Esta ministra foi de bicicleta até o hospital para dar à luz

A Nova Zelândia é realmente um lugar de mulheres inspiradoras. Primeiro, o país da Oceania elegeu a chefe de governo mais jovem do mundo. Como se não fosse suficiente, Jacinda Ardern se tornou a primeira ocidental a dar à luz enquanto está no poder.

A estrelinha da inspiração desta vez vai para Julie Anne Ganter, que na 42ª semana de gravidez, pedalou até hospital para o nascimento de seu filho. A Ministra para as Mulheres foi atendida por uma parteira no centro médico de Auckland – maior cidade do país – e publicou um texto sobre a experiência na página do Instagram.

“Estamos muito felizes em anunciar a chegada do nosso filho. Depois do longo trabalho de parto, passamos por um procedimento tranquilo e prático. Queremos agradecer aos funcionários do hospital e a todos que nos apoiaram”, encerrou.  

Com carreira centrada no ambientalismo e no uso da bicicleta como meio de transporte, Julie decidiu pedalar por volta de 1 quilômetro de sua casa até o hospital municipal para destacar suas propostas de políticas públicas. A história repercutiu positivamente entre os veículos de comunicação e nas redes sociais.

A primeira-ministra neozelandesa Jacinda Ardern, que acaba de retornar ao trabalho depois de seis semanas, aproveitou para elogiar a atitude da colega. A Ministra para as Mulheres vai tirar três meses de licença.

“Muito feliz em saber da chegada de um novo integrante ao grupo de brincadeiras do Parlamento. Espero que aproveite os primeiros dias muito especiais”, publicou no Twitter.

Foto: Reprodução/fonte:via

Foto de recém nascido cercado por coração de seringas viraliza pelo melhor motivo

Quando uma foto diz mais do que mil palavras, não é apenas o trabalho do fotógrafo que é capturado pelas lentes, mas toda uma história que tornou aquele registro possível.

É o caso da fotografia da pequena London O’Neill, que viralizou na internet ao mostrar que o amor não tem fronteiras.

Tudo começa com a história de Patricia e Kimberly O’Neill. As duas se conheceram há seis anos e começaram um relacionamento. Elas já tinham filhos de relações anteriores, mas decidiram que queriam tentar ter um filho juntas.

A princípio, não parecia nada tão complicado. Patricia e Kimberly precisariam apenas ir a uma clínica de fertilização e esperar pelo resultado, certo? Isso não poderia estar mais longe da realidade que elas enfrentariam.

Foram necessários quatro anos, sete tentativas e três abortos espontâneos antes de que London nascesse. Patricia, que havia escolhido carregar o bebê, descobriu que sofria de Fator V de Leiden, uma doença genética que aumenta a incidência de abortos.

Durante o processo, a futura mamãe levou um total de 1.616 injeções na busca de controlar a condição e conseguir levar a gravidez adiante. Além das injeções necessárias para a fertilização in-vitro, ela precisou tomar duas doses injetáveis diárias de anticoagulantes. Cada uma das agulhas foi guardada até o nascimento da criança para, então, serem usadas nesta incrível composição, clicada pela Packer Family Photography.

As poderosas vencedoras deste concurso de fotografias de nascimentos

Em 2013, Jennifer Mason e Monet Nicole criaram a comunidade Birth Becomes Her com o objetivo de oferecer recursos para fotógrafos de maternidade e futuros pais. O projeto cresceu e já ajudou centenas de fotógrafos a melhorar suas habilidades na área. Este ano, um concurso de fotografias de maternidade foi lançado pelo grupo – e o resultado são fotos que mostram todo o esplendor de ser mãe.

Ao todo, foram criadas cinco categorias, cada uma contando com primeiro, segundo e terceiro lugar, além de uma escolha do público. São elas: maternidade, trabalho de parto, nascimento, pós-parto e amamentação. Com cerca de 1.000 participantes de diversas partes do mundo, estas são as fotos vencedoras em cada categoria.

1º Prêmio – Geral

1º Lugar – Nascimento

1º Lugar – Amamentação

1º Lugar – Pós-Parto

1º Lugar – Trabalho de Parto

1º Lugar – Maternidade

Para ver o restante das ganhadoras de cada categoria, clique aqui.

 

Créditos: legendas nas fotos/fonte:[via]

O assustador álbum de maternidade dessa mulher rodeada por um enxame de abelhas foi feito por um bom motivo

Se você encontrasse uma mulher grávida com o corpo coberto de abelhas, provavelmente sairia correndo para chamar alguém que pudesse resgatá-la. Mas, no caso de Emily Mueller, a companhia dos insetos foi opcional e fez parte de seu álbum de maternidade.

A escolha foi por um bom motivo: Emily e o marido são responsáveis pela empresa Mueller Honey Bee, que vende mel e tem como objetivo “salvar as abelhas“. Com remoção e relocação de enxames encontrados em lugares indesejados, a empresa resgata abelhas na região de Ohio, nos Estados Unidos.

Graças a isso, o ensaio fotográfico contou com a participação de “algumas” abelhas resgatadas por Emily. De acordo com o site Cleveland, cerca de 20 mil insetos participaram da cena. As imagens foram registradas pela fotógrafa Kendrah Damis, que viu seu trabalho se tornar viral após ser publicado no Facebook.

Para que as abelhas ficassem próximas à sua barriga, Emily segurou um recipiente com a abelha-rainha próximo ao ventre – dessa forma, o restante do enxame à seguiria. Além disso, os animais foram alimentados antes do ensaio fotográfico, o que tornaria mais difícil para eles picarem a futura mamãe. Mesmo assim, Emily foi picada quatro vezes durante a realização das imagens, mas ressaltou à People que ainda não há pesquisas que indiquem qualquer efeito negativo de picadas de abelhas em fetos.

 

Todas as fotos © Kendrah Damis/fonte:via