Artista espalha provocativas esculturas urbanas feitas com manequins

A arte urbana é uma das formas de expressão mais incríveis que existem, pois além de tudo é democrática. Ninguém precisa pagar entrada para ver um grande mural de grafite, uma poesia no muro ou, qualquer outra forma de arte que esteja nas ruas de uma cidade. Neste contexto, o artista norte americano, Mark Jenkins é especialista em espalhar sua arte pelas cidades do mundo inteiro.

Com diversas instalações, em cidades como Rio de Janeiro, Barcelona, Londres e Washington, ele utiliza manequins e os posiciona em lugares estratégicos, como telhados, latas de lixo ou até mesmo sentados em algum lugar público. Uma arte completamente inesperada, que faz qualquer cidade ficar mais interessante.

Muitas vezes, ele utiliza materiais encontrados no lixo, como o plástico. Coincidentemente (ou não!) tudo começou em uma viagem ao Rio de Janeiro, quando usou os lixões da cidade maravilhosa como fonte de pesquisa e, sobretudo de material.

Sua última série, em que mistura manequins humanizados com instalações de plástico, recebeu o nome de “Glazed Paradise”. Eu não sei você, mas eu gostaria muito de cruzar com uma destas instalações de Mark em meu caminho!

Fotos: Mark Jenkins /fonte:via

Anúncios

Poderosa série de instalações mergulha na vida dos refugiados

DSC_7831 edited white (1).jpg

Já não é de hoje que o mundo vive uma grave crise humanitária, que tem forçado milhares de pessoas a se refugiarem em outros países. Se ser imigrante em condições normais já não é simples, imagina então como deve ser quando as pessoas são obrigadas a deixar casa e família, para fugir da guerra? É sobre isso que fala a série de instalações UNPACKED: Refugee Baggage, do artista e arquiteto, Mohamad Hafez, de origem síria.

DSC_7778 (1).jpg

Baseado em New Haven – Connecticut, ele vem colecionando sucata e objetos encontrados aleatoriamente para constituir paisagens e construções do Oriente Médio. Com a ajuda de Ahmed Badr – refugiado iraquiano, o objetivo é trazer um questionamento ácido, sobre as tristezas e perdas destas pessoas e todas as dificuldades causadas pelas guerras.

DSC_7788 (2).jpg

Para desenvolver sua série, Mohamad se inspirou em testemunhos em áudio de refugiados do Afeganistão, Congo, Síria, Sudão e Iraque. Uma arte que não é fácil, porém a intenção é exatamente esta, afinal, chega de guerras, não é mesmo?

DSC_7794 (2).jpg

DSC_7796 (2).jpg

DSC_7783.jpg

DSC_7811.jpg

DSC_7817 (3).jpg

DSC_7818 (2).jpg

DSC_7839.jpg

DSC_7855.jpg

Fotos: Mohamad Hafez /fonte:via