Frio é pouco: fotógrafa registra o incrível festival em um lago congelado na Mongólia

Existem diversas maneiras de se contar uma história. Se algumas pessoas possuem facilidade para encontrar as palavras certas e construir uma narrativa, outras possuem o dom de comunicar através das imagens, como a fotógrafa francesa Céline Jentzsch. Viajando o mundo com o objetivo de conhecer novas culturas e pessoas diferentes, a fotógrafa enxerga o mundo com os olhos de um boa contadora de histórias e, suas imagens transparecem isso.

Seu trabalho funciona como se fosse um documentário e, sua última série foi realizada em um festival de gelo em um lago congelado, na Mongólia. O festival, que já existe há bastante tempo, foi criado com o intuito de incentivar o turismo na região, mostrando as pessoas que mesmo no frio é possível se reunir com os amigos, sair de casa e se divertir.

O frio é grande, mas não é impedimento para que as pessoas participem de atividades ancestrais, como luta livre mongol, arco e flecha e shuffleboard. Apaixonada pela região e pela naturalidade das pessoas que lá habitam, Céline também organiza viagens para o país, através de uma parceria com a Photographers of the World.

Fotos: Céline Jentzsch /fonte:via

Anúncios

O lago mais profundo e limpo do mundo tem registros impressionantes de sua fase congelada

A fotógrafa russa Kristina Makeeva, que vive em Moscou, fez duas visitas ao Baikal, o lago mais profundo e limpo da Terra. Quando estava planejando a viagem, ela não tinha ideia que o lugar fosse tão maravilhoso, majestoso e encantado. “Nós fomos tão arrebatados por sua beleza, que quase não dormimos durante os 3 dias que estivemos aqui”, conta.

O Lago Baikal tem cerca de 600 km de comprimento. A espessura atinge de 1,5 a 2 metros, podendo suportar cerca de 15 toneladas nos lugares mais firmes. O gelo tem padrões diferentes em cada parte do lago, já que a água vai congelando camada por camada. “O gelo no Baikal é o mais transparente do mundo! Você pode ver tudo até o fundo: peixes, pedras e plantas. A água no lago é tão clara, que você pode ver tudo que está até 40 metros de profundidade.

Baikal também é o lago mais profundo do mundo. Sua idade certa ainda provoca debates entre cientistas, mas o certo é que este é o maior reservatório de água doce do planeta e sua profundidade é de 1.642 metros. Além de Baikal, existem apenas dois lagos com mais de 1000 metros de profundidade: o lago Tanganica, com 1.470 metros e o mar Cáspio, com 1.025 metros.

“Em algumas partes, o gelo é escorregadio como o espelho. Você pode fotografar reflexos ideais e capturar viajantes andando de patins, bicicleta ou trenó. Lugar maravilhoso”, conta Kristina.

Confira as imagens:












 

Fotos: Kristina Makeeva/fonte:via