Atlas reúne mapas de grandes obra da literatura, com ‘Senhor dos Anéis’ e ‘On The Road’

Se na maior parte dos clássicos da literatura são os personagens, o enredo e as reviravoltas que formam o espírito do livro, em algumas obras um outro elemento se destaca como parte determinante de uma história: o lugar. Basta pensar na Terra Média das história de J. R. R. Tolkien para entender que, em certos casos, o cenário onde o livro se dá é tão importante quanto a própria aventura em si – como um personagem protagonista. Um novo livro, intitulado The Writer’s Map (ou O Mapa do Escritor, em tradução livre) reúne justamente aos apaixonados pela literatura literalmente o mapa de tais lugares – os mapas desenhados de diversos cenários imortais da literatura.

Capa do livro O Mapa do Escritor

Entre o mapa de A Ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson, de Walden Pond, imortalizado no clássico Wolden ou A vida nos Bosques, de Henry David Thoreau, e ainda de Utopia, de Thomas Moore ou a rota de On The Road, de Jack Kerouac, o livro reúne também ensaios e escritos sobre o tema.

Acima, o mapa da rota de On The Road; abaixo, Walden Pond, de Henry David Thoreau

Diversos mapas foram feitos pelos próprios autores e publicados nos livros originais, outros permaneceram secretos por décadas no arquivo pessoal dos escritores, enquanto foram feitos posteriormente, por ilustradores que se debruçaram na própria história.

Mapa de The Swiss Family Robinson, de Johann David Wyss

Mapa de The Magicians, de Lev Grossman

Mapa de A Ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson

Trata-se de uma verdadeira tradição literária, explorada e ilustrada pelo livro. Da realidade à pura imaginação, o estabelecimento de universos imensos e complexos pelos autores é literalmente um mundo à parte do nosso amor por tais livros – um mundo que merece ser devidamente explorado, de mapa em punho e coração na leitura.

Rascunho de Abi Elphinstone

© fotos: reprodução/fonte:via

Anúncios

Esses 10 dos destinos mais misteriosos, aterrorizantes e proibidos do planeta

Tudo que é proibido parece mais gostoso, nada atiça mais nossas curiosidades do que um bom mistério, e conhecer novos lugares é um dos maiores prazeres da vida. Essas três verdades se misturam em um bomba atômica de curiosidade diante de alguns dos lugares mais misteriosos, interessantes e proibidos do mundo. Alguns deles são simplesmente impossíveis de serem visitados, enquanto outros colocam a vida dos visitantes em risco no instante em que lá se pisa. A viagem para saciar tais desejos pode ser, afinal, realmente perigosa.

Se desejar conhecer esses locais para os curiosos de plantão é inevitável, realizar tal desejo de fato é radicalmente não recomendado. Por aqui, no entanto, a visita é permitida. Prepare sua curiosidade e coragem virtual, pois aqui estão alguns dos mais misteriosos, perigosos e proibidos locais do planeta – a viagem é por sua conta e risco.

1. Ilha Sentinela do Norte

Localizada na baia de Bengala, na Índia, essa pequena e paradisíaca ilha é habitada pelos Sentineleses, uma população nativa entre 40 e 500 indivíduos. Sem qualquer contato com o mundo dito “moderno”, os sentineleses já mataram dois pescadores que tentaram se aproximar. A aproximação à ilha é proibida pelo governo indiano, e pelo que demonstrou a população, a sentença de uma visita pode mesmo ser a morte.

2. Portal de Plutão

Segundo a mitologia greco-romana, o Portal de Plutão, local na Turquia onde se adorava esse deus da morte, era uma espécie de passagem para a outra vida, ou mais precisamente para o inferno. Acontece que a descrição mítica nesse caso era de fato literal e verdadeira, e não somente um mito: quando foi descoberto, em 1965, cientistas perceberam que a alta concentração de dióxido de carbono faz com que o local, durante a noite, seja capaz de envenenar à morte animais de pequeno porte e crianças. Durante o dia, no entanto, o sol dissipa o gás e o local se torna seguro.

3. Ilha de Poveglia

A ilha mais assombrada do mundo fica na Itália, e o mistério e pavor ao seu redor vem desde tempos realmente antigos. Durante o império romano, Poveglia foi utilizada como local para isolamento de infectados com a peste, assim como para carbonizar e enterrar os mortos pela doença. Na era medieval, quando a peste retornou, a ilha também voltou à sua função original, tornando-se casa e tumba para milhares de contaminados ou mortos. Foram tantos os incinerados e enterrados por lá que a lenda ao redor de Poveglia sugeria que metade do solo do local era composto de cinza humana. Em 1922 um hospital psiquiátrico foi fundado no local – e o clima por lá provavelmente não ajudou à saúde mental dos pacientes. Reza a lenda que ainda é possível encontrar ossos humanos pelas matas ou costas da ilha, e a visita à ilha é irrestritamente ilegal.

4. Ilha da Queimada Grande

A presença brasileira nessa lista medonha fica por conta da Ilha da Queimada Grande, única casa em todo o planeta da Jararaca-ilhoa, um tipo de cobra de veneno potente que só existe no local e que se adaptou e se multiplicou de tal forma por lá que estima-se que exista uma serpente por metro quadrado na ilha. Localizada a 35km do litoral de São Paulo, o acesso pela população geral é totalmente proibido, sendo permitido somente aos analistas ambientais do Instituto Chico Mendes. A ilha já foi escolhida como “o pior lugar do mundo para se visitar”, e é reconhecida como o maior serpentário natural do mundo.

5. Zona de exclusão de Chernobyl

Com nome oficial de Zona de Alienação da Usina Nuclear de Chernobyl, a zona ao redor do local onde aconteceu o maior desastre nuclear da história, em 1986, próximo de onde hoje fica a cidade fantasma de Pripyat, ao norte da Ucrânia. Com cerca de 2600 quilômetros quadrados ao redor de onde ficava a usina, os níveis de contaminação por radiação no local ainda são altos, e o acesso ao público é de modo geral proibido. Trata-se, afinal, de uma das áreas mais contaminadas do mundo, o que tornou o local um imenso cenário fantasma.

6. Área 51

O mais famoso local proibido e misterioso do mudo é provavelmente a Área 51, uma instalação militar localizada no estado de Nevada, nos EUA. A utilização e função do local é desconhecida e sigilosa, e a suposição oficial sugere que sirva como ponto de desenvolvimento e teste de aeronaves e sistemas de armas e defesa experimentais. O sigilo profundo com relação ao lugar fez se desenvolverem ao longo da segunda metade século XX um sem-fim de teorias da conspiração e folclore sobre a Área 51 ser, em verdade, local onde o governo guardaria e estudaria OVNIs e ETs encontrados pelo exército americano. O acesso ao local é proibido, assim como são confidenciais as informações a seu respeito.

7. Zona de Exclusão de Fukushima

Quando, em 2011, o acidente na Usina Nuclear de Fukushima aconteceu, os moradores da região tiveram de abandonar tudo com urgência, largando literalmente tudo como estava, fundando assim uma região fantasma com cerca de 30 km ao redor da usina. O acesso ao local hoje é completamente proibido, ainda que o fotógrafo Keow Wee Loong o tenha visitado e fotografado o local. Trata-se de uma perfeita cidade fantasma, e suas fotos mostram como as pessoas parecem literalmente ter saído correndo de um instante para o outro, deixando tudo como antes estava.

8. Arquivos do Vaticano

Se muita coisa ao redor do Vaticano e da Igreja Católica é rodeado de mistério e proibição, nenhum local é mais restrito do que os arquivos secretos do Vaticano. Estão lá todos os documentos e o registro de cada ato promulgado pela Santa Sé, incluindo correspondências e registros de excomunhão. Estima-se que os arquivos do Vaticano tenham 84 km de prateleiras, e cerca de 35 mil volumes em seu catálogo. O acesso é permitido a eventuais acadêmicos, para exame de documentos específicos. A maior parte dos documentos, assim como qualquer publicação, é totalmente proibida.

9. Cavernas de Lascaux

Descoberto em 1940 por quatro adolescentes, o complexo de cavernas de Lascaux, no sudoeste da França, tem, em suas paredes, alguns dos mais antigos registros de arte rupestre da história. Com cerca de 17 mil anos, os desenhos nas paredes da caverna mostram bovídeos, cavalos, cervos, cabras, felinos e outros animais. Nos anos 1950 cientistas perceberam que a intensa visitação ao local – uma média de 1200 pessoas por dia – estava alterando a circulação de ar e aumentando a intensidade da luz, deteriorando as pinturas. Com isso, desde 1963 que as visitações a um dos mais famosos sítios de arte rupestre do mundo é proibida.

10. Ilha de Surtsey

Depois de uma imensa erupção vulcânica que se sucedeu na costa sul da Islândia, começando a 130 metros abaixo da superfície do oceano, a ilha de Surtsey começou a ser formada. Cinco dias após o início da erupção, no dia 14 de novembro de 1963, a ilha enfim emergiu. A erupção, no entanto, durou até 5 de junto de 1967, fazendo com que a ilha atingisse a extensão de 2,7 quilômetros quadrados. Com a erosão marinha e o vento seu tamanho já diminuiu em mais da metade e, por se tratar de um dos locais mais jovens do mundo, a presença humana é proibida, a fim de que se possa estudar in loco o surgimento e desenvolvimento de um ecossistema. Somente alguns cientistas podem visitar o local, sem poder levar nenhuma semente nem deixar qualquer rastro, unicamente para fins de pesquisa.

© fotos: reprodução/fonte:via

Pessoas compartilham fotos incríveis de lugares que parecem saídos de um filme de Wes Anderson

A fotografia dos filmes de Wes Anderson possui características bem marcadas. Geralmente estão pinceladas de cores fores e com um toque retrô, ao mesmo tempo em que os cenários de seus filmes parecem exalar algo de mágico. Os fãs do diretor certamente vão se encontrar na rua pensando que aquele bar da esquina poderia muito bem fazer parte do set de filmagens de Grande Hotel Budapeste ou que a casa de algum amigo ficaria perfeita como cenário de Os Excêntricos Tenenbaums.

Já existe um espaço pensado para essas pessoas compartilharem seus achados no Reddit. É o Subreddit Accidental Wes Anderson. É lá que os amantes dos filmes de Wes Anderson publicam fotografias de lugares reais que poderiam muito bem estar em uma das obras do diretor. A foto em destaque foi capturada pelo usuário dekdekwho, em Hong Kong.

Espia só outros exemplos:

Auditório na Coreia do Norte. Foto: Watson92

Sala de conferências na Coreia do Norte. Foto: Nekhera

Grand Hotel Misurina, Itália. Foto: crboakes

Quarto no Ostel Hotel, em Berlim. Foto: MeunderWears

Zoológico de Londres em 1953. Foto: cleon_salmon

Berlim. Foto: lazyusernamelamp

Jane Hotel, Nova York. Foto: Rustedbones

Foto: ferrets54

Good Records, em Dallas. Foto: BlueberryGarcia

Trem em Flam, Noruega. Foto: asdlkfdjldsknlas

Foto: ScroogeMcDuckII

Singapura. Foto via /fonte:via

10 lugares surreais que você provavelmente nunca ouviu falar

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/03/surreal3.jpg

O mundo está cheio de destinos curiosos e uma das coisas que mais nos motiva a desbravá-lo são os lugares surreais, aqueles que são difíceis de acreditar que existem. Agora está na hora de apresentar aqueles que você provavelmente nunca ouviu falar.  

A natureza é a grande responsável pela criação destes destinos tão maravilhosos, que formam cenários de sonhos. Com cores vibrantes, labirintos, águas cristalinas e até terapêuticas, fica difícil escolher qual será a próxima viagem a ser feita. Olha só:

1. Esta gruta incrível em St Marcel d’Ardèche, na França, foi descoberta em 1836 por um caçador. Desde então tem encantado o mundo com sua rede subterrânea de bacias hidrográficas e formações rochosas que a tornam uma das maiores grutas do mundo.

surreal1

2. Um dos destinos imperdíveis na Guatemala é Semuc Champey, uma ponte de pedra que cobre o leito do Rio Cahabón, formando maravilhosas piscinas de cor esmeralda.

surreal2

3. O distrito de Dongchuan, na cidade de Xintian – China, é formado por uma cadeia de vales avermelhados que dão ao local o apelido de “Terra Vermelha”. A coloração é justificada pela presença de ferro oxidado e minerais no solo, além de plantas que florescem ao longo do ano.

surreal3

4. A cinco horas de Lima, no Peru, um dos lugares mais fascinantes é o oásis de Huacachina. A fonte d’água no meio do deserto atrai mochileiros que praticam sandboard e fazem passeios de buggy.

 surreal4

5. Na região de Thassos, na Grécia, quem ganha o coração dos turistas é o Lago Giola, uma piscina natural que se forma nas rochas próximas ao mar. Esculpida pela força das ondas, a piscina de águas cristalinas fica numa praia próxima a aldeia de Astria.

surreal5

6. A Vila Popeye, em Malta, serviu como cenário para a filmagem de “Popeye” em 1980. Após as filmagens esta charmosa aldeia continuou montada e se tornou um museu a céu aberto. 

surreal6

7. Rotorua é uma cidade da Nova Zelândia conhecida por suas águas termais, gêiseres e spas. Um dos locais mais famosos na região é a chamada “piscina de champanhe”, dentro do parque termal de Waiotapu, que borbulha CO². A borda alaranjada é por conta dos metais pesados presentes na água.

surreal7

8. A região de Namaqualand se estende pela Namíbia e África do Sul. Durante a Primavera é tomada por uma porção de margaridas laranjas e brancas, criando um dos cenários mais surreais do mundo.

surreal8

9. A Ilha das Flores, dentro do arquipélago de Açores, em Portugal, tem paisagens deslumbrantes. O nome tem origem nas flores selvagens que cercam o local, ao redor de belas lagoas e fontes termais.

surreal9

10. Na província de Cádiz, Espanha, está a curiosa Setenil de las Bodegas, cidade construída logo abaixo de um penhasco com vista para o Rio Tejo. O local se destaca pela gastronomia de qualidade, que pode ser apreciada em bons bares e restaurantes.

Surreal10