Morre fotógrafo David Douglas Duncan, conhecido por clicar Picasso

Ele esteve presente com as pessoas e nos eventos mais importantes do século 20. Sempre acompanhado de sua câmera fotográfica, David Douglas Duncan morreu aos 102 anos.

O artista nasceu nos Estados Unidos no distante ano de 1916. Ao longo de sua trajetória, Duncan se imortalizou pelos registros fotográficos durante a Guerra na Coreia, resultando no lançamento do livro This is War! (Isto é Guerra), em 1951.

Contudo o feito mais importante de sua trajetória profissional foram os cliques fotográficos da vida de ninguém menos do que Pablo Picasso. Amigo íntimo do pintor e esculturista espanhol, Duncan foi a única pessoa autorizada a documentar a vida e pinturas privadas de Picasso.

O norte-americano, que vivia próximo de Picasso em Castellaras, na França, esteve presente nos últimos 12 anos de vida de um dos maiores artistas da história. De acordo com informações da AFP, David Douglas Duncan faleceu em decorrência de complicações de uma pneumopatia e estava “cercado por seus familiares”.

 

Foto: foto 1: Reprodução/YouTube /foto 2: Reprodução/David Duncan/foto 3: Reprodução/David Duncan/foto 4: Reprodução/David Duncan/fonte:via

Fotos mostram como a Coreia do Norte costumava atrair turistas nos anos 1970 e 1980

Hoje considerado um dos países mais fechados do mundo, a Coreia do Norte já teve até mesmo estratégias que buscavam atrair mais turistas para o território durante os anos 1970 e 1980. Na época, em plena Guerra Fria, apenas cidadãos que pertencessem ao bloco comunista poderiam ingressar no país.

Para atraí-los, panfletos publicitários mostravam uma Coreia do Norte repleta de praias com gente feliz, parques temáticos e muitos esportes ao ar livre.

A sensação é de que as cenas retratadas poderiam se passar em qualquer país do mundo. Quem viveu durante a época facilmente irá se identificar com alguns dos momentos apresentados nos panfletos turísticos de uma nação pré Kim Jong-un.

Embora seja um retrato daquele tempo, o turismo continua sendo uma grande fonte de renda para o país, conforme lembra uma reportagem publicada pelo Daily Mail. Apesar disso, os visitantes atuais normalmente precisam andar constantemente acompanhados e não têm permissão para explorar além da capital Pyongyang.

E, enquanto você não vai até lá, espia só um pouco da propaganda turística da época.

Fotos © Retro DPRK/News Dog Media/fonte:via