Drones estão ajudando a plantar árvores e monitorar desmatamento

Se antes eram um objeto de desejo acessível para poucos, os drones hoje se tornaram populares em diversas áreas de atuação – e são também um hobby para quem curte apenas brincar com os aparelhinhos.

Porém, o gadget pode ser útil para fins bem mais nobres, como o reflorestamento.

A startup americana DroneSeed espera utilizar o aparelho com esse fim em um futuro próximo. Em um voo de uma hora e meia, o dispositivo seria capaz de replantar uma área de cerca de quatro mil metros quadrados, segundo o The Greenest Post.

Para tornar isso possível, o drone espalharia sementes durante o voo. A altura que ele alcança é calculada para que as sementes sejam enterradas na terra graças à velocidade. Assim, aumentam as chances de que uma muda nasça do plantio.

Depois de espalhadas as sementes, os drones também ganham uma nova função: a de monitorar seu crescimento e garantir que nenhum tipo de desmatamento ilegal ocorra na região. No Brasil, um projeto similar prevê o uso de drones para monitorar a Amazônia a partir de 2019.

Infelizmente, a tecnologia de plantio da empresa ainda não está disponível. Enquanto isso, os drones da DroneSeed são usados para espalhar fertilizantes sobre as plantações – mas a gente espera que eles possam ser transferidos para um cargo mais nobre em breve! 🌱

Islândia replanta florestas arrasadas pelos vikings mil anos depois

A Islândia está cada vez mais em alta como destino turístico. Apesar de suas paisagens incríveis, o país esconde uma verdade desconcertante: um alto índice de desmatamento.

Isso nem sequer é novidade por lá, já que grande parte das florestas que cobriam o país desapareceram há mais de mil anos, quando os vikings chegaram à região. Nos últimos anos, mais de 3 milhões de árvores já foram replantadas no território, mas a recuperação ainda é lenta.

Hoje, cerca de 40% do país é deserto, mas o Icelandic Forest Service está trabalhando para reduzir o efeito causado por séculos de desmatamento. Ainda assim, estima-se que, apesar dos esforços, o crescimento das florestas tenha sido de apenas 0,5%.

Atualmente, o objetivo da Islândia é recuperar sua área florestal dos atuais 2% para 12% até 2100. Para isso, eles contam com a ajuda de plantas não-nativas capazes de auxiliar na recuperação dos solos, pois a única espécie de árvore autóctone na região, a Betula pubescens, não está se adaptando ao replantio.

 

Fotos via Unsplash /fonte:[via]