Boyfriend sharing e esposa virtual: asiáticos estão repensando os relacionamentos com a tecnologia

Conhecer alguém no Tinder ou fazer um sexting não são o ápice dos relacionamentos tecnológicos.

No Japão, já é possível ter uma esposa completamente virtual.

O lançamento é da empresa Gatebox, que busca popularizar a prática de “viver com personagens”.

Através de um dispositivo completamente interativo, a marca oferece aos usuários a oportunidade de namorar Hikari Azuma, uma assistente virtual com um toque bem pessoal.

Com aparência de anime, a namorada trata-se de uma holografia projetada em um recipiente de vidro. Vendida por  150.000 ienes (cerca de R$ 5 mil), ela é capaz de comandar aparelhos eletrônicos, enviar mensagens carinhosas ao seu “namorado” e manter conversas com ele. De acordo com vídeos divulgados pela companhia, ela também pode ajudar o usuário a despertar, indicar a temperatura e até mesmo acompanhar o jantar com uma bebida virtual.

Para as mulheres, a novidade está na hora de fazer as compras. Na China, a tecnologia vem cumprindo a lacuna de um companheiro nestes momentos, através do serviço de “boyfriend sharing“.

Um shopping no país decidiu oferecer namorados de aluguel. Cada 30 minutos de companhia na hora das compras custa apenas 1 yuan (cerca de R$ 0,50), como mostra o vídeo abaixo, divulgado pelo site Asian Crush.

As interessadas no serviço precisam apenas escanear um QR code no quiosque que oferece os namorados. A missão dos acompanhantes é conversar com as usuárias do serviço, carregar suas sacolas e tirar fotos quando solicitado.

Nos dois casos, entretanto, não está previsto o contato físico.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Anúncios

Ilustradora retrata com bom humor o lado nada glamuroso dos relacionamentos

Ah, o amor! Ele pode ser perfeito nas telas de cinema e livros românticos, mas tem seus perrengues na vida real.

Pode ser aquela complicação na hora de dormir ou simplesmente os momentos nada glamourosos da vida como ela é…

É essa face menos comentada dos relacionamentos que desperta o olhar da ilustradora Amanda Oleander, de Los Angeles.

Ela se inspira em suas próprias experiência ao lado do companheiro Joey Rudman, com quem namora há três anos, e em vivências de conhecidos para desenhar o amor que ninguém vê.

Me encanta a maneira como as pessoas se comportam a portas fechadas, em momentos íntimos que nunca conseguimos ver. Esses são os momentos que realmente não podem ser documentados, porque, se fossem, isso alteraria a maneira como as pessoas se comportam. Então, eu os desenho“, descreveu ela ao site Bored Panda.

Se você e sua cara-metade já somaram alguns anos juntos, certamente irão se identificar com algumas das imagens abaixo.

Espia só!

Acompanhe o trabalho de Amanda também através do Facebook e do Instagram.

 

Fotos: Amanda Oleander /fonte:[via]