Detentas ganham ensaio fotográfico para seus bebês em presídio do ES




O Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC), no Espírito Santo, deu um exemplo maravilhoso de como a humanização do sistema penitenciário é importante para a diminuição da violência.

Os bebês de detentas ganharam um ensaio fotográfico. Teve tudo, cenário e fantasias infantis para alegrar o coração de quatro mães que cumprem pena em alojamento materno-infantil no presídio do Espírito Santo.

A iniciativa é da diretora da casa de detenção, que criou o projeto Da Gestação para a Vida, que incentiva o contato em mães em privação de liberdade e seus filhos.

O afeto é um direito humano

“Essa foi a primeira ação profissional desse projeto. A gente já fazia internamente, com uma câmera que ganhamos, mas fazíamos sem o fundo colorido, sem as roupinhas diferentes. Era feito na grama, com os brinquedinhos. Então surgiu essa ideia de tirar o foco de sistema prisional, sem trazer essa imagem de prisão. A infância existe, mesmo aqui dentro”, declarou ao G1 Graciele Sonegheti Fraga, diretora da unidade.

As mães vão receber as imagens digitalizadas em um CD. O ensaio é estrelado pelos pequenos João Pedro, de dois meses; Enzo, de três; Manu, de cinco; e Jesus, de sete. As mães cumprem pena em regime fechado e têm o direito de permanecer, por no mínimo seis meses, em um local com berços, camas e brinquedos, além da companhia dos filhos.

Os retratos são das fotógrafas Luana Andrioli e Carla Nogueira. “As fotos foram feitas em cenários lindos. Tudo muito profissional. É uma recordação que vou guardar do meu filho para toda a vida”, disse a mãe, Mayara Aparecida Wanderley, com lágrimas nos olhos.

A humanização dos presídios diminui a violência

O Brasil é dono da terceira maior população carcerária do mundo. O Ministério da Justiça diz que mais de 726 mil pessoas estão presas no país. O médico Dráuzio Varella, que trabalhou por anos no extinto Carandiru, em São Paulo, é um dos que luta pela melhoria das casas de detenção no Brasil.

“O sistema atual não pode continuar, simplesmente porque a conta não fecha”, explicou à Carta Capital.  

Fotos: Luana Andrioli e Carla Nogueira

Mãe decide desenhar para marido entender porque ela acorda irritada e exausta

Kirs é casado com Mattea Goff, com quem tem duas filhas, Seleste, de 5 anos, e Aurora, de 5 meses. Há pouco tempo, ele perguntou à mulher por que ela sempre acordava tão cansada e irritada.

Irritada, Mattea (que está amamentando) resolveu, literalmente, desenhar para o marido porque acorda sempre cansada. Os desenhos mostram Kris dormindo o tempo todo, enquanto a esposa tem o sono interrompido por vários fatores.

Mattea precisa acordar no meio da noite para amamentar a filha de 5 meses de hora em hora. Além disso, enquanto o homem sonha com os anjos, ela tem dificuldade de se concentrar no sono por causa de pensamentos variados. Todos relacionados com Aurora, claro.

Apesar de amadores, os desenhos publicados no Facebook mostram uma realidade vivida pela maioria das mulheres casadas e com filhos. A disparidade é provocada principalmente pela influência do machismo, que naturaliza o fato de mulheres assumirem todas as responsabilidades da casa.

“Quando mostrei os desenhos para o meu marido pela primeira vez, ele achou engraçado. Mas tanto ele quanto eu ficamos surpresos ao ver o quanto eles viralizaram!”, disse ao Buzzfeed.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Mãe vira escudo humano para proteger bebê durante tempestade de gelo

Uma mãe passou por poucas e boas para garantir a segurança de sua pequena filha. Fiona Simpson estava dirigindo em Kingaroy, na Austrália, com a bebê  e a avó quando uma das janelas do carro acabou estilhaçada.

O vidro não resistiu a força dos ventos provocados por um tornado e se partiu. Com isso, a bebê ficou exposta ao frio, vidro e gelo. Fiona não pensou duas vezes e para protegê-la, a mãe envolveu a criança em seu corpo, se transformando em um verdadeiro escudo humano.

“A janela desapareceu, deixando pedaços de vidro espalhados pelo carro. Eu tirei meu cinto de segurança, sentei no banco de trás e fiquei em cima dela esperando a tempestade cessar”, declarou ao jornal Ten Daily.  

Com queimaduras provocadas pelas pedras de gelo (algumas do tamanho de uma bola de tênis), Fiona disse não ter tido tempo para sentir dor.

“Eu não podia focar na dor. Só tinha tempo de permanecer sobre a bebê e protegê-la. Não houve tempo para pensar em outra coisa”, finalizou. Apesar dos esforços da mãe, a criança acabou machucando a cabeça sem gravidade.  

Fotos: Reprodução/fonte:via

Esta ministra foi de bicicleta até o hospital para dar à luz

A Nova Zelândia é realmente um lugar de mulheres inspiradoras. Primeiro, o país da Oceania elegeu a chefe de governo mais jovem do mundo. Como se não fosse suficiente, Jacinda Ardern se tornou a primeira ocidental a dar à luz enquanto está no poder.

A estrelinha da inspiração desta vez vai para Julie Anne Ganter, que na 42ª semana de gravidez, pedalou até hospital para o nascimento de seu filho. A Ministra para as Mulheres foi atendida por uma parteira no centro médico de Auckland – maior cidade do país – e publicou um texto sobre a experiência na página do Instagram.

“Estamos muito felizes em anunciar a chegada do nosso filho. Depois do longo trabalho de parto, passamos por um procedimento tranquilo e prático. Queremos agradecer aos funcionários do hospital e a todos que nos apoiaram”, encerrou.  

Com carreira centrada no ambientalismo e no uso da bicicleta como meio de transporte, Julie decidiu pedalar por volta de 1 quilômetro de sua casa até o hospital municipal para destacar suas propostas de políticas públicas. A história repercutiu positivamente entre os veículos de comunicação e nas redes sociais.

A primeira-ministra neozelandesa Jacinda Ardern, que acaba de retornar ao trabalho depois de seis semanas, aproveitou para elogiar a atitude da colega. A Ministra para as Mulheres vai tirar três meses de licença.

“Muito feliz em saber da chegada de um novo integrante ao grupo de brincadeiras do Parlamento. Espero que aproveite os primeiros dias muito especiais”, publicou no Twitter.

Foto: Reprodução/fonte:via

Foto de recém nascido cercado por coração de seringas viraliza pelo melhor motivo

Quando uma foto diz mais do que mil palavras, não é apenas o trabalho do fotógrafo que é capturado pelas lentes, mas toda uma história que tornou aquele registro possível.

É o caso da fotografia da pequena London O’Neill, que viralizou na internet ao mostrar que o amor não tem fronteiras.

Tudo começa com a história de Patricia e Kimberly O’Neill. As duas se conheceram há seis anos e começaram um relacionamento. Elas já tinham filhos de relações anteriores, mas decidiram que queriam tentar ter um filho juntas.

A princípio, não parecia nada tão complicado. Patricia e Kimberly precisariam apenas ir a uma clínica de fertilização e esperar pelo resultado, certo? Isso não poderia estar mais longe da realidade que elas enfrentariam.

Foram necessários quatro anos, sete tentativas e três abortos espontâneos antes de que London nascesse. Patricia, que havia escolhido carregar o bebê, descobriu que sofria de Fator V de Leiden, uma doença genética que aumenta a incidência de abortos.

Durante o processo, a futura mamãe levou um total de 1.616 injeções na busca de controlar a condição e conseguir levar a gravidez adiante. Além das injeções necessárias para a fertilização in-vitro, ela precisou tomar duas doses injetáveis diárias de anticoagulantes. Cada uma das agulhas foi guardada até o nascimento da criança para, então, serem usadas nesta incrível composição, clicada pela Packer Family Photography.

Mãe dá à luz a gêmeos gerados em dois ventres diferentes. Feito tem uma chance para 500 milhões de tentativas

Dez vezes mais improvável que ganhar na Mega-Sena. Em maio, a britânica Jennifer Ashwood deu à luz a duas crianças, Poppy e Piran, em um acontecimento tão raro que até seus obstetras não sabiam o que esperar antes do parto: a mãe tem útero duplicado, e cada bebê se desenvolveu em um dos ventres.

De acordo com os médicos, Jennifer tem duas cavidades uterinas, separadas por um colo, algo que não foi notado oito anos atrás, durante a gestação da filha mais velha da britânica. Após a descoberta, a equipe precisou tomar cuidados especiais, pois o risco de abortou ou nascimento prematuro aumentou.

Segundo a literatura médica, menos de 100 casos assim já foram reportados em todo o mundo. A chance de uma gestação do tipo acontecer é de 1 em 500 milhões. Os gêmeos de Jennifer ficaram por duas semanas na maternidade para tratar a icterícia neonatal, mas já estão plenamente saudáveis.

“Ter dois úteros já é raro, mas ter um óvulo em cada e que os dois sejam fecundados… É como um milagre. Você pode pensar que conhece bem o próprio corpo, mas nem sempre é verdade”, disse Jennifer. “Estamos muito ocupados em casa. É o dobro de abraços e o dobro de amor”, completou.

Fotos: Reprodução/Arquivo Pessoal/fonte:via

Ela apresentou a previsão do tempo com a filhinha no colo para apoiar mães que trabalham

Não é fácil trabalhar e ser mãe ao mesmo tempo.

Crianças precisam dos pais por perto e a apresentadora Laura Tobin mostrou que não deixaria que seu emprego fosse mais importante do que os cuidados com a filha Charlotte, de 11 meses.

Laura faz parte da equipe do programa Good Morning Britain e apresentou a previsão do tempo da última quinta-feira com a filhinha no colo. A atitude buscou inspirar outras mães que trabalham, mas também serviu como uma oportunidade para falar sobre novas linhas de cartões para parabenizar famílias de recém-nascidos (hábito comum em alguns países da Europa).

Os novos cartões foram criados por Laura para felicitar famílias que deram à luz a bebês prematuros. Como Charlotte nasceu prematuramente e precisou ficar na incubadora, ela disse não ter recebido nenhum cartão, pois sua família e amigos pensaram que as mensagens convencionais não seriam apropriadas para o momento.

As mensagens da linha de cartões felicitam a família ao mesmo tempo em que respeitam a angústia de quem espera para finalmente poder segurar seu bebê nos braços. Com frases como “Pequeno lutador” e “Bebês incríveis precisam de pais incríveis como vocês“, os cartões esperam cumprir com essa tarefa e mostrar apoio às famílias de crianças prematuras.

Fotos: Reprodução Good Morning Britain/fonte:via