Brasileiros desiludidos pedem ajuda para voltar de Portugal

Brasileiros formam a maior comunidade de estrangeiros em Portugal. Atualmente, são cerca de 85 mil pessoas vivendo no país europeu. Porém, o ápice da imigração parece estar chegando ao fim.

Apenas nos últimos cinco anos, o Programa de Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração (Árvore), órgão ligado à Organização Internacional para Migrações (OIM) e ao governo português, financiou a viagem de volta de 1.639 cidadãos brasileiros.

A dificuldade de conseguir um emprego está entre os principais motivos de arrependimento dos que vão tentar a vida no país ibérico. Isso se reflete nos números, pois apesar de formarem a maioria dos imigrantes, os brasileiros respondem por mais de 80% dos pedidos de auxílio para voltar pra casa. Em 2018, mais de 200 pessoas receberam ajuda para o retorno.

A grave crise vivida pelo Brasil, com mais de 13 milhões de desempregados, faz de Portugal a menina dos olhos. Entretanto, mesmo com a facilidade proporcionada pela língua, ser uma estrangeiro não é fácil. Um dos entraves é o visto, pois sem a autorização do governo para trabalhar, restam apenas vagas informais, que evidentemente pagam pouco.

Para atenuar as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros e claro, evitar o surgimento de uma crise em solo português, a Organização Internacional para Migrações auxilia na documentação, compra de passagem e cobertura de outros gastos da viagem de volta.

Em entrevista ao UOL, Patrícia Cunha – assistente de projeto da OIM Lisboa ressalta que é preciso se informar e sobretudo fazer um planejamento consistente antes de se mudar de país.

“A falta de informação e planejamento é a principal causa para a vulnerabilidade econômica e até psicossocial das pessoas que chegam à OIM. Muitos vêm a Portugal com passagem de volta para uma semana, mas [quando querem voltar ao Brasil] não é possível ou é muito caro reagendar”.

Foto: Unsplash/fonte:via

Anúncios

Ele caminhou 32 km no 1º dia de trabalho. E ganhou um carro do chefe

O primeiro dia de trabalho é sempre cercado de expectativas e um certo nervosismo. Apesar da frase ‘a primeira impressão é a que fica’ não ser uma verdade absoluta, é sempre importante cumprir algumas obrigações.

Talvez o principal item da cartilha seja a pontualidade. É complicado chegar depois do horário logo de cara. Walter Carr viveu uma situação semelhante e precisou encontrar uma saída desafiadora para chegar ao trabalho depois de seu carro ter quebrado.

A pé em pleno subúrbio de Birmingham, no Alabama, Carr resolveu caminhar 35 quilômetros durante a noite para cumprir o compromisso de trabalho. Durante o trajeto o rapaz foi interpelado por um policial militar, que sensibilizado com sua história, o convidou para tomar café e institui em acompanhá-lo até o destino.

O expediente começava às 8h e Carr estava encumbido de realizar a mudança de uma das clientes da empresa. Por volta das 6h30 a campainha é acionada. Ao abrir a porta Jenny Lamey se surpreendeu ao ver o estudante acompanhado do oficial.

“Ele contou que tinha pegado aquele bom rapaz em Pelham, logo cedo pela manhã. Walter disse que estava ali para me ajudar na mudança”, escreveu em relato publicado no Facebook.

O caso gerou grande comoção, inclusive do chefe do rapaz, que reconhecendo o gesto de superação, resolveu presenteá-lo com um carro novo. Luke Marklin, diretor da empresa de mudanças Bellhops, se deslocou do Tennesse ao Alabama para encontrar pessoalmente o funcionário. Na sequência lhe entregou as chaves do próprio veículo.

Estudante de um curso na área de saúde, Walter Carr disse ter sido a primeira oportunidade de emprego em alguns anos. O jovem, cujo a família teve que deixar Nova Orleans depois do furacão Katrina, queria mostrar sua dedicação.

“Walter, você não tem ideia de quantas vidas você mudou e inspirou. Você é um jovem muito especial e vai fazer grandes coisas”, finalizou Jenny.

Fotos: Reprodução/CBS/fonte:via

Emprego dos sonhos paga R$ 35 mil para fotografar cidades mais ensolaradas dos EUA

Passar o verão viajando em busca das mais belas paisagens ensolaradas é um sonho, não é? E se não precisar pagar por nenhuma despesa, incluindo meios de transporte, acomodações ou alimentação? E ainda receber 10 mil dólares (cerca de 35 mil reais) para isso? Parece bom demais para ser verdade, não é?

Mas acredite: é real. A rede de hotéis norte-americana Days Inn está em busca de um(a) fotógrafo(a) amador(a) que tope participar dessa difícil aventura. A ideia é que a pessoa selecionada viaje por várias cidades ensolaradas dos EUA, registrando imagens que serão exibidas no site, mídias sociais e até nas paredes dos hotéis da rede.

A programação das férias dos sonhos inclui um passeio de balão, tirolesa, yoga ao amanhecer em San Diego e uma viagem de veleiro sob o pôr do sol de Miami. A viagem está marcada para os meses de julho e agosto, durante o verão do hemisfério norte.

Só há um porém: apesar de aceitar candidatos estrangeiros, é preciso ter residência nos EUA para aplicar à vaga. Além disso, só pessoas com mais de 21 anos são aceitas. Se você se encaixa nas exigências, acesse o site, envie sua foto favorita tirada ao ar livre e explique em até 100 palavras por que você é a pessoa perfeita para a vaga.

As inscrições ficam abertas até o dia 20 de maio.

Fotos: Divulgação/Days Inn/fonte:via