos os tempos

Em 1997, a NASA lançou à órbita a nave espacial Cassini–Huygens, uma sonda que tinha como grande objetivo captar imagens e informações sobre Saturno e suas luas. Quase 20 anos depois, a sonda está prestes a terminar sua missão, durante a qual registrou fotografias espetaculares do sistema solar.

 

A Cassini só chegou a Saturno em 2004, sete anos depois de deixar a Terra. Foi capaz de coletar informações que ajudaram cientistas a entender melhor a atmosfera do planeta, além da composição de algumas de suas luas. Sem a sonda, não seria possível saber, por exemplo, que a lua Titã é a única conhecida com atmosfera, além de ter mares e lagos formados por etano e metano. Tirando nosso planeta, é o único lugar do sistema solar onde sabemos que existem superfícies líquidas.

Mas, desde abril de 2017, a Nasa vem trabalhando na missão Grand Finale, em que a Cassini vai se chocar com a superfície saturniana e encerrar suas atividades. O impacto está previsto para acontecer no dia 15 de setembro, por volta das 9 horas da manhã no horário de Brasília.

O motivo para que a sonda deixe de ser utilizada é que ela ficou totalmente obsoleta. Criada em 1993, a Cassini usando tecnologia dos anos 80. Seu disco rígido interno tem apenas 2 gigabytes de capacidade, e as câmeras têm cerca de 10% do número de pixels das de um smartphone dos mais modernos.

Mesmo assim, os dados coletados por ela são tão vastos que os cientistas da NASA acreditam que terão material para fazer novas descobertas por décadas, tanto sobre Saturno quanto sobre sua magnetosfera, seus anéis e suas luas por décadas. Além disso, suas fotografias certamente seguirão capazes de nos causar grande impacto.

 

 

 

 

No site da NASA tem mais imagens feitas pela Cassini! Corre lá para conferir que vale a pena.

 

Fotos: NASA/fonte:via

Astronomia

Tem coisa mais bonita do que um eclipse solar, visto e fotografado da ISS com a Via Láctea de fundo?
Foto: Tem coisa mais bonita do que um eclipse solar, visto e fotografado da ISS com a Via Láctea de fundo?