Erosão provoca avanço do mar e reduz território de São Paulo

A Ilha do Cardoso fica no extremo sul do litoral de São Paulo. O local atrai turistas pela presença abundante de golfinhos e claro, suas praias paradisíacas. Talvez os visitantes e moradores da região não tenham percebido, mas o avanço do mar – em curso há cerca de 60 anos, engoliu 1 quilômetro do estado de São Paulo.

O fenômeno se dá por um processo de erosão considerado natural e que está extinguindo a Enseada da Baleia. Os efeitos causaram redução de dois metros na largura da faixa de areia, além do isolamento de um vilarejo com 15 famílias.

Estudos feitos por pesquisadores estimam que em um mês, a nova barra, responsável pela conexão entre o Estuário de Ararapira ao Oceano Atlântico, vá atingir um quilômetro de extensão. O que deve alterar o ecossistema da região e isolar definitivamente os moradores.

Membros do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) emitiram os primeiros alertas em 2009, atestando a probabilidade da consolidação das erosões para 2018. Os apontamentos foram feitos baseados em imagens de satélite.

As fotografias impressionam e dão clareza sobre a diminuição da faixa de areia dividindo a enseada do oceano, agravada pelo avanço de uma frente-fria nos últimos dias. Em entrevista ao G1, a professora Maria Cristina de Souza afasta possíveis interferências provocadas pela ação do homem.

“A dinâmica daquela região é instável, da água do estuário avançando para o mar. No passado, já ocorreram outras aberturas e acreditamos que, em breve, ocorrerá o assoreamento [deposição de sedimentos] na antiga barra, na divisa com o Paraná”, encerra.

A Defesa Civil disse estar monitorando a situação e que criou um plano de emergência para a mudança das casas habitadas pelas 50 pessoas. O Parque Estadual da Ilha do Cardoso, a Fundação Florestal e o Instituto Geológico, estes dois últimos subordinados à Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo, também avaliam os impactos no ecossistema.

“Por terra, não tem como chegar mais até elas [moradores da região]. Entretanto, todas as 15 famílias que moram naquela comunidade se movimentam de barco, são autossustentáveis e já estão acostumadas às distâncias da região”, pontuou Edison Nascimento, gestor do Parque Estadual Ilha do Cardoso.

De qualquer maneira, Cananéia, cidade histórica localizada no continente, está em alerta. O secretário do Meio Ambiente Erick Willy disse ter mobilizado sua equipe para atuar caso a situação fuja do controle.

Fotos: foto 1: Divulgação/Defesa Civil /foto 2: Edison Nascimento/Fundação Florestal/fonte:via

Anúncios

O mediterrâneo e seus incríveis tons de azul vistos de cima

Alguém disse uma vez que todos os azuis do universo repousam no Mediterrâneo, nosso mar celestial. Testemunha do início de nossa civilização, o Mediterrâneo banhou nossa cultura e modo de vida com luz.

É por isso que o fotógrafo alemão Tom Hegen, com a câmera e a perspectiva aérea nas mãos, nos convida a passear por suas águas cristalinas, suas enseadas de beleza infinita e suas praias de areia e pedra cheias de história. Uma delícia de série fotográfica.

Fotos: Tom Hegen/fonte:via

Terremoto provoca erupção de vulcão e deixa centenas presos em montanha na Indonésia

Um terremoto de magnitude 6,4 graus na escala Richter provocou a erupção do vulcão Rinjani, na ilha turística de Lombok. Mais de 600 pessoas estão presas na montanha, outros 335 feridos e ao menos 16 mortos.

Os reflexos provocados pelo abalo sísmico atingiram por volta de 1.500 edifícios  e 5 mil pessoas estão vivendo provisoriamente em abrigos de emergência.

A maioria dos presos na montanha do vulcão Rinjani é de estrangeiros. São centenas de alpinistas e turistas que buscam maneiras de furar os bloqueios causados pela erupção. Autoridades indonésias estão trabalhando para a abertura de caminhos alternativos e até o momento 3 mil metros de trilha foram liberados. Além disso um helicóptero está abastecendo as pessoas com suprimentos.

“Centenas de alpinistas na cratera em áreas de escala não conseguiram descer quando quiseram, porque os caminhos ficaram cobertos de destroços de deslizamentos de terra e havia o temor de novos deslizamentos”, declarou o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB), Sutopo Purwo Nugroho.

O terremoto atingiu Lombok às 6h47 em uma profundidade de 7 quilômetros. As autoridades calculam mais ou menos 280 tremores secundários ao sismo. O tremor também pode ser sentido em destinos muito procurados pelos turistas, as ilhas de Bali e Sumbawa.

Foto: Reprodução/YouTube/fonte:via

Fotógrafa registra a beleza impressionante das paisagens naturais

A mãe natureza nos oferece os mais belos shows! A fotógrafa britânica Rachael Talibart imortaliza paisagens selvagens e ásperas com as mais impressionantes cores e texturas naturais. O gelo hipnotizante, o mar revolto, o céu incrível, o reflexo da água ou a areia da praia voando; a artista visual capta com humilde simplicidade a arte e a poesia criadas pelos elementos naturais. Trabalhos que exigem respeito e contemplação da beleza do nosso meio ambiente.

Confira seu trabalho:

Fotos: Rachael Talibart/fonte:via

Fotógrafa premiada denuncia a poluição nas praias e oceanos com arte

Denunciar a poluição dos oceanos e das praias dos nossos continentes: este é o objetivo de vida de Mandy Barker. A fotógrafa britânica premiada internacionalmente representa a questão dos detritos plásticos marinhos e, com isso, recebeu reconhecimento global. A ideia de seu trabalho é aumentar a conscientização de todos sobre a poluição.

A artista registra materiais coletados em mais de 30 praias de Hong Kong desde 2012. Sua série intitulada Hong Kong Soup: 1826. O termo “sopa” está relacionado ao nome dado pelos cientistas e ambientalistas à água cheia de restos de plástico depositados no fundo do mar. O norte do Oceano Pacífico é a área mais preocupante, com grande concentração de poluentes.

Assim, descobrimos isqueiros coloridos, restos de bolas de futebol, pedaços de papel ou mesmo cacos de vidro. Cada trabalho é representado em um fundo preto, com foco total nos detritos.

Confira a série e acompanhe o trabalho de Mandy Barker:

 

Fotos: Mandy Barker/fonte:via

Estes são alguns dos destinos com as águas mais transparentes do planeta

Muitas vezes, tudo o que é necessário para energizar sua mente e corpo é um bom dia (ou semana) olhando para um mar azul tranquilo. Para ajudá-lo a encontrar sua paz interior e pegar algumas ondas e raios de sol, juntamos uma lista de algumas das águas mais azuis do mundo.

Estes lagos, mares, praias e baías têm vistas que vão desde azuis marinhos brilhantes até as turquesas mais claras e transparentes possíveis. Quantas vezes você visitou uma praia ou um lago, apenas para ficar tragicamente desapontado com a obscuridade da água? Pois bem, em nenhum destes lugares haverá este risco, pois, as águas são tão límpidas que é possível ver muitos metros de profundidade.

Também é desnecessário dizer que estes são os lugares perfeitos para se reconectar com a natureza, a família e você mesmo.

Veja as fotos:

Exuma, Bahamas

Zamami, Japão

Hvar, Croácia

Lefkada, Grécia

Koh Lanta, Tailândia

Lagoa Azul, Nova Zelândia

Vale dos Cinco Lagos, Polônia

Con Son, Vietnan

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice

Cayo Ambergris, Belize

 

Imagens: Reprodução/fonte:[via]

Tubarão-fantasma que vive em grandes profundidades é registrado em vídeo

 

Ainda há tantas descobertas a serem feitas sobre as criaturas que vivem nas profundezas dos oceanos. Seus canyons subaquáticos cercados por escuridão eterna são o lar de muitas espécies ainda desconhecidas. Mesmo entre as espécies que conhecemos, ainda há muito a ser descoberto sobre seus hábitos e comportamentos.

Uma dessas criaturas é um tubarão que lembra um fantasma, também chamado de quimera. Por ser cartilaginoso, ele é um primo de tubarões e arraias, e faz parte de um grupo antigo de peixes que se separou de seus parentes cartilaginosos há 400 milhões de ano, vivendo isoladamente em profundidades de até 2.600 metros. Apesar de já termos identificado 50 espécies delas, ainda sabemos muito pouco sobre essa espécie.

Agora pesquisadores conseguiram captar pela primeira vez imagens de uma das espécies, a quimera de nariz azul pontudo, a Hydrolagus trolli. A gravação aconteceu por acidente, quando geólogos enviaram uma sonda para investigar as costas da Califórnia e Havaí, a uma distância de 2km dos litorais. Seis indivíduos puderam ser vistos na imagens. Até então, a espécie só havia sido observada na região da Austrália.

Os pesquisadores afirmam que apesar de provavelmente serem Hydrolagus trolli, só será possível confirmar a espécie quando amostras de DNA forem coletadas. Se estudos futuros provarem que esses não são exemplares de H. trolli, é possível que esta seja uma nova espécie.

Com as imagens, os pesquisadores acreditam que existam pelo menos três espécies dos animais vivendo no litoral da Califórnia e duas no litoral do Havaí.

Confira: