As impactantes fotografias vencedoras do concurso Environmental Photographer 2018

O impacto do homem na natureza é coisa séria e precisa ser tratado abertamente. Estamos contribuindo para destruir os oceanos, aumentar o aquecimento global e exterminar diversas espécies. Porém, falar nem sempre é a melhor solução, já que uma imagem vale mais do que mil palavras. É por isso que, nos últimos anos, diversos concursos fotográficos vêm sendo organizados, com o objetivo de nos alertar sobre isso e, quem sabe, reverter a situação.

O concurso Environmental Photographer of Year existe desde 2007 e, é uma das premiações mais importantes de fotografia ambiental, organizado pela Chartered Institution of Water and Environmental Management (CIWEM), do Reino Unido.

Neste ano, fotógrafos de 89 países participaram do concurso e, o resultado é chocante e assustador. Conscientizando as pessoas de que precisamos mudar, as fotografias mostram desde uma criança sentada em uma terra completamente seca e morta, até escombros de um terremoto que matou mais de 600 pessoas, no Irã.

Foto 1: Saeed Mohammadzadeh

Foto 2: Chinmoy Biswas

Foto 3: Younes Khani Someeh Soflaei

Foto 4: Fardin Oyan

Foto 5: Ümmü Kandilcioğlu

Foto 6: Antonio Aragón Renuncio

Foto 7: Tapan Karmakar

Foto 8: Calvin Ke

Foto 9: Thigh Wanna

Foto 10: Jing Li /fonte:via

Homem de 66 anos descobre que é mulher após visita ao médico

Uma cidadã de Hong Kong que viveu os 66 anos de sua vida como homem descobriu em uma consulta médica que na verdade é uma mulher, informa a agência AFP.

A paciente visitou os médicos para tratar de um inchaço no abdomên. Eles descobriram que o problema era provocado por um grande cisto no ovário, segundo o jornal de medicina de Hong Kong.

A condição do paciente decorre de duas raras desordens genéticas: a Síndrome de Turner, que afeta os cromossomos de mulheres e tem como efeitos infertilidade e baixa estatura, e a Hiperplasia Adrenal Congênita, que aumenta os hormônios masculinos de uma paciente e faz com que ela pareça um homem. A mulher tinha barba e um micropênis.

A paciente tem 1,37 de altura e parou de crescer aos 10 anos. Segundo médicos ouvidos pela AFP, há apenas seis casos registrados na literatura médica em que um paciente possuía as duas desordens.

Apesar do diagnóstico, ela decidiu que continuará a ser vista como um homem.