Conheça a (nova) maior estátua do mundo que está, prestes a ser concluída

O título de maior estátua do mundo está prestes a mudar de dono.

Se antes a China esbanjava poder com o Buda do Templo da Primavera e seus 128 metros de altura, agora a Índia promete desbancar essa liderança. Para isso, o país está construindo uma estátua de Sardar Vallabhbhai Patel, considerado um herói durante a luta pela independência e unificação do país.

Com uma altura estimada em 182 metros, a estátua deve ser inaugurada ainda este ano, no dia 31 de outubro. Para se ter uma ideia da magnitude da construção, basta saber que ela tem um tamanho equivalente ao de um edifício de mais de 50 andares e está custando R$ 1,7 bilhão aos cofres indianos.

Quem é o líder que merece tamanha admiração? Sardar Vallabhbhai Patel foi o primeiro vice-ministro após a independência do país. Ele é considerado um herói por ter persuadido regiões rivais a se unirem durante este período.

A estátua de Patel ficará no estado de Gujarate, onde o político nasceu, e deverá ter uma galeria para visitação situada na área do peito da figura. Nesse local, os visitantes poderão ter uma vista panorâmica do entorno – o que, de quebra, serve para atrair turistas estrangeiros que não conhecem a história do ex-vice-ministro indiano.

Os visitantes, no entanto, precisarão percorrer cerca de 200 km a partir de Ahmedabad, capital do estado de Gujarate, para chegar até o monumento.

Ansiosos para ver como será a estátua quando estiver pronta? Nós estamos!

Fotos: /fonte via Reprodução Youtube/Jitega Gujarat, exceto quando especificado diferente

Esta mãe correu uma meia maratona empurrando os filhos

Correr é um grande desafio. A conquista dos primeiros quilômetros só é possível com muita disciplina e treinamento. Imagine só correr uma meia maratona com os três filhos.

Cynthia Lauren Arnold, de 34 anos, ficou em 14ª lugar no geral feminino e em terceiro na classificação de pessoas da sua idade na Meia Maratona de Missoula, nos Estados Unidos. Detalhe, ela fez todo o trajeto empurrando um carrinho com as três crianças a bordo.

A conquista rendeu para a atleta o recorde mundial para uma mulher empurrando um carrinho com três crianças. Cynthia concluiu a prova com folga, batendo a marca de 1h29min08, enquanto o antigo recorde era de 1h47min32.

“Ele disse: você deveria tentar esse recorde mundial triplo na meia maratona”, declarou à Runner’s sublinhando que a vitória veio por meio do incentivo do marido.

Mas não pense que tudo aconteceu da noite pro dia. Na verdade Cynthia Arnold sempre fez da corrida um estilo de vida. A motivação para correr com os filhos não foi só para bater o recorde, mas sobretudo para incentivá-los a adotarem um estilo de vida saudável.

Foto: Reprodução/Twitter/fonte:via

Aos 7 anos ela se tornou a mulher mais jovem a escalar o Kilimanjaro por um excelente motivo

Onde alguns veem um obstáculo, a pequena Montannah Kenney, de 7 anos, viu um desafio.

Durante suas férias escolares, a menina pediu para escalar o monte Kilimanjaro – e se tornou a mulher mais jovem a conquistar este feito, segundo o USA Today.

Montannah treinou de quatro a oito horas durante os finais de semana para conseguir subir os mais de 5 mil metros da montanha. Durante a semana, ela escalava distâncias menores como parte do treinamento. A menina também praticou basquete, corridas e nado para se preparar para a viagem. Tudo foi supervisionado por sua mãe, Hollie Kenney, uma triatleta profissional.

Embora tenha topado o desafio proposto pela menina, a mãe precisou solicitar uma permissão especial para a escalada, pois a idade mínima legal para subir o Kilimanjaro é de 10 anos, segundo informa o Bored Panda. A viagem foi acompanhada por uma equipe de 25 pessoas.

Mas de onde surgiu a ideia? Montannah quis realizar a escalada para ficar mais próxima de seu pai, falecido quando ela tinha apenas três anos.

O pai, cujo nome não foi divulgado, sofria de estresse pós-traumático e precisava realizar uma terapia conhecida como EMDR. Dessa forma, a família aproveitou o feito para criar uma campanha de arrecadação de fundos para aqueles que necessitam este tipo de tratamento. Em três meses, mais de US$ 5 mil já foram arrecadados – e qualquer pessoa pode contribuir através deste link.

Fotos: Hollie Kenney /fonte:via

Ela já fez 1.350 lindas bonecas usando lixo doméstico e entrou para o Guinness

Uma estudante de pós-graduação em psicologia na Índia acaba de conquistar o seu lugar no Guinness Book. O recorde, no entanto, não veio de suas habilidades como psicóloga.

Vijitha Retheesh começou a criar bonecas de papel para passar o tempo. No começo, ela fazia apenas uma ou duas bonecas por dia, mas a paixão foi crescendo e o passatempo se transformou em algo maior. Ela logo estava confeccionando de 10 a 15 bonecas diariamente usando papel que iria para o lixo.

Em apenas três meses, Vijitha já havia criado 1.350 bonecas, o que lhe rendeu um recorde no Guinness Book, segundo informações publicadas no India Times. A conquista foi realizada em março do ano passado e, desde então, a indiana vem trabalhando em um livro sobre como reutilizar materiais que iriam para o lixo.

Alguém aí ansioso para conhecer estes ensinamentos?

 

Fotos: Vijitha Retheesh/fonte:via

Pintura de Da Vinci encontrada em 2011 é vendida por US$450 milhões

 

O leilão da tela “Salvator Mundi” aconteceu na quarta-feira (15) de novembro de 2017 no Rockefeller Center, em Nova York, e durou apenas 19 minutos. A obra representa Jesus Cristo com uma mão em movimento de bênção e a outra segurando um globo de cristal (veja imagem completa abaixo).

Quatro compradores participaram por telefone e um pessoalmente na sede da casa de leilões Christie. Cada lance dos interessados provocava reações de surpresa nos presentes.

O preço alcançado foi de US$450,3 milhões, com as taxas de compra. Esta quantia foi radicalmente maior que o último recorde de obra de arte leiloada, o “Mulheres de Alger” de Picasso, vendida por US$179 em 2015. O comprador de “Salvatore Mundi” ainda não foi identificado publicamente.

Este preço pago pela obra de Da Vinci é ainda mais impressionante levando em conta que o mercado de obras de arte renascentistas está em contração por falta de peças disponíveis para venda. A venda astronômica também traz questionamentos sobre o valor de obras de arte, já que ainda há dúvidas de que o  “Salvatore Mundi” seja de Da Vinci e a obra está em más condições de preservação. Enquanto as mãos estão bem preservadas, o fundo foi manipulado e a superfície da tela foi limpo de forma incorreta, danificando a face e cabelo de Cristo.

Apesar de já ter sido chamada de “Mona Lisa masculino”, o quadro não tem muita semelhança com a composição e estilo de Da Vinci. Especialistas em investimentos em obras de arte se queixaram da demora da Christie em liberar um relatório sobre as condições da peça, e o certificado de garantia de que se trata de um Da Vinci vence em apenas cinco anos. Esta informação foi impressa em letras pequenas atrás do catálogo de venda da obra.

 

Mesmo assim, a pintura atraiu o interesse de muita gente, mostrando que o público não se importa se a pintura é original de Da Vinci ou se é de um de seus pupilos. Na fase de pré-leilão, a peça foi exposta em Hong Kong, Londres, São Francisco e Nova York, e atraiu 27 mil pessoas interessadas em conferir a tela feita no século XVI.

Linha do tempo da obra perdida


A obra foi feita ao redor de 1.500, e alguns estudos realizados por Da Vinci ligam a tela a ele. Em algum momento, o rei Charles I da Inglaterra, um grande colecionador de arte, comprou a pintura. Ela provavelmente ficava no quarto de sua esposa Henriqueta Maria. Charles I foi executado em 1.649 na Guerra Civil Inglesa. Depois de sua morte, a obra foi vendida em 1.651, para John Stone.

Stone ficou com a pintura por nove anos, quando o filho de Charles I voltou do exílio para retomar o trono inglês. A tela foi devolvida para Charles II, e ela provavelmente ficou no Palácio de Whitehall em Londres até o final do século XVIII, passando de Charles II para seu irmão James II. A partir daí sua localização ficou imprecisa.

A pintura ficou em local desconhecido até o século XX, quando foi vendida como um trabalho de Bernardino Luini, um dos pupilos de Da Vince. Em 1.958, a tela foi comprada por apenas mil dólares no valor atual (na época, apenas 45 libras esterlinas).

Apenas em 2005 a pintura acabou em um leilão nos Estados Unidos, mas ainda acreditava-se que se tratava de um trabalho de um dos pupilos de Da Vinci. Depois daquela venda, em 2007 a restauradora Dianne Modestini, do Instituto de Nova York de Belas-artes, lançou um projeto para recuperar a obra, removendo gotas de tinta que haviam sido adicionadas ao painel de madeira para disfarçar batidas e para restaurar tentativas ruins de colar uma rachadura na madeira.

Foi aí que ela percebeu que poderia ter em mãos uma obra de Da Vinci. Especialistas do mundo todo examinaram a peça e concordaram que o autor realmente foi Da Vinci. Em 2011, a tela foi exposta na Galeria Nacional em Londres.

Algo que acrescenta ainda mais valor à tela é a técnica de pintura da pele de Cristo, chamada sfumato. Nela, o artista usa a palma da mão para espalhar tinta na tela. Imagens em infravermelho mostraram que ainda há impressões da mão de Da Vinci na tela, especialmente na testa de Cristo.

Em 2013, a tela foi vendida por US$80 milhões para um negociante suíço, que a vendeu por US$127 milhões em 2014 para o investidor Russo Dmitry Rybolovlev. A obra anterior de Da Vinci vendida por maior preço foi a “Cavalo e Cavaleiro”, por US$11,4 milhões em 2001. fonte:via [Live Science,via New York Times]

Uniram 576 border collies e criam um recorde da fofura na Austrália

Se um cachorro sozinho é capaz de provocar compaixão e de fofura ao ponto de pararmos estranhos na rua, o que esperar de 576 border collies ao mesmo tempo?

Pois foi essa a quantidade de cachorros de tal raça que se reuniram em uma praça em Willaston, na Austrália, a fim de bater o recorde mundial de border collies juntos em um mesmo lugar.

As fotos abaixo mostram que a tentativa deu mais do que certo:

 

O evento foi realizado pela Associação de donos de Border Collies do Sul da Austrália que, além de bater o recorde anterior de 503 animais, arrecadou 6 mil dólares para caridade.

Lamentavelmente, porém, o Guinness, o Livro dos Recordes, não reconhece marcas referentes a uma raça específica. Se os donos lamentaram, para os cães não havia qualquer problema – a alegria dos animais foi um recorde mais importante.

Mas fica aqui o pedido para que os brasileiros e seus border collies pensem em uma reunião linda como essa. Que tal já começar a pensar nisso agora mesmo?

 

© fotos: divulgação/fonte:via

Mulher bate recorde dos EUA de permanência no espaço: um recorde que era dela mesma

A astronauta norte-americana Peggy Whitson gosta mesmo de bater um recorde, ainda que ele seja dela mesma. No último fim de semana, Peggy retornou à Terra, após uma missão de 288 dias no espaço.

Com isso, ela soma 655 dias em missões espaciais, se tornando a astronauta dos Estados Unidos que passou mais tempo fora do planeta. O recorde anterior era dela mesma, e havia sido conquistado em abril deste ano, após ultrapassar a quantidade de dias no espaço do astronauta Jeff Williams.

Além de ser a astronauta norte-americana com mais tempo “de espaço”, Peggy, que tem 57 anos, também ostenta outros títulos de dar inveja a muito astronauta por aí: tem o recorde mundial da mulher que passou mais tempo no espaço, da mulher que passou mais tempo fazendo caminhadas no espaço, foi a primeira mulher a ser comandante da Estação Espacial e a primeira mulher a comandar a ISS por duas vezes.

O atual recorde mundial de tempo no espaço pertence ao astronauta russo Gennady Ivanovich Padalka, que permaneceu 879 dias em órbita. Alguém duvida que em breve Peggy irá bater esse recorde também?!

 

Imagens © NASA/fonte:via