Fotógrafa brasileira presenteia filho de haitianos nascido em calçada de Porto Alegre com ensaio fofíssimo

A fotógrafa Nilza Rejane se emocionou quando soube da história do pequeno Waldo. Filho dos imigrantes haitianos Judith e Waky, o bebê nasceu na calçada, a caminho do hospital Conceição, em Porto Alegre.

O nascimento, no dia 21 de dezembro, foi auxiliado pelos policiais Luan e Luana, que passavam pelo local no momento. “Surgiu essa história que me tocou profundamente o coração. Vi a reportagem do seu nascimento na calçada e fiquei muito emocionada. Pensei: É ele!“, conta a fotógrafa.

Ao saber do nascimento de Waldo, ela entrou em contato com a jornalista que havia feito uma reportagem sobre a situação e pediu o telefone dos pais da criança. Nilza queria fazer um ensaio fotográfico de recém-nascido para o bebê. Gratuitamente, é claro.

As fotos do ensaio foram compartilhadas no Facebook da fotógrafa no dia 3 de janeiro. Na publicação, ela lembra que a família de Waldo passa por necessidades e são bem-vindas doações de fraldas, roupinhas e diversos artigos para o bebê.

A fotógrafa se disponibiliza a receber as doações em seu estúdio, em Gravataí, mas os itens também podem ser entregues diretamente na residência de Waldo, sob agendamento, visto que Judith ainda não fala português e precisa de ajuda para se comunicar.

É cada foto mais linda do que a outra. Espia só!

Todas as fotos: Nilza Rejane fonte:via

Mãe vira escudo humano para proteger bebê durante tempestade de gelo

Uma mãe passou por poucas e boas para garantir a segurança de sua pequena filha. Fiona Simpson estava dirigindo em Kingaroy, na Austrália, com a bebê  e a avó quando uma das janelas do carro acabou estilhaçada.

O vidro não resistiu a força dos ventos provocados por um tornado e se partiu. Com isso, a bebê ficou exposta ao frio, vidro e gelo. Fiona não pensou duas vezes e para protegê-la, a mãe envolveu a criança em seu corpo, se transformando em um verdadeiro escudo humano.

“A janela desapareceu, deixando pedaços de vidro espalhados pelo carro. Eu tirei meu cinto de segurança, sentei no banco de trás e fiquei em cima dela esperando a tempestade cessar”, declarou ao jornal Ten Daily.  

Com queimaduras provocadas pelas pedras de gelo (algumas do tamanho de uma bola de tênis), Fiona disse não ter tido tempo para sentir dor.

“Eu não podia focar na dor. Só tinha tempo de permanecer sobre a bebê e protegê-la. Não houve tempo para pensar em outra coisa”, finalizou. Apesar dos esforços da mãe, a criança acabou machucando a cabeça sem gravidade.  

Fotos: Reprodução/fonte:via

Enfermeira descobre que médico com quem trabalha era bebê prematuro que ela cuidou há 30 anos

É impossível afirmar que de fato existe algo como o destino. Muitas vezes, porém, a vida e o tempo atuam de forma tão impressionante e precisa, que é difícil não supor que certos encontros estavam de fato marcados. É o caso da enfermeira Vilma Wong e do médico Brandon Seminatore, dois companheiros de trabalho com um passado em comum que espantou e comoveu a todos quando revelado.

Foi trabalhando como residente no hospital infantil Lucile Packard, na Califórnia, que o hoje pediatra Brandon reencontrou Vilma. Ambos, porém, não sabiam que se tratava de um reencontro: 30 anos atrás, quando Brandon nasceu, Vilma estava começando a trabalhar no local, e cuidou de um bebê prematuro, que precisou passar um mês na UTI após seu nascimento. Qual não foi o espanto de ambos quando descobriram que o tal bebê, que a enfermeira jamais esqueceu, era o pediatra que agora trabalhava ao seu lado?

Vilma desconfiou da hipótese ao ler o sobrenome de Brandon, e decidiu por perguntar ao médico – que confirmou que havia nascido prematuro naquele mesmo hospital. “Eu fiquei inicialmente em choque, mas então fiquei feliz por saber que 30 anos depois de ter cuidado dele ele agora era um pediatra cuidando de casos parecidos com o dele próprio”, ela disse. O pediatra naturalmente não lembrava da feição de Vilma, mas sabia sobre a enfermeira que havia passado todo o seu primeiro mês de vida ao seu lado.

“Conhecer Vilma me mostrou a dedicação e o amor que ela tem por sua carreira. Ela se importa profundamente com seus pacientes, ao ponto de se lembrar do meu nome três décadas depois”, ele disse. Quando escreveu para seus pais contando a história, os dois lhe enviaram de volta uma foto que simboliza a emoção do reencontro: Vilma com o pequeno Brandon no colo.

© fotos: reprodução /fonte via

Mãe dá à luz a gêmeos gerados em dois ventres diferentes. Feito tem uma chance para 500 milhões de tentativas

Dez vezes mais improvável que ganhar na Mega-Sena. Em maio, a britânica Jennifer Ashwood deu à luz a duas crianças, Poppy e Piran, em um acontecimento tão raro que até seus obstetras não sabiam o que esperar antes do parto: a mãe tem útero duplicado, e cada bebê se desenvolveu em um dos ventres.

De acordo com os médicos, Jennifer tem duas cavidades uterinas, separadas por um colo, algo que não foi notado oito anos atrás, durante a gestação da filha mais velha da britânica. Após a descoberta, a equipe precisou tomar cuidados especiais, pois o risco de abortou ou nascimento prematuro aumentou.

Segundo a literatura médica, menos de 100 casos assim já foram reportados em todo o mundo. A chance de uma gestação do tipo acontecer é de 1 em 500 milhões. Os gêmeos de Jennifer ficaram por duas semanas na maternidade para tratar a icterícia neonatal, mas já estão plenamente saudáveis.

“Ter dois úteros já é raro, mas ter um óvulo em cada e que os dois sejam fecundados… É como um milagre. Você pode pensar que conhece bem o próprio corpo, mas nem sempre é verdade”, disse Jennifer. “Estamos muito ocupados em casa. É o dobro de abraços e o dobro de amor”, completou.

Fotos: Reprodução/Arquivo Pessoal/fonte:via

Artista ilustra seu dia a dia como mãe e só quem tem filhos vai entender

Jyldyz Bekova é uma artista talentosa e mãe dedicada de duas lindas crianças, Arina e Kamilla, que decidiu mostrar suas alegrias e lutas diárias em ilustrações em aquarela divertidas e adoráveis. A artista de Bishkek, no Quirguistão, pinta como pequenos momentos da vida, como cozinhar, ir ao banheiro ou simplesmente dormir, parecem quando você é responsável por esses pequenos seres humanos – e aqueles que têm filhos vão se identificar na hora. Role para baixo para descobrir mais:

Arte: Jyldyz Bekova /fonte:via

Norte-americana relata que marido quase morreu por consumo excessivo de energéticos

Mesmo sabendo que não é saudável consumir grandes quantidades de cafeína diariamente , muita gente abusa de cafés e bebidas energéticas para encontrar a energia para um dia cheio de trabalho e estudos. Mas o que, exatamente, poderia acontecer de tão ruim com quem toma muita cafeína?

 

Um casal estadunidense compartilhou sua história para alertar outras pessoas dos perigos do exagero do consumo de bebidas energéticas.

Austin e Brianna se preparavam para ganhar o primeiro filho do casal quando Austin caiu no hábito de tomar muitas latas de energético por dia para dar conta do emprego puxado. Um dia, poucas semanas antes do parto de Brianna, a mãe de Austin a acordou e disse que o pai do seu bebê estava no hospital.

“Depois de dirigir duas horas até o hospital, descobri que meu marido, o pai do meu filho, a pessoa por quem estou profundamente apaixonada, teve uma hemorragia cerebral. Por quê? Os médicos concluíram, depois de fazer seis testes de drogas e descartarem as substâncias, que este evento horrível aconteceu por seu consumo excessivo de energético”, explica a Brianna. Ela conta que o marido começou a tomar mais e mais bebidas energéticas quando começou a trabalhar mais horas por dia e a passar muito tempo indo e voltando do trabalho.

Austin passou por uma cirurgia que durou várias horas e a família finalmente pôde vê-lo. “Enquanto todos prestavam atenção em seu rosto irreconhecível ligado a todo tipo de máquinas e tubos, tudo o que eu podia ver eram seus pais. Vi a luz deixar os olhos de sua mãe quando ela viu seu filho sem movimentação deitado em uma cama de hospital. Vi seu pai cair no choro enquanto ele se segurava à esposa. Eles não sabiam se a vida que eles haviam criados juntos iria acordar”.

 

A recuperação de Austin foi lenta e difícil, e ele precisou passar por muitas cirurgias. “Depois disso teve derrames, convulsões, inchaços e muitas outras coisas que não estávamos preparados”. Ele também perdeu a seção frontal do cérebro e do crânio.

 

“Depois de duas semanas no hospital, me perguntando se ele seria tirado de nós, eu voltei para casa. Estava na hora de dar à luz o bebê”, descreve a esposa. Mesmo em meio a tanto estresse, Brianna passou pelo enorme desafio sem o apoio do marido. “Não vou mentir, foi difícil. Eu planejava que Austin fosse parte desse momento importante. Estando ao meu lado. Segurando minha mão. Estando lá para cortar o cordão umbilical. Estando lá para receber nosso filho ao mundo.”

Brianna conta que logo depois do parto, como um milagre, Austin acordou. Mas foi apenas dois meses depois do nascimento que Austin conseguiu conhecer o filho.

Agora o bebê está com oito meses de vida e Brianna conta mais sobre a rotina da família: “Acordo todo dia para cuidar do nosso lindo menino e do meu marido. Eu preparo as refeições, faço fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional. Eu o ajudo com a higiene pessoal. Eu o ajudo a andar. Eu ajudo em todos os aspectos da vida dele. Entre essas tarefas eu cuido do nosso agitado bebê. É difícil e estou cansada, mas aproveito ao máximo”.

Quantidade limite de energético


A maioria dos energéticos contêm grandes quantidades de cafeína, açúcar e outras substâncias. O salto energético é curto, e pode trazer outros problemas maiores, como nervosismo, irritabilidade, insônia, batimento cardíaco acelerado, pressão sanguínea aumentada.

Para a maioria das pessoas, uma lata de bebida energética de vez em quando não traz problema algum, mas o consumo não deve passar de uma lata por dia. A Dra. Katherine Zeratsky, da Mayo Clinic (EUA), afirma que se a pessoa se sente fatigada constantemente, deve considerar uma alternativa mais saudável para ganhar energia, como boas noites de sono, boa alimentação e exercício físico regular.

Uma lata por dia já pode trazer problemas

Um estudo publicado na Journal of the American Medical Association mostra que apenas uma lata de energético pode aumentar a pressão cardíaca e a produção de hormônios de estresse, mesmo em jovens. Isso poderia aumentar os riscos de problemas cardiovasculares mesmo em pessoas saudáveis.

fonte:[ Via Bored Panda, Mayo Clinic, Mayo Clinic]

Bebê nasce no supermercado e ganha ensaio de recém-nascido divertido e muito apropriado

Para a maioria, ir ao supermercado é uma tarefa simples e até tediosa. Mas no início deste ano, as compras de Ashleigh Miller-Cross, da Nova Escócia, Canadá, tiveram uma mudança drástica quando ela inesperadamente deu à luz um bebê no banheiro.

Quando entrou em trabalho de parto, Ashleigh nem sabia que estava grávida. Na época, ela tinha dado à luz uma menina apenas 10 meses antes. Sem sinais óbvios, a possibilidade de uma gravidez foi a última coisa que passou em sua mente. “Eu realmente não fazia ideia“, disse ela à CBC News. “Eu presumi que o motivo pelo qual não tinha perdido peso era porque eu só havia tido Mia há 10 meses. Também não ganhei nenhum. Estava apenas com o mesmo peso. Não tive nenhum enjoo”.

Para comemorar a chegada não convencional do pequeno Ezra, a fotógrafa Jen Matchett realizou uma sessão de fotos divertida e bastante apropriada. Ela soube da história surreal e teve a ideia engenhosa de fotografar o pequeno Ezra em uma cesta de compras. Para fazer isso acontecer, ela procurou Ashleigh que felizmente concordou com as fotos.

Confira as imagens:

Ezra também ganhou fotos convencionais e ao lado da irmãzinha mais velha:

Todas as fotos © Branches Phography fonte;via