Holandês transforma alimentos desperdiçados em incríveis salgadinhos impressos em 3D

biscoitos 3d (Foto: Divulgação)

Infelizmente, cerca de um terço da comida do mundo é perdida ou jogada fora todos os anos, o que significa que mais de 1,6 toneladas de alimentos deixam de alimentar quem precisa. Um dado triste e alarmante, que abre espaço para diferentes questionamentos. Foi com o objetivo de combater este imenso desperdício, que o holandês Van Doleweerd se uniu à empresa de tecnologia 3D China Food Company, transformando alimentos que seriam jogados no lixo, em incríveis lanches impressos em 3D.

Foi durante sua graduação de Design Industrial, na Universidade de Tecnologia de Eindhoven – Holanda, que ele começou a estudar diferentes maneiras de diminuir o desperdício, criando assim o conceito de alimento sustentável. Muitos alimentos são jogados no lixo por causa da aparência e textura, o que não é justificável, já que eles mantêm sua função primordial, que é a de nutrir.

A base para os biscoitos é feita de arroz, que existe em abundância na China e, após criar uma pasta, adiciona-se frutas e legumes desperdiçados (sem estarem contaminados), para que o biscoito ganhe cores vibrantes. Depois da pasta estar pronta, ela é inserida na impressora 3D, que fará formas geométricas comestíveis e sustentáveis, contendo até 75% de resíduos alimentares em sua composição.

https://s2.glbimg.com/kbBjrZcNHa_A4AMc6_MHNwReanQ=/620x345/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2018/10/19/3d-food-printing-china_dezeen_hero3-852x479.jpg

Porém, logo depois do biscoito ser impresso ele será completamente desidratado, para que atenda os padrões de higiene e segurança alimentar. O resultado é um salgadinho que pode ter diversas cores, sabores e, até mesmo uma versão vegana.

Fotos: Elzelinde Van Doleweerd /fonte:via

Primeira vila de casas feitas com impressão 3D está prestes a ficar pronta na Holanda

A Holanda parece estar sempre na frente quando o assunto é ter uma vida mais sustentável.

Depois de se tornar o país das bicicletas, ele também deverá abrigar a primeira vila feita apenas com casas impressas em 3D. As construções do estilo utilizam menos materiais e, portanto, tendem a ser mais ecológicas do que empreendimentos convencionais.

As moradias serão localizadas em Bosrijk, um vilarejo em Eindhoven. Inicialmente, cinco residências serão contruídas como parte de um projeto apelidado de Milestone.

Para mostrar a flexibilidade da tecnologia, cada casa será feita com um formato e tamanho diferente. Além disso, cada residência será construída após o término da anterior, de forma que os arquitetos possam aprender com os erros do processo. Estima-se que os primeiros moradores poderão se mudar para o bairro futurista já no próximo ano.

De acordo com o Ciclo Vivo, este é o primeiro programa de habitação comercial do mundo que utiliza a tecnologia de impressão de concreto em 3D. A iniciativa está sendo desenvolvida por diversas empresas em parceria com a Universidade de Tecnologia de Eindhoven e o Município de Eindhoven.

Fotos: Reprodução/fonte:via