Empatia é amor: Mulher já salvou 14 vidas ao espalhar bilhetes de ajuda em pontes

Muitas vezes um mínimo gesto de afeto e empatia pode ser a diferença entre a vida e a morte para quem está em desespero – pode ser a ponte da morte para a vida. Foi crendo em estender essa ponte que a inglesa Lisa Barnes criou a campanha “Bridge the Gap”, na qual ela espalha bilhetes feitos à mão em pontes da cidade de Manchester, onde vive, das quais diversas pessoas já se atiraram ao suicídio. A própria Lisa cria as frases, plastifica os bilhetes e os coloca em locais específicos das pontes.

Segundo Lisa, através das mensagens que já recebeu com sua ação ela contabilizou que 14 pessoas desistiram de se suicidar ao encontrar seus bilhetes. “É ok pedir ajuda”, “Você é incrível, corajoso e forte” e “O que você está pensando? Vamos conversar” são algumas das frases desenvolvidas por Lisa, que conta às vezes com a ajuda de voluntários ou policiais para espalhar os bilhetes.

O projeto nasceu depois que ela própria foi convencida a não tirar a própria vida em 2017. Desde então, seu trabalho é para ajudar pessoas na mesma situação.

Já são 22 pontes em que Lisa deixou suas mensagens. A ideia é garantir que, em um momento tão difícil, as pessoas que precisam de um sinal ou uma mensagem de carinho encontrem tais mensagens, e revejam a decisão de tirar a própria vida.

“Elas são mensagens escritas à mão, são pessoais, não é apenas uma placa que alguém doou. Quando eu escrevo os bilhetes, eu realmente acredito no que estou escrevendo e espero que as pessoas possam enxergar isso”, explicou Lisa.

Por aqui, o Centro de Valorização da Vida oferece o serviço de apoio emocional e prevenção do suicídio de forma gratuita e sigilosa, 24 horas por dia, por e-mail, telefone e chat. O telefone do CVV é 188.

© fotos: reprodução/fonte:via

Anúncios

O corpo deste atleta após nadar mais de 200 Km vai te deixar impressionado

Todos os atletas costumam desafiar os limites de seus corpos na busca pela superação ou da tão sonhada medalha. Porém, algumas vezes eles encontram obstáculos muito mais difíceis do que um concorrente e, foi exatamente isso que aconteceu com o nadador holandês Maarten van der Weijden.

Maarten já fazia natação desde pequeno e tinha planos de continuar na carreira, mas aos 19 anos lutou contra a leucemia, que, entanto, nunca o fez desistir de seu sonho. Apenas 2 anos após ter vencido a doença, ele voltou a nadar e ganhou medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008.

Mas a verdadeira superação veio recentemente, quando ele se dispôs a nadar uma distância de 200 km no canal Elfstedentocht, na Holanda. Infelizmente ele “apenas” conseguiu completar a distância de 163 km, já que a água era poluída demais e ele começou a passar mal.

A prova, que foi programada para levar 3 dias, acabou levando 55 horas e fazia parte de uma campanha de arrecadação de fundos para pesquisas sobre o câncer. Observe seu corpo depois de 55 horas nadando em água suja e inapropriada. Muito mais do que um competidor, Maarten é um verdadeiro vencedor e a campanha arrecadou mais de 4 milhões de dólares!

Fotos:

1, 3, 4, 9, 10: MvdWFoundation

2: beter.nu

5: Evelien de Bruijn

6, 7, 8 hartvannederland.nl

11: like2swimrotterdam.nl /fonte:via