Jovem aplica tonalizante, tem reação alérgica e cabeça dobra de tamanho

Estelle é uma jovem inglesa de 19 anos, que tomou um susto enorme depois de usar um tonalizante para os cabelos. De repente, ela viu sua cabeça aumentar de tamanho por causa de uma reação alérgica.

O inchaço na cabeça se deu pela ação de um agente químico chamado P-fenilenodiamina, ou PPD — produto encontrado em 90% das tintas para fios. “Eu quase morri, não quero que o mesmo aconteça com outras pessoas”, explicou.

A tinta foi comprada em um supermercado de Paris, onde ela vive atualmente. Estelle conta que os primeiros sinais de anomalia surgiram pouco tempo depois da aplicação do produto. O couro cabeludo começou a coçar muito e o inchaço se agravou rapidamente.

Assustada, ela comprou pomadas e cremes, mas não teve sucesso. “Eu ainda conseguia enxergar, mas estava tendo dificuldades para respirar. Minha testa dobrou de tamanho e minha cabeça parecia uma lâmpada”.

A cabeça de Estelle quase dobrou de tamanho

Ela buscou atendimento no hospital mais próximo e os médicos disseram que sua cabeça tinha uma circunferência de 63 centímetros. A média é de 56. A reação química pode ter sido gerada pelo não cumprimento das instruções. Ao invés de esperar as 48 horas indicadas, Estelle aguardou apenas 30 minutos para aplicar o produto.

A mãe da jovem acredita que deveriam haver instruções mais claras sobre os riscos. “É verdade, ela não seguiu as instruções, mas o alerta precisa ser mais claro”.

Fotos: Reprodução fonte:via

Anúncios

Fotógrafa transforma piscina e nadadoras em arte surrealista com pitada de Wes Anderson

Os fotógrafos costumam se especializar em um tipo de fotografia. Se alguns possuem um talento natural para clicar paisagens, enquanto outros preferem fazer retratos, não seria diferente com Maria Svarbova, fotógrafa baseada na Eslováquia, que é conhecida por retratar piscinas.

A artista, que gosta de fotografar espaços públicos do século 20, possui uma estima especial pela arquitetura socialista, que traz toda uma estética retrô minimalista, que se comunica muito bem com as técnicas digitais que ela usa para compor suas séries.

Misturando cores fortes e detalhes com artimanhas como clonar digitalmente o mesmo retrato em uma única composição, ela consegue criar uma arte enigmática, incomum e surrealista, algo que nos remete naturalmente à estética dos maravilhosos filmes de Wes Anderson. Não tem como ficar indiferente!

Fotos: Maria Svarbova /fonte:via