Ela clicou o dia a dia de seus avós para registrar sua atitude positiva perante a vida

A fotógrafa vietnamita Ha My considera todos os avós pessoas especiais, mas, é claro, tem um carinho extra pelos seus. Foi por isso que ela criou uma série de retratos para registrar o amor que eles sentem um pelo outro, além de partes de suas rotinas, entre memórias do passado e interação com a tecnologia. Retratos bonitos e que mostram como a vida do outro lado do mundo pode ser bastante parecida com a no Brasil.

Aos 87 anos, o avô é “fisicamente forte, mentalmente alerta e curioso. Ele gosta dos desafios da tecnologia moderna e aprendeu a usar o Facebook para se manter em contato com a família”. Além disso, ele até usa ferramentas de edição de imagem e vídeo para criar clipes e enviar para os parentes.

Já a avó tem 82 anos, e mantém firmes o amor e a sensibilidade pela família e a comunidade. Ao longo dos anos, ela encontrou conforto na poesia, em que se expressa escrevendo sobre a natureza e a vida familiar. Agora, ela está aprendendo mais sobre a tecnologia com o marido, um ótimo professor.

A união dos dois já dura seis décadas, tendo se conhecido no exército durante a Guerra do Vietnã. Seus 10 filhos nasceram durante tempos difíceis e tiveram de ser criados por conhecidos no Camboja. Demorou alguns anos até que o casal finalmente pudesse se reunir definitivamente com a família.

 

Fotos © Ha My /fonte:via

A emoção 18 avós e bisavós (quase) centenários ao verem seus netinhos pela primeira vez

Se a internet muitas vezes parece ser somente um reservatório do pior do ser humano, onde o ódio, o preconceito e a violência podem reinar ruidosamente, ela também é capaz de nos lembrar dos mais bonitos e profundos sentimentos.

Uma postagem recente no site Bored Panda reunindo fotos de avós e bisavós encontrando netos e bisnetos recém nascidos pela primeira vez é capaz de ao menos um pouco renovar nossas esperanças no ser humano.

São imagens simples e tocantes, que falam do tempo, dos ciclos, das renovações e encerramentos que a vida nos traz, e de um afeto que parece capaz de atravessar todo e qualquer processo e se multiplicar com um mero toque de mãos ou com somente uma troca de olhares.

A força de um bebê recém nascido parece se multiplicar diante de seu parente mais velho, assim como a doçura de um bisavô floresce feito este fosse um bebê diante de seu bisneto com poucos dias de vida – com o tempo imperando como um possível sinônimo da palavra amor.

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

12.

13.

14.

15.

16.

17.

18.

© Bored Panda /fonte:via