Este garotinho fundou seu próprio banco com 7 anos de idade e hoje o negócio prospera

Vivemos em um mundo cheio de possibilidades e, talvez por isso, algumas pessoas têm tanta dificuldade em escolher suas profissões. Não é fácil decidir o que fazer pelo resto da vida diante de tanta oferta e tantos questionamentos, porém, este não é o caso de Jose Adolfo Quisocala Condori, um garoto peruano, de 13 anos de idade.

Quando tinha apenas 7 anos, teve uma ideia que mudou completamente sua vida e das crianças de sua comunidade, criando um banco de poupança, que hoje já atende mais de 2000 crianças. A ideia surgiu quando ele percebeu que seus colegas gastavam toda a mesada em doces e brinquedos, sem guardar nada para compras mais significativas ou, simplesmente por guardar. Seguindo o exemplo de sua família, que sempre poupou dinheiro para as horas mais difíceis, Jose encontrou a fórmula perfeita para o seu empreendimento, na reciclagem.

O Bartselana Student Bank, foi fundado em 2012, em sua cidade natal – Arequipa – no Peru e, funciona com uma mentalidade de troca. Sua instituição só atende crianças, que podem se tornar clientes quando entregam pelo menos 5 kg de lixo reciclável. Para continuar sendo membro do banco, é preciso entregar, no mínimo, 1 kg de lixo todos os meses.

Ao abrir a conta, o banco e a criança estipulam uma meta de poupança e o dinheiro só poderá ser retirado quando a meta for atingida. Para garantir que somente as crianças se beneficiem deste dinheiro, somente elas podem fazer saques, nem mesmo os pais estão autorizados.

Entre 2012 e 2013, o Bartselana Student Bank coletou 1 tonelada de material reciclável e gerou economia para 200 crianças na escola de Jose. O sucesso é tanto, que hoje diversos bancos procuram o jovem para fecharem parcerias e, seu banco oferece cada vez mais serviços, como seguros, empréstimos e investimentos. O que o inspira é que as pessoas saibam administrar seu dinheiro desde a infância, para que no futuro não tenham maiores problemas.

Anúncios

ICQ, MSN e telefone fixo: museu reúne acervo com sons da sua infância

A máxima do tempo ser implacável é um fato mais do que sabido. Todavia, a percepção de sua passagem é um fato muito mais complexo de lidar. Pense bem, desde a virada do século (quase há 20 anos) muitos equipamentos tecnológicos que fizeram parte da vida de gerações, não são mais úteis.

Na verdade, objetos como telefone fixo e a máquina de escrever estão praticamente extintos. Pergunte para um adolescente se ele tem ideia do que era viver sem conexão com a internet ou ouvir música no rádio. Com algumas poucas exceções, a resposta será negativa.

Para preservar o ruído de itens agora quase obsoletos, o Museum of Endangered Sounds recolheu em um site mais de trinta sons em perigo de extinção. O objetivo do corpo curatorial é preservar lembranças auditivas e surgiu a partir da reunião de três publicitários norte-americanos.

Phil Hadad, Marybeth Ledesma e Greg Elwood encontraram um meio de alimentar a nostalgia saudável de quem assiste seus aparelhos favoritos sendo substituídos por novas máquinas. Finalmente estamos entendendo nossos pais.

O acervo do museu conta com o som do toque do telefone sem fio, os efeitos sonoros da digitação numa máquina de escrever, o tema do Windows 95 e até o ruído do bichinho virtual. Nós separamos mais alguns pra você revisitar tempos que não voltam mais.

Notificação de mensagem do MSN

Toque do celular Nokia

Som da Internet discada

Windows 95

Som do ICQ

Som do Yoshi

Som caixa registradora

Som do orelhão

Fita cassete rebobinando

Foto: Reprodução/fonte:via

Ela classificou personagens da cultura pop em cores e esse é o resultado

A paixão de Linda Bouderbala por desenhar começou logo que ela aprendeu a segurar lápis e canetas. Diretora de arte numa agência de publicidade francesa, um de seus hobbies preferidos é revisitar os personagens preferidos da infância de forma criativa.

Um de seus últimos projetos foi agrupar personagens de diferentes formatos e origens, mas que têm cores em comum, para ver como os tons interagem entre si. Você é capaz de identificar todos os heróis (ou vilões) retratados? E qual time seria o seu favorito?

Time Preto

Time Azul

Time Branco

Time Roxo

Time Laranja

Time Verde

Time Rosa

Time Amarelo

Imagens via Linda Bouderbala /fonte:via

Artista ilustra as doces memórias de sua infância e o resultado vai te emocionar

O artista ítalo-inglês Omario2d faz sucesso por suas ilustrações capazes de transmitir emoções e nos transportar para lugares imaginários ou guardados na memória.

Embora a infância de cada um tenha dezenas de particularidades, também há lembranças que muita gente compartilha. É difícil pensar em alguém que não se identificaria com ao menos uma das ilustrações que Omario criou inspirado em suas próprias infância e adolescência.

Se quiser acompanhar o trabalho de Omario você pode segui-lo no Instagram ou no Facebook, ou até mesmo comprar suas artes no Etsy.

Imagens: Reprodução/Omario2d /fonte:via

Ela fotografou crianças curtindo o verão bem longe da tecnologia

Segundo a polonesa Elwira Kruszelnicka, tudo em sua vida se tornou mais rico depois que ela conheceu a fotografia. A paixão se tornou profissão, e ela gosta de dizer que costuma clicar intuitivamente, muitas vezes se sentindo como uma criança com um brinquedo.

Um de seus trabalhos mais recentes, Just Summer, ela captou a diversão de seu filho e amigos ao curtir o verão longe da tecnologia. “Amo o sol, a água e o contato com a natureza, especialmente no verão”, descreve. “Esse período me lembra de uma infância despreocupada, quando absorvíamos o momento sem preocupações com a vida adulta”.

Elwira conta ainda que passou anos observando a diversão das crianças através das lentes, admirando a capacidade que elas têm de mergulhar no que estão fazendo, se esquecendo de todo o resto, inclusive da câmera que as acompanha.

“O verão acaba rápido e a felicidade desses momentos nos trará saudades pelo resto da vida”, conclui.

 

Fotos © Elwira Kruszelnicka /fonte:via

Garoto de 4 anos pede e ganha festa de aniversário com seus ‘heróis’ da limpeza urbana

Adultos separam pessoas por ‘castas’ e elegem aqueles que supostamente tem mais ou menos valor de acordo com a profissão que possuem. Felizmente as crianças são seres bem mais evoluídos e conseguem enxergar os seres humanos de uma maneira bem mais justa.

Em Salvador, na Bahia, o pequeno Miquéias Jr., de 4 anos, elegeu como seus super-heróis favoritos um trio inusitado. Para ele, Superman, Homem Aranha ou Batman não estão no páreo, mas sim Zoião, Titcha e Gago. Se você nunca ouviu falar é porque estes são os apelidos dos garis Marcos Gomes, Ubirajara Fagundes e Raimundo Nonato, ídolos do garotinho.

Todos os dias, quando o caminhão da limpeza urbana passa pela rua onde o menino vive com a família, o trabalho dos profissionais é observado atentamente. A admiração de Miquéias pelos homens a quem chama de ‘seus colegas’ é tamanha, que quando o aniversário do pequeno estava se aproximando ele encasquetou: “Mãe, quero uma festa do lixo!”.

E não teve ninguém que conseguiu tirar a ideia da cabeça do menino. O jeito foi fazer sua vontade. Sua mãe enviou uma carta para a Limpurb (empresa de limpeza urbana) “até que conseguiram a decoração, um uniforme igual ao dos colegas e ainda trouxeram um caminhão de verdade para ele ver”, contou.

Zoião, Titcha e Gago compareceram à festa que também teve papeleiras, baldes de lixo e outros objetos utilizados para limpeza  na decoração para ficar do jeitinho que o pequeno queria. Ele também ganhou uma bicicleta e um mini caminhão compactador de lixo.


Fofura!

 

Imagens: Divulgação/fonte:via

Presente de aniversário? Menino de 12 prefere dar 500 kg de ração para abrigo de animais

Crianças geralmente pedem de presente de aniversário coisas como videogames, tablets ou celulares, mas existem criaturinhas como Valentin Bruschi, que possuem um nível de maturidade – ou evolução mesmo – surpreendente para a idade. Quando completou 12 anos, em dezembro de 2017, pediu ração para doar a um abrigo de animais na cidade em que vive, em Maceió, Alagoas.

Então, ao invés de brinquedos, todos os amigos e familiares do menino atenderam ao seu pedido e juntos conseguiram arrecadar 500 kg de ração. Todo alimento foi doado ao abrigo Pata Voluntária, instituição que ajuda animais em situação de risco.

O estoque da instituição, que cuida de cerca de 300 animais, ficou cheio e foi suficiente até mesmo para doar para outras ONGs parceiras do projeto.

A família de Valentin vai doar um novo sistema de segurança para o abrigo, pois há pouco tempo o local foi invadido e, além de ter objetos furtados, vários animais acabaram sendo covardemente agredidos pelos bandidos.

No momento, o menino está fazendo uma campanha para conseguir encontrar um lar para um cachorro que encontrou na rua e vem sendo cuidado por ele em sua casa. Seu grande sonho é se tornar veterinário para ajudar animais em dificuldade.

Confira a entrevista que Valentim concedeu à TV Pajuçara aqui.

 

Imagens: Reprodução/fonte:[via]