As impactantes fotografias vencedoras do concurso Environmental Photographer 2018

O impacto do homem na natureza é coisa séria e precisa ser tratado abertamente. Estamos contribuindo para destruir os oceanos, aumentar o aquecimento global e exterminar diversas espécies. Porém, falar nem sempre é a melhor solução, já que uma imagem vale mais do que mil palavras. É por isso que, nos últimos anos, diversos concursos fotográficos vêm sendo organizados, com o objetivo de nos alertar sobre isso e, quem sabe, reverter a situação.

O concurso Environmental Photographer of Year existe desde 2007 e, é uma das premiações mais importantes de fotografia ambiental, organizado pela Chartered Institution of Water and Environmental Management (CIWEM), do Reino Unido.

Neste ano, fotógrafos de 89 países participaram do concurso e, o resultado é chocante e assustador. Conscientizando as pessoas de que precisamos mudar, as fotografias mostram desde uma criança sentada em uma terra completamente seca e morta, até escombros de um terremoto que matou mais de 600 pessoas, no Irã.

Foto 1: Saeed Mohammadzadeh

Foto 2: Chinmoy Biswas

Foto 3: Younes Khani Someeh Soflaei

Foto 4: Fardin Oyan

Foto 5: Ümmü Kandilcioğlu

Foto 6: Antonio Aragón Renuncio

Foto 7: Tapan Karmakar

Foto 8: Calvin Ke

Foto 9: Thigh Wanna

Foto 10: Jing Li /fonte:via

Anúncios

Conheça as primeiras selecionadas como melhores fotografias de Instagram de 2018

O Instagram criou uma nova maneira de se tirar e compartilhar fotografias, sem que precisemos de um equipamento profissional. Qualquer um pode tirar fotografias incríveis a partir de seu smartphone, fazer melhorias com a imensa oferta de aplicativos de edição de imagem e, compartilhar a partir de uma das redes sociais mais utilizadas do mundo.

Foi para celebrar a democratização da fotografia, que a empresa Photobox lançou neste ano o prêmio PIPAsPhotobox Instagram Photography Awards, que vai escolher fotografias de pessoas comuns para compor uma exposição, no final do ano, em Londres. Mais de 180 mil fotografias foram submetidas para o concurso, totalmente de graça, desde que utilizassem a hashtag #THEPIPAS2018, com menção ao @photoboxuk.

Algumas fotos já foram escolhidas, no dia 3 de outubro, pelo júri, que é composto por profissionais da área, como a editora-chefe da Cosmopolitan – Farrah Storr ou o ex-editor de fotografia do The Guardian – Eamonn McCabe. Está curioso para saber quais foram estas fotos? Separamos algumas para vocês!

!


@andresson.photography

@patlyr2052

@darrenwilliamhall

@stevenbrunton

@gaelfontany

@mww2108

@musotravels

@gflandre

@traverserlepaysage

@mariacostantinaseri

@seguyger

  /fonte:via

Já ouviu falar dos vinhos da Bolívia? O NYT está querendo que você prove

Vinhedos da Uvairenda plantados a 1.750 metros de altitude, na cidade de Samaipata, na Bolívia.

Quando pensamos nos melhores vinhos do mundo, rapidamente nos vem à cabeça os franceses, italianos, portugueses, argentinos, até mesmo os americanos, entre outros. A ciência a respeito da avaliação de qualidade dos vinhos é um tanto inexata, e recentemente, em um teste às cegas, algo de verdadeiramente inesperado aconteceu: ainda que o primeiro colocado no teste fosse um vinho francês, o vinho que recebeu a prata veio de um pequeno e inesperado país, sem qualquer especial tradição nesse universo: o segundo colocado foi o vinho Único, produzido na Bolívia.

Tannat é a uva tinta mais produzida no país. Na foto, trabalhadores da vinícola Aranjuez separam uvas depois da colheita.

Enquanto o primeiro colocado, o francês La Tyre, costuma ser vendido por até 150 dólares, o Único, produzido pelo Campos de Solana, costuma ser vendido por um décimo desse preço – de certa forma, foi como se a Bolívia tivesse vencido o concurso. Com o resultado, não é exagero afirmar que a Bolívia vem se tornando uma das mais excitantes novidades entre os produtores de vinho – um mercado ainda desconhecido e, por isso, com excelente custo-benefício.

"Já que você vai beber, por que não beber algo que ajude o desenvolvimento?", diz o importador americano Ramon Escobar sobre vinhos bolivianos.

A produção boliviana ainda é muito pequena – somente 8.3 milhões de litros anuais dentro do oceano de 25 bilhões de litros produzidos anualmente no mundo – mas certas singularidades do país, como sua altitude extrema e o sol intenso, ajudam no desenvolvimento não só das plantações como na própria singularidade do sabor da bebida. O feito realizado pelo Único no concurso foi noticiado até mesmo pelo New York Times.

As ambições são altas dentre os produtores bolivianos, que já começam a exportar com destaque para o resto do mundo, especialmente para os EUA, o Brasil e a China, e não somente por uma questão de posicionamento no mercado: estima-se que a cada 25 acres de uvas plantadas no país, 10 famílias são tiradas da pobreza através das oportunidades de trabalho. Em se tratando de um dos mais pobres países da América Latina, trata-se de um estímulo e tanto, para transformar o vinho boliviano no mais novo queridinho entre enólogos do mundo.

© fotos: reprodução/fonte:via

Divirta-se com as eleitas fotografias mais engraçadas do mundo animal

Se fotografias de animais na natureza já são incríveis por si só, melhor ainda quando elas possuem uma pegada de comédia, não é mesmo? O concurso Comedy Wildlife Photography Awards acaba de anunciar as finalistas do prêmio de fotografias engraçadas da vida animal e, é impossível não se divertir!

Apesar do tom alegre, o intuito do concurso é alertar as pessoas sobre a importância da conservação da vida animal: Nossa forte crença aqui no Comedy Wildlife Photography Awards é que a menor coisa pode ajudar a conservação, explicou Tom Sullum – um dos fundadores do prêmio ao site Bored Panda.

Os vencedores serão anunciados no dia 15 de novembro, em Londres e não é preciso ser profissional para se inscrever. 70% dos inscritos são amadores, então, quem sabe o próximo ganhador não seja você? Urso polar tirando foto, esquilo fazendo alongamento, é uma melhor do que a outra!

A arte da liberdade: As imagens ganhadoras do prêmio Fotografias de Pássaros 2018 são pura inspiração

Se fotografar animais na natureza já não é uma tarefa fácil, imagina então os pássaros, seres conhecidos pela liberdade de passarem boa parte da vida voando? Por isso, o coletivo Nature Photographers Ltd, encontrou uma maneira de valorizar os fotógrafos que se arriscam na tentativa de capturar estas lindas imagens e, criou o prêmio Fotografias de Pássaros, há 3 anos.

A competição possui 7 categorias e 3 prêmios especiais: ‘Fotógrafo de Aves do Ano’, ‘Fotógrafo jovem de Aves do Ano’ e ‘Melhor Portfólio’ e, nada mais é do que uma maneira de homenagear a própria natureza e a tecnologia, que nos permite congelar o voo dos pássaros.

O coletivo também reverte parte do lucro das inscrições para a fundação “The British Trust for Ornithology”, um instituto de pesquisa independente que busca preservar a vida e os espaços selvagens. Os organizadores dizem que a cada ano o concurso conta com mais inscrições e, as fotografias estão cada vez melhores.

Neste ano, o ganhador do principal prêmio, ‘Fotógrafo de Aves do Ano’, foi o peruano Pedro Jarque Krebs, que levou 5 mil libras para casa por ter capturado o exato momento em que flamingos estão lutando.

As outras fotos ganhadoras são, respectivamente de: Petr Bambousek – da República Checa, que levou o prêmio de ‘Melhor Portfólio’ e, Johan Carlberg – da Suécia, que venceu na categoria ‘Fotógrafo jovem de Aves do Ano‘.

Tirar estas fotografias exige técnica, paciência e concentração, porém, nada disso é problema para estes fotógrafos apaixonados, que nos presenteiam com essas imagens de tirar o fôlego

Foto 1, 2 : Petr Bambousek

Foto 3: Saverio Gatto

Foto 4: Pedro Jarque Krebs

/fonte via

 
 

As vencedoras do Concurso de Fotos Subaquáticas 2018 vão te deixar sem fôlego

Desde 2015, uma organização britânica promove o Concurso de Fotografias Subaquáticas do Ano, com o objetivo de reunir as melhores imagens tiradas sob a água e mostrar como a vida subaquática é bela e curiosa.

Todas as fotos, é claro, deveriam ser tiradas sob a água, mas imagens com parte da composição fora do nível subaquático também eram permitidas. Fotógrafos de 63 países enviaram mais de 5 mil fotografias para participar das 11 categorias da competição.

Apesar de não restringir edições posteriores ao clique, a organização deixou claro que se trata de um prêmio de fotografia, não de Photoshop, e que as imagens deveriam representar a realidade.

Confira as fotos vencedoras:

Fotografia do Ano: Tobias Friedrich (Alemanha)

Fotografia Britânica do Ano: Grant Thomas (Reino Unido)

Fotógrafo Revelação do Ano: Man BD (Malásia)

Fotógrafo Britânico Revelação do Ano: Tony Stephenson (Reino Unido)

Grande Angular: Greg Lecoeur (França)

Macro: Shane Gross (Canadá)

Comportamento: Filippo Borghi (Itália)

Retrato: Tanya Houppermans (EUA)

Preto & Branco: Borut Furlan (Eslovênia)

Câmera Compacta: Simone Matucci (Nova Zelândia)

Macro em Águas Britânicas: Henley Spiers (Reino Unido)

Câmera Compacta em Águas Britânicas: Vicky Paynter (Reino Unido)

fonte:via

 

10 imagens incríveis clicadas por viajantes em concurso da National Geographic

Uma das mais importantes revistas de ciência e cultura do mundo (e também uma instituição de pesquisa), a National Geographic também contempla com importância essencial a fotografia como parte de seu universo. Assim, anualmente diversos concursos fotográfico são realizados pela National Geographic, reunindo alguns dos mais importantes e interessantes trabalhos da área em diversos temas e categorias – e as fotos concorrentes da versão 2018 do Concurso de Fotos de Viagem são espetaculares.

De crocodilos na Costa Rica a cavalos selvagens na Islândia – passando por jovens jogando altinha na praia de Ipanema até estádios cobertos de nuvem no Qatar – o concurso reúne as mais incríveis imagens de fotógrafos viajantes em três categorias: Natureza, Cidade, Pessoas e ainda Voto Popular – a ser selecionada no site da National Geographic.

Os primeiros colocados em cada categoria receberão mais de 3 mil libras (cerca de 15 mil reais), enquanto a foto selecionada como grande campeã do concurso receberá cerca de 7,500 libras – mais de 37 mil reais.

© fotos: National Geographic/Créditos/fonte:via