Fotógrafa retrata partes de cadáveres para lidar melhor com a morte e mostrar a beleza interior do corpo humano

A beleza das formas do corpo humano fascina e serve como inspiração e matéria prima para artistas desde sempre. A artista inglesa Mia-Jane Harris leva tal fascínio e interesse às profundezas da beleza do corpo humano – literalmente: as fotografias que formam o projeto Beautiful Corpses (Cadáveres Lindos, em português) registram em detalhes abstratos e closes impressionantes partes mortas do corpo humano.

 

Entre diferentes e intrigantes texturas, camadas, padrões, dobras, cores e formas de dentro do corpo humano, o trabalho de Harris parece desafiar aspectos da ciência, da estética e até da filosofia – tendo a morte indiretamente como tema de fundo de todo seu trabalho.

“Minha arte se aprofunda na curiosa, fascinante, estranha e mórbida beleza. Procuro intrigar o espectador e traze-lo ao meu mundo com objetos estranhos e curiosidade mórbida para manipular suas emoções diante do tema da mortalidade”, afirma.

O tempo também é, portanto, assunto de fundo do trabalho de Harris, que trabalhou por anos em museus médicos e mortuários, e as formas e a proximidade com cadáveres a inspirou a criar e tentar romper o tabu de se ver a morte tão de perto.

A maioria dos corpos fotografados para o projeto são de pessoas que viveram há cerca de 100 e 200 anos, e que tiveram suas partes preservadas em formol.

© fotos: Mia-Jane Harris/fonte:via

Anúncios