Este artista pintou meticulosamente 100 mil réplicas perfeitas de Van Gogh

Van Gogh é um dos pintores mais conhecidos e icônicos da história da arte. Se seu último quadro foi leiloado por mais de 8 milhões de dólares, o artista não conheceu o sucesso em vida, tendo morrido pobre e incompreendido, com apenas 37 anos. Hoje as coisas são bem diferentes e obras clássicas como ‘A noite estrelada’ estampam souvenirs em lojas do mundo inteiro, principalmente na Holanda, país onde ele nasceu.

Do outro lado do mundo, o chinês Zhao Xiaoyong ganha a vida pintando réplicas perfeitas dele, que depois costumam ser vendidas em uma loja de souvenirs de Amsterdã, cidade que abriga o incrível Museu Van Gogh. Hoje, ele já pintou mais de 100 mil réplicas, sem nunca ter estudado ou feito qualquer curso de arte e, muito menos ter visto uma obra original do pintor holandês.

Nascido em uma casa muito pobre na província de Shenzhen – China, Zhao é autodidata e, recentemente teve a oportunidade de viajar até Amsterdã para conhecer o museu que abriga a maior quantidade de obras de Van Gogh no mundo. A viagem aconteceu a convite de seu mais antigo e fiel cliente, aquele que costuma comprar praticamente todas as suas réplicas.

O problema é que ele ficou um pouco decepcionado quando descobriu que seus quadros eram vendidos por 9 vezes a mais em uma minúscula loja de souvenirs de Amsterdã, já que ele tinha certeza que estampavam as paredes de uma galeria de arte. É esta a história que o documentário “The man who’s painted 100,000 Van Goghs” (o homem que pintou 100 mil Van Gogh’s) conta.

Fotos: reprodução Youtube /fonte:via

Anúncios

Perfil do Instagram reúne lindas pinturas com os temas ‘mulher’ e ‘natureza’

Desde a pré-história a mulher é representada pela arte, carregando arquétipos e características que foram se transformando ao longo do tempo. Descobrimos um perfil no Instagram que diariamente posta mulheres retratadas pelos mais diferentes artistas, em diferentes períodos históricos. Com uma curadoria incrível, o Paintings Daily é uma verdadeira homenagem à figura feminina e à natureza.

De clássicos como Monet e Caravaggio, até obras contemporâneas e quadros clássicos da Frida, entrar neste Instagram é mergulhar no mundo das artes e das cores e, aprender sobre os mais diferentes estilos artísticos. Um verdadeiro deleite para os olhos!

Fotos: Paintings Daily /fonte:via

Ela faz retratos 3D do seu gato tão realistas que vão te deixar confuso

Uma foto, uma agulha, um pouco de lã e muitas horas de dedicação são tudo o que esta artista japonesa precisa para criar uma réplica perfeita do seu gatinho.

Wakuneco faz sucesso com retratos dos felinos em três dimensões, que são então transformados em quadros assustadoramente reais.

Para compor cada réplica, a artista usa técnicas de feltragem com agulha. Como se trata de um trabalho bastante detalhado, as criações levam cerca de um mês para ficarem prontas.

O resultado é tão incrível que fica difícil acreditar que Wakuneco trabalha dessa forma há apenas três anos.

São usadas fotos de gatos reais como referência para seus quadros. Quem olha para algum dos gatinhos esculpidos em lã quase não acredita não estar diante de um felino de verdade, tamanho o detalhe presente nas obras.

Seu processo criativo é mostrado em vídeos explicativos publicados em seu canal do Youtube. No entanto, quem tem interesse nas obras prontas pode se juntar aos mais de 28 mil seguidores que a artista possui no Instagram.

Infelizmente, o sonho de ver seu gatinho reproduzido pelas mãos de Wakuneco terá que esperar, já que ela não envia seus trabalhos para o exterior… Ou, quem sabe, essa é a desculpa que você estava esperando para viajar ao Japão?

Fotos © Wakuneco  /fonte:via

Mais de 7 mil obras de Eduard Munch, de ‘O Grito’, estão disponíveis para download gratuito

Você provavelmente já conhece o quadro mais famoso de Eduard Munch, chamado de ‘O Grito’.

Agora, os interessados na arte do moço poderão conhecer mais de 7 mil obras criadas por ele.

As obras foram disponibilizadas para download gratuito pelo Museu Munch de Oslo (Munchmuseet), na Noruega.

Como as imagens são de domínio público, elas também podem ser usadas para qualquer fim – ou seja, dá para fazer um poster para colocar no quarto sem culpa ou mesmo transformá-las em gifs divertidos.

O projeto de digitalização das obras do artista levou cerca de três anos para ser concluído. O resultado foi um Catálogo Raisonné – nome dado ao catálogo que reúne todas as obras conhecidas de um artista.

De acordo com o Follow The Colours, cerca de 90% das obras digitalizadas pertencem ao museu, embora o conjunto conte também com trabalhos de colecionadores. As criações foram realizadas entre os anos de 1873 a 1943 e abarcam todas as fases da vida do artista.

Confira o catálogo completo clicando aqui.

Imagens: Eduard Munch/Domínio Público/fonte:via

Ele cria quadros tão detalhados que mais se parecem tapeçarias reais

Se você nunca viu o artista Jason Seife pintando esses quadros, você facilmente diria que se tratam de tapeçarias reais.

Utilizando um pincel comum e tinta acrílica, o artista de Miami consegue reproduzir os mínimos detalhes das obras que induzem quem olha a crer que se trata de um tapete, por exemplo, de verdade.

O que mais impressiona quem acompanha o trabalho de Seife é a atenção justamente para os detalhes. A habilidade dele para reproduzir a simetria de tapeçarias prega uma homenagem ao que de mais denso e significativo tem a história de cada uma das imagens.

De acordo com a Robert Fontaine Gallery, o artista usa o processo meticuloso como forma de expressar seu estado mental no momento da criação.

Recentemente, Seife realizou uma parceria com a Nike onde teve a missão de customizar alguns exemplares do calçado Air Force 1s, um recente lançamento da marca.

Veja outros trabalhos:

 

Fotos: Jason Seife/fonte:via

Artista recria pinturas famosas acrescentando sempre um detalhe importante: cerveja

Apesar de toda sua admiração pelos mestres da pintura, para o pintor americano Scott Clendaniel faltava algo nas principais obras da história. Não era uma questão de estilo, de tema ou de valor: o que Scott sentia falta nas mais famosas telas era um de seus assuntos preferidos: a cerveja. Especialista em pintura a óleo, Scott decidiu resolver esse curioso sentimento indo ao trabalho, e recriando essas famosas pinturas, com essa pequena hilária adição, incluindo a cerveja nesses ícones da história da arte.

 

Inspirado em Van Gogh

Residente do estado do Alaska, o gosto do artista pela cerveja é medido pelo título dessa coleção: Real Art Is Beer, ou nada menos que Arte verdadeira é cerveja. A explicação para tal inspiração é simples e cômica. “Eu comecei a recriar pinturas famosas, incluindo cerveja, por achar engraçado, e um bom desafio”, afirma Scott.

 

Inspirado em Michelangelo

Assim, a dança de Matisse passa a acontecer ao redor de um copo de cerveja. Da mesma forma, a maçã de Magritte é substituída pela bebida – a sua famosa afirmação troca o cachimbo pela cerveja. Na santa ceia de Da Vinci, na pop art de Andy Warhol, até na criação de Adão de Michelangelo entra, pelas pinceladas de Scott, nos mais amados quadros, a mais amada das bebidas.

Inspirado em Jackson Pollock

Inspirado em Pablo Picasso

Inspirado em Claude Monet

Inspirado em Mondrian

Inspirado em Magritte (“Isso não é uma cerveja”)

Inspirado em Magritte

Inspirado em Klimt

Inspirado em Grant Wood

Inspirado em Munch

Inspirado em Salvador Dalí

Inspirado em Andy Warhol/fonte:via