Esta barraca de rua em Nova Delhi serve comida literalmente em chamas

O proprietário de uma barraca de paan em Nova Deli, na Índia, tem atraído atenção global pela venda do tradicional lanche indiano de uma maneira pouco convencional: completamente em chamas. Imagine a cena: ele insere o lanche totalmente flamejante na boca do cliente.

A família Pradhuman Shukla vende paan há 20 anos. O paan é comido a qualquer hora do dia no país e é preenchido com vários recheios, incluindo: funcho confitado, coco ralado, pasta de limão e folhas de prata comestíveis.

Recentemente os Pradhuman Shukla reinventaram a maneira como o lanche é servido e foi então que o paan passou a ser incendiado e jogado na boca de clientes um pouco assustados, porém ansiosos para a saber a sensação. Os clientes a descrevem como quente e extremamente satisfatória.

Não coincidentemente, a barraca vende até 100 paans de fogo diariamente, graças à propaganda feita espontaneamente pelos clientes através das redes sociais.

 

Imagens: Reprodução /fonte:via

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

No Rio de Janeiro, todo dia é assim: cerca de 3 mil ambulantes percorrem mais de 80 quilômetros de praias oferecendo toda a sorte de comidinhas, bebidas e petiscos.<!–more–> Se você só está familiarizado com os icônicos bordões ‘Olha o mate’ ou ‘Olha o biscoito Globo’, veja a  lista abaixo alguns motivos para se aventurar mais a fundo na gastronomia praiana carioca. Você não vai se arrepender!

1. “Olha o Malte!”

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Divulgação)

Já não é de hoje que a oferta etílica na praia vai muito além do latão e da caipirinha feita com refresco em pó. O chope artesanal da Irada! é pedida obrigatória para quem passa o dia no Leblon. A bebida é vendida em mochilas pressurizadas. Para dar conta da demanda, foi feita uma parceria com as barracas, que servem como uma espécie de “entreposto” para reabastecimento dos vendedores. Deu tão certo, que a marca é presença certa nos principais eventos cervejeiros da cidade.

2. Picolé de cerveja

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Divulgação)

Na esteira do sucesso da Irada!, a Craft Beer Ice Cream circula pelas praias de Copacabana, Ipanema, Leblon e Barra vendendo picolé de cerveja com teor alcoólico de 3,5%. São cinco opções bastante inusitadas: damasco com pilsen, doce de leite com IPA (India Pale Ale), laranja com weissbier, chocolate belga com dunkel e gianduia com bock.

3. Hambúrgueres Intergaláticos

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Divulgação)

“Cheddar alucinante, tomates psicodélicos psicotrônicos, alface crocante sinestésico, especiarias transcendentais e amor”. A receita de sucesso do Hareburger deu tão certo na praia que já resultou em dez lanchonetes em solo carioca e agora uma em São Paulo. Vale dar uma espiada nessa matéria que fizemos.

4. O cachorro-quente do Rio

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Divulgação)

Com mais de 50 anos de estrada, a Geneal é um dos maiores símbolos da gastronomia praiana carioca. Além do tradicional cachorro-quente feito com pão, salsicha e molho de mostarda, os vendedores ambulantes vendem também dois lanches conhecidos como Tico e Teco, feitos de pasta de ovo e pasta de presunto, além de dois refrescos nos sabores Laranjinha e Uvinha.

5. “Quem quiser o sucolé do Claudinho, é só levantar o dedinho!”

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Marcos Pinto)

Claudinho e sua equipe de vendedores rodam pelas areias de Ipanema e Leblon há mais de duas décadas vendendo sucolé. O nome surgiu porque o sacolé dele é de uma cremosidade imbatível – em vez de água, leite; em vez de polpa, fruta mesmo. Chega a vender, em 3 horas, mais de três mil!!!! Fala sério, quem não provou não sabe o que está perdendo.

6. O árabe do Marquinhos

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Ana Rezende)

Quem circula pela Praia do Pepê, na Barra, avista de longe quando o Marquinhos chega com suas esfihas. Fazendo pouco do calor de 30 ou 40 graus, ele chega sempre paramentado de túnica e turbante em cima de um camelo cenográfico de dois metros de altura puxado por dois garotos na areia, ladeado por duas mulatas-odaliscas. Carne, berinjela, queijo minas com orégano, queijo com espinafre e frango são os sabores mais pedidos.

7. Um autêntico choripan

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Paulo Moura)

Bem em frente ao Posto 9, em Ipanema, procure pela bandeira do Uruguai. Se acomode, curta o dia e, quando bater a larica, caia de boca no choripan, sanduíche de linguiça com chimichurri e cebola. O autor da obra é o uruguaio Milton Gonzales, que chegou ao Brasil há 37 anos, exilado. Sindicalista ligado ao Partido Comunista, era procurado pela ditadura de seu país e passou três anos na prisão, até desembarcar no Rio e abrir a Barraca do Uruguai.

8. A salada de frutas do Val

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Marcos Pinto)

Val é um pernambucano que mudou-se para o Rio há 20 anos atrás. Fã de Carmem Miranda, Marylin Monroe e afins, ele colore o trecho em frente à famosa Farme de Amoedo, vendendo uma deliciosa salada de frutas, versão “light” ou versão “gordinha”.

9. Não podia faltar a empada

Os melhores ambulantes do Rio ou 9 motivos para ir além do mate e biscoito globo

(Foto: Divulgação)

Nascida na Região dos Lagos há mais de 25 anos, a Empada Praiana é um clássico das praias cariocas, de Cabo Frio a Ipanema. Seus vendedores, vestidos com uniforme vermelho e amarelo, percorrem as areias com uma caixa térmica cheia de delícias. As de galinha com palmito e queijo com cebola são as mais pedidas.fonte:via

Ela deu à luz no Japão e não acreditou na comida de hospital servida por lá

Comida de hospital não costuma ser lá aquela coisa, né? Na maioria das vezes recebemos algo sem muito tempero, sem muito gosto e sem muita graça também. Mas não é isso que acontece em um hospital do Japão.

Na última semana, uma usuária do Imgur, identificada apenas como Hahahah1111111, compartilhou o verdadeiro banquete que recebeu após dar à luz ao seu recém-chegado bebê.

As imagens são de 12 refeições feitas pela mulher durante sua estadia na maternidade, e parecem melhores do que muita comida de restaurante.A postagem viralizou rapidamente, e usuários do mundo inteiro estão querendo ir até o Japão para terem seus filhos por lá.

Infelizmente, não conseguimos descobrir qual hospital serve as apetitosas refeições, mas caso você saiba, não deixe de nos contar!

Via © Hahahah1111111 /fonte:via

O ‘mercado grátis’ que está ajudando a combater o desperdício na Nova Zelândia

Um dos males mais perversos do capitalismo e do mercado como regulador é sem dúvida o desperdício. São diversos os motivos, de controle de preços e mercados, custos diversos, publicidade ou outras intervenções que fazem com que quase metade da comida produzida no mundo seja jogada no lixo, alcançando cerca de 1,3 bilhões de toneladas desperdiçadas anualmente. Uma organização da Nova Zelândia decidiu fazer o mínimo do que o mundo deveria diante dos milhões que passam fome diariamente: distribuir gratuitamente os alimentos que seriam jogados fora.

A Free Store, ou mercado grátis, foi criada pelo artista Kim Paton para ser um projeto temporário, de duas semanas de duração, reunindo sem suas prateleiras alimentos em perfeita qualidade que, por motivos diversos, tornaram-se excedentes em supermercados e padarias, e se tornariam parte da estatística do desperdício. Sete anos depois felizmente a iniciativa se tornou permanente, e já possui quatro lojas na Nova Zelândia.

Não há qualquer critério ou restrição para se valer dos produtos na Free Store – qualquer um pode, pelo motivo que for, ir até uma loja e se servir dos produtos disponíveis. Cada sexta feira a loja distribui entre 800 e 1500 alimentos, alcançando um média de 250 mil alimentos anualmente, economizando um milhão de dólares por ano que iriam para o lixo.

 

A Free Store funciona com voluntários e 65 fornecedores. Trata-se do tipo de iniciativa que adoramos admirar à distância como um símbolo da civilidade em outros países, mas que pode ser feita de fato em qualquer cidade do mundo.

 

© fotos: divulgação

Restaurante combate desperdício criando pratos incríveis com alimentos que iriam para o lixo

Anualmente, 1,3 bilhões de quilos de alimentos são desperdiçados em todo o mundo. Isso é equivalente a praticamente um terço de toda a produção mundial. É muita coisa indo pro lixo. Isso sem falar do desperdício causado durante todo o processo, como a água que foi inutilmente usada e todo o CO2 gerado.

Para tentar diminuir esse gigantesco impacto ambiental que todo esse sistema causa, quatro amigos holandeses resolveram se unir, e juntos abriram o restaurante Instock, que utiliza somente comida que seria descartada. Com três unidades espalhadas pela Europa (Amsterdã, Utrecht e Haia), eles chegam a reaproveitar 8 mil quilos de alimentos por mês.

Diariamente, na primeira hora da manhã, funcionários passam por alguns supermercados recolhendo produtos que não são mais considerados próprios para consumo, mas não porque estão ruins, e sim por estarem “feios” ou com um leve machucado, por exemplo. Inclusive, o restaurante faz questão de ressaltar que todos os alimentos são seguros para consumo.

E como nunca se sabe quais alimentos serão resgatados no dia, o cardápio é sempre uma surpresa para o cliente, já que os chefs precisam usar a criatividade para fazer os pratos com o que foi recolhido nos mercados naquele dia. E pelas fotos do local, as comidas não deixam nada a desejar, sendo muito apetitosas, inclusive. Uma maneira simples e maravilhosa de realmente fazer a diferença!

Imagens © Divulgação /fonte:via