The Weather Channel se supera novamente com efeitos artificiais aterrorizantes

Resultado de imagem para The Weather Channel se supera novamente com efeitos artificiais aterrorizantes

Não faz muito tempo que o The Weather Channel surpreendeu aos espectadores ao mostrar os efeitos de um furacão recriados em 3D e em tempo real na tela.

Agora, o canal ousa novamente e mostra os riscos de incêndios em áreas naturais, um problema que vem crescendo e já acomete uma área duas vezes maior do que em 1970.

via GIPHY

Embora o clima tenha um papel fundamental neste tipo de desastre, a apresentadora Stephanie Abrams indica que 80% dos incêndios florestais começam devido à atividade humana. Pode ser uma fogueira esquecida que manteve sua brasa ou aquele cigarro que foi jogado no lugar errado (e ainda aceso).

Em pouco tempo, o fogo pode se espalhar e tornar-se quase indetível, destruindo áreas de tamanho equivalente a um campo de futebol a cada segundo.

A produção demonstra os impactos deste tipo de incêndio e mostram como as chamas podem facilmente se propagar a cidades próximas. Ao final, a apresentadora faz um alerta a pessoas que vivem em áreas propensas a desastres ambientais: é importante ter um plano de fuga, pois residentes nessas regiões podem ter apenas algumas horas ou minutos para escapar.

Fotos: Reprodução The Weather Channel/fonte:via

Seca em rios europeus revela ‘pedra da fome’ com alertas para tempos difíceis

Hypeness

“Se você me vir, chore”. “Nós choramos antes, choramos agora e você vai chorar”. “Quem me viu, chorou. Quem me vê agora, vai chorar”. Essas mensagens nada animadoras estão sendo vistas em pedras na Europa Central nas últimas semanas, e remontam a tempos difíceis.

Chamadas de “hunger stones”, ou “pedras da fome”, essas rochas que ficam sob rios só ficam visíveis quando a seca baixa consideravelmente seu nível de água. Segundo historiadores, elas se tornaram uma tradição em países de tradição germânica, e servem para avisar que tempos difíceis estão por vir.

A falta de água tende a refletir em colheitas ruins. Com menos alimento disponível, os preços sobem e a fome pode assolar famílias e regiões inteiras. O rio com maior incidência de pedras da fome é o Elba, que passa pela Tchéquia e Alemanha.

No Elba, pedras que não era vistas desde 2003 já estão bem acima do nível d’água. De acordo com os relatos da imprensa local, mais de uma dúzia de pedras da fome podem ser vistas no curso do rio.

Algumas acompanham a marcação dos anos em que estavam visíveis, e as mais antigas apontam para o século 17. Há relatos de pedras ainda mais antigas, com marcações do século 12, mas suas localizações não são conhecidas para confirmar o fato.

Hypeness

O Rio Elba está com o nível de água mais baixo em mais de 50 anos, e a seca tem revelado outros segredos submersos: ao menos 22 granadas, minas e outros explosivos produzidos durante a Segunda Guerra Mundial já foram encontrados.

Hypeness

Hypeness

Hypeness

Hypeness

Hypeness

Hypeness

Hypeness

Hypeness

Todas as fotos via Wikimedia Commons /fonte via

Fotógrafo caçador de tornados que arrisca vida em busca de cliques aterrorizantes

O australiano Daniel Shaw arrisca sua vida em busca dos cliques perfeitos.

Todos os anos, ele viaja aos Estados Unidos para caçar tornados. A paixão pela profissão é tanta que o hábito persiste, mesmo após Daniel ter ficado preso no pior tornado da história do país, em 2013, responsável pela morte de três de seus colegas de trabalho. “Foi sem dúvida uma das experiências mais assustadoras da minha vida. Eu estava esperando para morrer“, disse ele em entrevista ao jornal britânico Daily Mail.

O interesse de Daniel por fenômenos climáticos começou ainda cedo, quando, aos 11 anos, assistiu a uma tempestade de raios na Austrália. Anos depois, ele se tornaria um fotógrafo e cinegrafista trabalhando para diversos jornais do país como “caçador de tempestades”.

Em 2004, sua primeira experiência cobrindo tornados nos Estados Unidos aconteceu – na Austrália, o fenômeno costuma ser muito menos intenso do que na América do Norte. Desde então, o fotógrafo busca aprender tudo que pode sobre o assunto e já é treinado em primeiros socorros para poder auxiliar em casos de emergência.

Espia só alguns dos cliques mais assustadores de Daniel!

Fotos © Daniel Shaw /fonte:via