Operação salva 120 cachorros de serem mortos para consumo ilegal de carne

O hábito de comer carne de cachorro em alguns países asiáticos causa polêmica,desta vez, uma operação de sucesso aconteceu em Chengdu, na China. A polícia local encontrou cerca de 120 cachorros presos por comerciantes de carne ilegal dos animais. Os cães foram achados amontoados, usando coleiras e focinheiras.

Roubados, eles foram levados para centros de proteção, como o Sichuan Qiming Small Animal Protection Center, que agora busca pelas famílias originais ou pessoas interessadas em adotar os animais.

Irene Feng é diretora da Animals Asia Cat and Dog Welfare e elogiou os esforços de autoridades e da polícia para combater a prática ilegal. “Nós precisamos agradecer a polícia por seu trabalho excelente em capturar a gangue brutal suspeita de ter roubado os animais de companhia de suas casas amorosas. Todos os cães estão à salvo e graças a vontade das autoridades em colaborar, grupos locais agora podem trabalhar no que eles fazem de melhor – cuidar dos animais e ajudá-los a encontrar seus guardiões originais.”

Apesar da insistência no consumo de carne de cachorro, o número de organizações de bem estar animal vem crescendo na última década. Para se ter ideia, em 2006 existiam apenas 30 grupos e atualmente são mais de 200 instituições criadas para a proteção dos animais.

Ao lado de autoridades e da polícia, elas trabalham pelo desenvolvimento de políticas avançadas de guarda legal dos cachorros ameaçados.

Apesar dos esforços o comércio ilegal de carne de cachorro ainda é forte na China. A Animals Asia diz receber denúncias atestando a prática em diversas regiões do país. Ao menos 250 relatos foram repassados às autoridades responsáveis, o que salvou a vida de milhares de cachorros.

O principal obstáculo é o Yulin Dog Meat Festival, que incentiva o consumo deste tipo de carne. Cerca de 10 mil cachorros são mortos por causa do festival de 10 dias. Ou seja, o evento representa por volta de 1% do total dos cães sacrificados.

O nível de preocupação sobe ao analisar os maus-tratos sofridos pelos pets. Os cachorros são mantidos em gaiolas e, em alguns casos, cozidos vivos.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Moradora de ilha grega paradisíaca dá casa e salário para quem cuidar de seus gatos

Gosta de gatos? Mas, gosta mesmo? Então prepare-se, pois uma responsável vai se ausentar de sua casa e está em busca de quem queira cuidar dos felinos.

Agora, existem dois detalhes que vão transformar sua experiências. A primeira é que, são ao menos 50 gatos, localizados em santuário na ilha paradisíaca de Syros, em frente ao Mar Egeu, na Grécia.

O emprego dos sonhos é remunerado e dá ao selecionado a chance de alimentar a paixão pelos bichanos, além de conhecer um dos lugares mais belos do planeta. Que tal? Joan Bowell disse está em busca de alguém “maduro e genuinamente apaixonado por gatos”.

É importante saber como lidar com os gatos, pois alguns deles, segundo a dona, possuem “temperamento selvagem”. Ou seja, os que têm experiência em medicina veterinária e carteira de motorista saem na frente. A carta de habilitação é importante para alguma emergência, como levar os animais ao hospital.

A experiência também conta e pessoas com mais de 45 anos são o encaixe perfeito para os anseios de Joan. Ficou interessado? As inscrições podem ser feitas pela página do Facebook do santuário God’s Little People Cat Rescue.

“Certamente você se dará bem ser uma pessoa que ama a natureza, gosta de tranquilidade e da sua própria companhia.”, finaliza.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Animais de estimação estão ajudando alunos de Cambridge a passar nas provas

Para passar nas provas de uma universidade como Cambridge, na Inglaterra, é preciso dedicação intensa aos estudos, foco inquebrantável nas aulas, infinitas horas de leitura e preparação em bibliotecas e… afagos em porquinhos-da-Índia, cachorrinhos ou até mesmo em um gato de três pernas. É isso que um projeto dedicado a diminuir a tensão dos estudantes em época de prova oferece – e os resultados comprovam a eficácia desse tão fofo método, e os animais se tornaram como “funcionários” de uma das mais prestigiadas universidades do mundo.

Assim, funcionários de diversos cursos adotaram animais, para que os estudantes possam levar cachorros para passear ou mesmo tomar um chá desfrutando da felpuda companhia de Jasper, o gato malhado de Cambridge que não tem uma perna. E a ajuda é reciproca, já que os animais também demonstram ânimo e felicidade diante do carinho recebido dos alunos, que costumam morar no campus e aproveitam a oportunidade para não só relaxar como muitas vezes matar a saudade de seus próprios bichos de estimação.

Jasper, estrela na universidade

Jasper mora na biblioteca de Cambridge já há muitos anos, e é de tal forma uma estrela local que possui seu próprio evento: o “Chá com Jasper”, no qual naturalmente é o anfitrião, e que costuma receber até 100 pessoas.

E da mesma forma recebem atenção e diminuem a tensão os quatro porquinhos-da-Índia e o Cocker Spaniel chamado Jack, que tem sempre uma agenda cheia de alunos dispostos a leva-lo para uma volta pelo campus, e o mesmo acontece com o cão Toby.

Outras universidade possuem programas similares no país, e em Huddersfield há até mesmo uma “sala de filhotes”, e pesquisas comprovam que os alunos que tiveram contato com os animais apresentam um nível de cortisol (conhecido como o hormônio do stress) bastante reduzido, comprovando que o efeito sobre a tristeza, a solidão e a ansiedade são efetivos quando nos relacionamos com animais.

© fotos: divulgação/fonte:via

Jovem da Paraíba transforma pneus usados em camas para pets

Amarildo Silva, de 22 anos, vive em Campina Grande, na Paraíba, e há um ano passou a reutilizar pneus velhos para fazer lindas caminhas para pets. Desde então ele já vendeu mais de 500 unidades para cães e gatos e este número só não é maior porque ainda não tem estrutura para vender fora do Estado.

No momento ele concilia o trabalho de artesão com o de operador de caixa em uma rede de supermercados. Ele fabrica as camas apenas nos períodos da manhã, mas em breve pretende se dedicar integralmente ao empreendimento, já que tudo está indo muito bem.

Amarildo ainda encontra tempo para ministrar oficinas em escolas públicas, ajudar uma ONG que cuida de animais abandonados na cidade e ajudar crianças carentes.

Ele se diz satisfeito por ter iniciado um projeto de impacto social e ambiental reutilizando uma grande quantidade de pneus descartados.

 

Imagens: Reprodução / Facebook/fonte:via

Fotógrafa faz ensaio com cachorros resgatados da rua e mostra nova realidade deles

Penkta Koja trabalha em um abrigo para cachorros de rua e recebe novos hóspedes todos os dias. Esses cães vivem realidades vulneráveis, podendo estar perdidos, serem atropelados por um carro, deixados em uma floresta ou simplesmente não serem mais necessários na visão de seus tutores, que os abandonam na rua.

Por conta dos muitos anos que passam batalhando pela vida, os animais não conseguem se acalmar, o que faz com que eles tenham uma postura raivosa diante de humanos, deixando o resgate um pouco mais complicado, mas não impossível.

No abrigo onde Koja trabalha, os primeiros dias de um novo hóspede são sempre estressantes, especialmente pela expectativa de serem adotados por uma nova – e boa – família. Os cães só saem do abrigo nessas condições, não importando quanto tempo demore.

Penkta trabalha em parceria com a fotógrafa Ausra Kel. Ela resolveu selecionar uma série de cachorros que já não vivem mais no abrigo e criou um ensaio fotográfico cheio de esperança.

As fotos de Ausra mostram a nova realidade dos cães com suas novas famílias. A série tem animais que permaneceram de dias a anos no abrigo esperando serem adotados.

A ideia do ensaio é mostrar que os pets e seus tutores se enxergam como heróis e amigos. A rotina deles não é melhor que a de ninguém, apenas diferente, pois eles se veem de uma forma diferente.

 

Fotos: Ausra Kel/Divulgação/fonte:via

Donos de cães compartilham imagens do primeiro contato que tiveram com seus pets

O primeiro contato entre donos e seus animais de estimação é um momento para se guardar na memória para sempre. E, graças aos smartphones, é cada vez mais fácil fazer um registro fotográfico desse encontro marcante.

O site Bored Panda pediu que seus usuários enviassem as primeiras fotos que eles tiraram com seus amigos animais, e o resultado é uma enorme onda de amor à primeira vista.

Muitos dos bichinhos mostrados foram adotados, e várias imagens registram o caminho entre o abrigo e seus novos lares.

A caminho de casa

Para ver ainda mais imagens lindas como essas, acesse o post original do Bored Panda.

Fotos/Reprodução/Bored Panda/Fonte:via

liquidnight:

Annick Gérardin

From Paris entre chats