Frio é pouco: fotógrafa registra o incrível festival em um lago congelado na Mongólia

Existem diversas maneiras de se contar uma história. Se algumas pessoas possuem facilidade para encontrar as palavras certas e construir uma narrativa, outras possuem o dom de comunicar através das imagens, como a fotógrafa francesa Céline Jentzsch. Viajando o mundo com o objetivo de conhecer novas culturas e pessoas diferentes, a fotógrafa enxerga o mundo com os olhos de um boa contadora de histórias e, suas imagens transparecem isso.

Seu trabalho funciona como se fosse um documentário e, sua última série foi realizada em um festival de gelo em um lago congelado, na Mongólia. O festival, que já existe há bastante tempo, foi criado com o intuito de incentivar o turismo na região, mostrando as pessoas que mesmo no frio é possível se reunir com os amigos, sair de casa e se divertir.

O frio é grande, mas não é impedimento para que as pessoas participem de atividades ancestrais, como luta livre mongol, arco e flecha e shuffleboard. Apaixonada pela região e pela naturalidade das pessoas que lá habitam, Céline também organiza viagens para o país, através de uma parceria com a Photographers of the World.

Fotos: Céline Jentzsch /fonte:via

Anúncios

Fotógrafo viajante registra uma Paris que os guias turísticos não mostram

Gente feliz tomando café em tranquilas alamedas, grandes lojas de grife vendendo produtos luxuosos e, claro, o Arco do Triunfo e a Torre Eiffel. É difícil não pensar nesses elementos quando Paris vem à cabeça, mas é claro que a realidade de uma metrópole não é feita só disso.

David Tesinsky é um fotógrafo tcheco que se dedica a viajar registrando o que ele descreve como “subculturas, culturas urbanas, histórias de rua e de pessoas”, sempre com a fotografia documental de reportagem social como norte.

Em um de seus últimos trabalhos, David visitou a capital francesa para desafiar os estereótipos que tomam conta do imaginário em relação à Cidade Luz. Como praticamente todas grandes cidades do planeta, Paris precisa lidar com vários problemas, e o fotógrafo acredita que fazer refletir sobre eles é um dos primeiros passos na busca por soluções.

Na viagem por Paris, o que mais chamou a atenção de David foi a quantidade de pessoas vivendo em situação de rua, número que tem crescido muito nos últimos anos por conta da crise migratória na Europa, que tem levado milhares de africanos e asiáticos ao continente em busca de melhores condições de vida.

Fotos © David Tesinsky  /fonte via

O documentário que reúne imagens imperdíveis de mais de 30 países

O homem é capaz de coisas horríveis. Crueldade com animais, racismo, preconceito, desrespeito, guerras. Mas volta e meia surge algo para lembrar a gente que por trás de tanta coisa ruim existe esperança. Existem momentos de pura beleza, paz, magia. E esse é o caso de Awaken, documentário com previsão de estreia para o início do ano que vem.

Filmado em mais de 30 países no período de 5 anos, Awaken explora a relação das pessoas com a tecnologia e a natureza, tanto no âmbito individual quanto coletivo. Através de imagens estonteantes, o documentário nos leva em uma viagem por praias, montanhas, lagos e cidades. Sempre com poesia, sensibilidade e uma boa dose de emoção.

Quem vê as imagens do trailer pode imaginar por um instante que esse filme só foi possível graças a uma extensa equipe, mas está longe disso. Tom Lowe assina a filmagem, edição, direção e produção da obra, o que já tinha acontecido em seu primeiro documentário, Timescapes, lançado há 5 anos.

Awaken_03

Captura de Tela 2017-07-24 às 23.48.55

Captura de Tela 2017-07-24 às 23.47.39

Captura de Tela 2017-07-24 às 23.48.40

Awaken_02

Todas as imagens © Reprodução/fonte:via