Arquitetos suecos querem transformar ponte antiga em parque e prédio horizontal

Resultado de imagem para Arquitetos suecos querem transformar ponte antiga em parque e prédio horizontal

A Escandinávia é conhecida pelos incríveis projetos de design e arquitetura, mas este consegue superar todas as expectativas. A prefeitura de Estocolmo, capital da Suécia, estava prestes a derrubar a ponte Gamla Lidingöbron, construída na década de 1920 mas em desuso nos dias de hoje, quando um escritório de arquitetura apresentou o projeto de transformá-la em parque e prédio horizontal.

A ideia do Urban Nouveau é aproveitar a imensa estrutura da ponte, para construir 50 apartamentos luxuosos e um parque nas alturas, estilo High Line Park, em Nova Iorque. O projeto faz parte de uma petição criada para protestar contra a demolição da ponte e propõe que a venda dos apartamentos financiem a restauração dela, que já serviu como conector ferroviário e pedestre entre Estocolmo e a ilha de Lidingö.

Imagem relacionada

A prefeitura de Lidingö negou a proposta, dizendo que ela ofereceria riscos e atrasos, mas os arquitetos responsáveis já se uniram com engenheiros estruturais, que disseram que ela é “estruturalmente sólida e totalmente viável”. O projeto, além de ter o objetivo de oferecer um parque incrível para a capital sueca, promete fazer a prefeitura economizar mais de 110 milhões de coroas, o equivalente a 11 milhões de euros.

Fotos: Urban Nouveau /fonte:via

Anúncios

Bauhaus: icônica escola de design abre quartos para hospedagem na Alemanha

A mais antiga e importante escola de design e arquitetura do mundo agora passará a receber e hospedar viajantes em seus quartos. Fundada em 1919 e estabelecida em 1926 na cidade de Dessau, na Alemanha, onde permanece até hoje, a Escola Bauhaus foi eleita Patrimônio Cultural da Humanidade, e é uma das mais influentes instituições de ensino do século XX. É em um dos pilares do modernismo não só no design, mas também na arquitetura e nas artes plásticas que agora se pode ficar hospedado.

Desde sua fundação que os estudantes podiam não só trabalhar como viver no conjunto de 28 estúdio de 20 metros quadrados junto da escola. O prédio histórico foi reformado em 2006 a fim de justamente reconstruir e manter o estilo original, com quartos bem iluminados, geométricos e funcionais. Há em cada andar uma pequena cozinha a ser compartilhada, e na Bauhaus funciona também um museu, um centro cultural e educativo, oferecendo programação intensa com workshops, cursos e residências artísticas.

A escola foi fundada em 1919 por Walter Gropius ainda na República de Weimar, e em 1933 foi fechada por conta das perseguições do governo nazista na Alemanha. As acomodações custam entre 40 e 65 euros por dia, em variação de acordo com o dia da semana e a categoria, e as reservas podem ser feitas por um formulário online.

© fotos: reprodução/fonte:via

Conheça a incrível casa sob rodas, feita de madeira recuperada e movida a energia solar

Há algum tempo a humanidade começou a repensar questões de moradia, estando cada vez mais aberta a conceitos de sustentabilidade e minimalismo. Precisamos mesmo de tanto espaço, vários cômodos, armários e objetos? Quanto menos coisas temos, mais livres poderemos ser e, foi seguindo este princípio que arquitetos da Humble Hand Craft desenvolveram esta mini casa, que pode te levar para qualquer lugar e te ensinar que viver com menos é sinônimo de felicidade.

Com design inovador e rústico, a casa é 100% movida a energia solar, utiliza apenas madeira recuperada e, ainda por cima, possui um deck que pode ser fechado quando ela está em movimento. Nós já exploramos tanto os recursos do planeta, que pensar novas formas de construção é mais do que inovação, é essencial.

A casa foi inspirada nos chalés típicos da montanha, sendo praticamente inteira feita em madeira. Tudo que mais precisamos, caberá lá dentro – o resto é excesso. Confortável e aconchegante, até lareira para os dias de frio ela possui. Sustentável em todos os sentidos!

Exoesqueleto funciona como cadeira para você sentar a qualquer hora, em qualquer lugar

Hypeness

Não encontrar lugar para sentar no transporte público, querer parar para um rápido descanso enquanto anda pela cidade ou ir para a balada e perceber que está um tanto velho e só queria um lugar para sentar… Situações pelas quais muita gente passa e fazem sonhar com uma cadeira portátil fácil de levar para qualquer lugar.

E não é que inventaram a solução para os problemas de quem odeia ficar em pé por muito tempo? A criação é da startup Astride Bionix, de Singapura, que criou uma espécie de exoesqueleto chamado LEX.

A invenção conta com duas ‘pernas’ de alumínio e vem em um kit para ser acoplado ao quadril. Basta abrir as alavancas para que a cadeira esteja pronta para uso.

O LEX pesa apenas 1kg, mas os criadores garantem que ele aguenta até 120kg. E não se trata apenas de um instrumento para combater o cansaço: o aparelho foi projetado para garantir uma postura perfeita ao sentar, aliviando dores na coluna.

Hypeness

O equipamento também pode ser acoplado a mochilas, transferindo o peso delas dos ombros para a região abdominal, ajudando a combater as dores que quase todo mundo que precisa carregar bolsas pesadas precisa enfrentar.

Um financiamento coletivo foi criado no Kickstarter para tirar o projeto do papel e já arrecadou mais que o dobro da meta estipulada. A previsão é que as primeiras unidades do produto sejam entregues em dezembro de 2018.

Hypeness

Fotos: reprodução/LEX/fonte:via

Bulgária cria biblioteca ‘portátil’, aberta e de madeira para ser instalada na rua

As pessoas estão cada vez menos lendo livros, seja pela altíssima oferta de informações que a internet  oferece, falta de tempo ou até mesmo, de incentivo. A questão ainda é mais evidente quando eles são impressos, já que muita gente hoje em dia prefere ler em tablets ou smartphones, mas se depender da cidade de Varna – na Bulgária, a realidade não precisa ser exatamente esta.

Uma equipe de arquitetos e designers desenvolveu uma biblioteca de rua simplesmente incrível, com um design moderno e prático, facilitando o acesso para os leitores, que podem até se sentar e, de vez em quando, assistir a um show, já que o local também possui um pequeno palco para apresentações de artistas de rua.

O formato é vazado e semicircular, feito para entrar a quantidade perfeita de luz, proporcionando um ambiente agradável e convidativo à leitura. A estrutura é portátil e tem capacidade para até 1500 exemplares, que serão muito bem aproveitados pela sortuda população da cidade.

Apelidada de ‘Rapana’, a equipe chegou a testar mais de 20 variações antes de decidir por este modelo, que se assemelha a um caracol marinho, já que a cidade está próxima ao mar e é conhecida por ser a capital marítima da Bulgária.

Quem não gostaria de ter a sua disposição uma biblioteca dessa?

Fotos: Rapana Library  /fonte via

‘Black Mirror’ do dia: Moda já tem influenciadora robô com 1,4 milhão de seguidores

Se as modelos e os editoriais de moda tornaram-se ao longo dos anos amplificadores de padrões de beleza irreais e do estabelecimento de corpos, figuras e faces impossíveis na realidade, a mais nova tendência no meio parece, de forma ao mesmo tempo interessante, divertida e assustadora, tornar tal processo ainda mais agudo. São as modelos virtuais, personagens criados por uma mistura de fotografia, arte e computação, que se tornam supermodelos irretocáveis e perfeitas, com somente um detalhe nada mero: elas não existem.

Shudu, a primeira supermodelo virtual

O uso vem sendo feito por estilistas de vanguarda, como numa criativa interseção entre arte e moda. As modelos virtuais, no entanto, vem ganhando popularidade e trabalhos feito fossem de verdade – e muitas vezes é de fato difícil notar a diferença. A empresa Clo Co. é uma das mais atuantes em tal tendência, e a Looklet Co. vem desenvolvendo softwares para ajudar designers e artistas a construírem tais personagens e trabalhos.

Lil Miquela

Algumas das “modelos” já possuem milhares ou mesmo milhões de seguidores – como Shudu, a primeira e mais impressionante das supermodelos virtuais. Além dela, Lil Miquela e Perl também vem fazendo bastante sucesso nas redes sociais e plataformas em geral – assim como no próprio mundo da moda. Quem diria que a tecnologia acabaria por ameaçar até mesmo o emprego das supermodels?

Perl

© fotos: reprodução/fonte:via

Serena Williams está arrasando com seu tutu no Aberto dos EUA

Algumas pessoas insistem em se opor ao avanços. Foi o caso do corpo diretivo do Roland Garros, tradicional torneio francês, vencido por Serena Williams três vezes. Os responsáveis pela direção do aberto decidiram banir a roupa inspirada no filme Pantera Negra.

Segundo o presidente da Federação Francesa, Bernard Giudicelli, a norte-americana precisava “respeitar o jogo”. Lembrando que o figurino desenvolvido pela Nike para Serena Williams levava em consideração os problemas enfrentados por ela depois de dar à luz.

“Me senti uma guerreira naquela roupa. Uma verdadeira princesa de Wakanda. Eu estou usando calças quando jogo, assim consigo manter o sangue circulando. É uma roupa engraçada, mas ao mesmo tempo, funcional”, declarou.

A repercussão foi grande e muitas pessoas apoiaram a decisão da atleta. Fazendo vista grossa, a multi-campeã preparou uma surpresa para a estreia no Aberto dos Estados Unidos. Williams apareceu na quadra no bairro do Queens, em Nova York, vestindo um tutu  preto.

Durante entrevista coletiva antes da estreia no US Open, Serena Williams resolveu colocar panos quentes e ressaltar a boa relação com Giudicelli. “Nós já conversamos e está tudo certo, gente”, finalizou.

Polêmicas de lado, o tutu foi um arraso e ela repetiu a dose na segunda partida. Desta vez, Williams jogou toda de lilás. O design é de autoria de Virgil Abloh e faz parte da linha QUEEN, colaboração entre o artista e a Nike. Claro, inspirada na diva Serena.  

Fotos: Reprodução/fonte:via