Fotógrafo pelado registra a reação dos retratados à sua nudez

Trevor Christensen

Fotos de nus artísticos aparecem aos montes por aí, mas o fotógrafo Trevor Christensen arriscou mudar um pouco a maneira como esse conceito é aplicado…

Em sua série Nude Portraits, Trevor é quem tira a roupa para ver qual será a reação das pessoas fotografadas por ele.

Eu sou uma pessoa que se sente confortável tirando fotos, ajudando o fotografado a se sentir confortável ao ter sua foto tirada. E se eu me tornasse um fotógrafo que estivesse desconfortável fazendo as fotos, fotografando uma pessoa que estivesse desconfortável de maneira similar?“, disse ao Bored Panda.

Uma das coisas que notou durante o processo foi que, à medida que se sentia mais confortável fotografando nu, as pessoas também ficavam mais à vontade.

Ao todo, foram cerca de cinquenta ensaios para compor a série.

Vem ver alguns dos cliques mais emblemáticos abaixo:

Trevor Christensen

Trevor Christensen

Trevor Christensen

Trevor Christensen

Trevor Christensen

Trevor Christensen

Para saber mais sobre o trabalho de Trevor, siga o fotógrafo no Instagram e não perca este documentário sobre o projeto.

Fotos: Trevor Christensen /fonte:via

Anúncios

Para combater estereótipos, pitbulls ganham coroas de flores

Como muitas pessoas, Sophie Gamand nem sempre foi a maior fã de pitbulls. Como fotógrafa voluntária de abrigos de animais, ela costumava ficar tensa sempre que via um. E então algo mudou. Em 2014, a fotógrafa de Nova York decidiu confrontar seu medo e assumir um projeto que a forçaria a interagir com os pit bulls, relata o My Modern Met.

Inicialmente, ela queria ver por si mesma se os pitbulls eram realmente tão perigosos quanto as pessoas dizem que são – e o que ela aprendeu a surpreendeu.

Ela “descobriu a natureza doce e gentil dos pitbulls e como eles são obedientes e ansiosos para agradar”, disse Gamand ao site. “Eles são patetas, amorosos e muito ligados às pessoas”, relata.

Equipada com sua nova mentalidade, ela decidiu fotografar os cães individualmente com coroas de flores coloridas adornando suas cabeças na esperança de desafiar a percepção do público sobre a raça. E funcionou.

Gamand diz que a equipe de abrigos de animais frequentemente diz a ela que suas fotos, publicadas nas redes sociais com uma breve descrição da personalidade de cada cão, já salvaram inúmeros cães da eutanásia e ajudaram muitos outros a encontrar lares para sempre. “Elas ajudaram os cães a serem adotados, que tinham zero interesse por meses ou até anos”, diz ela.

Nos últimos anos, ela fotografou mais de 400 pitbulls e suas imagens serão publicadas em um futuro livro intitulado Pit Bull Flower Power: The Book. Será lançado em outubro para o Mês de Conscientização do Pitbull.

Ela diz que o estereótipo dos pit bulls sendo excessivamente agressivo é “completamente infundado”, acrescentando que a genética tem pouca ou nenhuma influência na personalidade de um cão. O que faz a diferença, no entanto, é o cuidado e o treinamento adequados, e é por isso que ela está dedicando o trabalho de sua vida para ajudar os cães a encontrar lares amorosos.

Quem aguenta essa fofura?

Além disso, os cães adoram as sessões de fotos. “Estes são todos cães de abrigo que passam a maior parte do tempo em uma gaiola”, diz Gamand. “Eles são tão felizes por toda a atenção, prazeres e amor que recebem nas filmagens. Eles amam nada mais do que ser bons meninos e meninas – aprendendo truques, sentados para conseguir um biscoito. É o momento especial deles. esforço de equipe entre o manipulador, o cachorro e eu mesmo “.

Suas fotos se espalharam por todas as redes sociais, e agora ela recebe pedidos para visitar abrigos de animais em todo o mundo, da Índia ao Kuwait e à China. Antes do Pit Bull Flower Power, o primeiro livro de Gamand, o Wet Dog – que apresenta cães molhados adoráveis ​​- foi publicado em 2015.

Continue rolando para ver mais da série Flower Power da Gamand e confira este projeto e outros em sua página do Instagram e website:

Fotos: Sophie Gamand/fonte:via

Se você tem medo de palhaços, não veja esse ensaio que um garoto fez com seu irmão caçula

Há algo especialmente sinistro sobre os palhaços, que faz com que muitas pessoas vejam na felicidade perpétua, no sorriso sempre estampado, na alegria exagerada e infantil um verdadeiro pesadelo. Nenhuma obra encarnou tão bem a Coulrofobia, ou fobia de palhaços, como o livro It (A Coisa, em português), de Stephen King – levado aos cinemas duas vezes, uma primeira em 1990 e outra agora, em 2017.

O It de 1990 e o de 2017  

Foi inspirado no pavor provocado pelo palhaço Pennywise que o americano Eagan Tilghman, de 17 anos, realizou um ensaio fotográfico estrelado por seu irmãozinho Louie, de 3 anos. Se você tem fobia de palhaço, essa matéria não é pra você.

A inspiração para o ensaio foi a versão 2017 de Pennywise, mas o espírito é universal: o lado sombrio que os palhaços parecem sempre sugerir, sublinhado ao máximo do pavor. Como crianças podem também ser assustadoras, o medo aqui é dobrado. A produção e a maquiagem foi toda realizada pelo próprio Eagan – e o resultado é tão incrível que até o diretor do remake cinematográfico, Andy Muschietti, curtiu no Instagram.

Eagan e seu irmãozinho Louie

 

© fotos: Eagan Tilghman/fonte:via