Sorvete hiper realista de cachorro é a atração principal deste restaurante em Taiwan

Que Taiwan é mestre dos restaurantes temáticos e inusitados a gente já sabe e já falamos sobre isso aqui e aqui. Porém, o que anda fazendo sucesso no J.C.co não é a decoração, mas um sorvete bem realista.

Um perfeito Shar-Pei – raça de cachorro oriunda da China, vem sendo cuidadosamente modelado pelos funcionários deste restaurante nos sabores chocolate, chá de leite ou amendoim e é justamente o sabor que determina a cor da pelagem.

Bizarro e nada apetitoso, não podemos negar que ele é extremamente bem acabado, tanto que vem sendo compartilhado nas redes sociais das pessoas que tem coragem de come-lo. Conta pra gente! Você teria coragem?

Fotos: reprodução J.C.co /fonte:via

Cada vez que você faz um pedido você ganha um livro neste restaurante

Um bife à milanesa e um ‘Cem Anos de Solidão’, por favor“. Não é exatamente assim que os pedidos são feitos no restaurante Traveler, mas poderia ser.

O local abriu suas portas em Connecticut, nos Estados Unidos, durante os anos 70. Seu proprietário era um grande amante de livros e, ao ver as estantes de sua casa cheias de obras literárias, decidiu que era hora de compartilhar o conhecimento com seus clientes. Assim, a cada pedido efetuado no restaurante, as pessoas ganhavam também um livro.

Embora tenha trocado de administração em 1993, a tradição continuou. De acordo com o Bored Panda, o local distribui entre mil e dois mil livros por semana – e já compartilhou mais de 2,5 milhões de títulos com os clientes. Junto com a refeição, cada pessoa pode levar entre uma e três obras.

Atualmente, os clientes podem escolher entre cerca de nove mil livros dispostos pelas estantes do restaurante. Em ocasiões especiais, o local costuma oferecer um menu para duas pessoas com entrada, prato principal, sobremesa e bebida por US$ 40 (cerca de R$ 150) – nada mal, considerando que o cliente ainda leva três livros de brinde, não é mesmo?

Foto: Nancy O/Tripadvisor /fonte:via

Rodízio de comida japonesa vegana prova que o sabor vai muito além do peixe

Cores, sabores e texturas de uma comida fina e delicada ou rodízio bem servido no melhor estilo coma o quanto puder. Os dois! Sempre fui em restaurante japonês pensando que ia sair passando mal. Mesmo não sendo de comer muito, a ideia de ter uma infinidade de coisinhas diferentes para provar e repetir já me dá palpitação. No caso da comida japonesa então, a emoção é maior ainda.

Pois bem, mas e num rodízio japonês sem um peixe sequer? Sem ovo, sem manteiga derretendo no shimeji. Dá para ser feliz? Sim, e muito! Com receitas criativas, coloridas e saborosas, o Sushimar Vegano é um pequeno oásis gastronômico. As receitas têm tudo que o rodízio padrão oferece: entradas como guioza, harumaki – os lindos rolinhos primavera – e cogumelos, e pratos que vão do combinado de sushi ao bifum ao curry. Outro rolinho harumaki, mas com banana e sorvete, encerra o festival.

Combinado colorido de sushis

Do menu à la carte saem outras delícias orientais. O ceviche do dia era de coco e, sério, não perdem em nada para o de peixe. A textura é perfeita, combina muito com o limão, o tomate e a cebola roxa. Maria Cermelli, sócia do Sushimar, contou que o que ela mais gosta é o de lichia, quando é a época. Como tudo é sazonal, o cardápio pode variar um pouco. Maria está há 27 anos no comando, junto com o um grupo de amigas, do Sushimar. Tudo começou em Paraty, em 1990. De lá pra cá, mais cinco unidades surgiram – quarto no Rio de Janeiro e uma em São Paulo.

Ceviche de coco com chips de banana

Maria não come carne vermelha e gosta muito das possibilidades da culinária vegana, então desenvolveu, junto com sua equipe de sushimen, um cardápio sem nenhum ingrediente de origem animal. Lançaram as ideias em 2017 com criações saborosas e absolutamente lindas.

A berinjela derretendo por dentro e frita por fora, recheada de tofu e shimeji e a porção de edamame abrem bem os trabalhos. A robata de shitaque é macia e tostadinha. O guioza de shitaque com cabotiá é uma cremosidade só. O de taioba é uma delícia que não pode faltar. Ela é uma PANC – produto alimentício não convencional – comum nas regiões norte e sudeste do Brasil e muito nutritiva. Outra PANC que entra e sai do cardápio conforme é encontrada é a peixinho, que é servida como tempurá e tem sabor muito parecido com o de peixe frito.

Porção de guioza tem shitake com cabotiá e legumes sazonais

O combinado de sushis é uma obra de arte. Dá até dó de comer (calma, nem tanto). Numa explosão de cores, cada duplinha é mais linda que a outra. Os niguiris – aquele com o arroz por baixo – vêm com shitaque, coco com pesto e ume, abobrinha ou tofu; e sushis de cenoura com edamame ou com wakami são delicados e deliciosos. São realmente as estrelas da casa.

Com vocês, os sushis

O cardápio tem ainda algumas opções de saladas e de pratos quentes, como tempurá de legumes, yakissoba, lamen de legumes, cogumelos e tofu, o arroz colorido yakimeshi, curry, bifum e udon com molho picante. Cada prato custa entre R$ 25 e R$ 49. Para encerrar, as novidades do cardápio são de chocolate. Vale provar o brownie macio e quentinho, servido com sorvete de creme. Não dá para acreditar que não leva leite!

Udon picante com tofu, broto de feijão, e shitake

A casa aberta em 2017 fica em um espaço aberto na Alameda Campinas. Tem lugares na pequena varanda, no salão, ou perto do sushiman, no balcão. É um convite ao novo, às pesquisas de sabores e aos desprendimento do padrão. Seguindo ou não uma alimentação vegana, o que vale é sair da caixa e sacar que as possibilidades são infinitas.

Fotos: Divulgação

Foto ceviche: Gabriela Rassy/fonte:via

Cada parede deste restaurante de Hong Kong é especialmente desenhada por grafiteiros

Você já deve ter visto por aí alguns restaurantes com uma das paredes do estabelecimento grafitada, não é? Mas e um local onde todas as paredes fossem grafitadas, e por artistas diferentes? Esse restaurante existe, se chama Bibo, e fica em Hong Kong.

Projetado para ser muito mais do que uma experiência gastronômica, a ideia faz parte de uma colaboração entre uma agência de design e um misterioso coordenador de projetos, que atende pelo mesmo nome do restaurante.

O local foi totalmente decorado com obras de artistas mundialmente reconhecidos, como Banksy, JR, Damien Hirst, Daniel Arsham e Invader. O objetivo, de acordo com o restaurante, é oferecer aos clientes um novo olhar sobre a arte, ao mesmo tempo em que os artistas têm a oportunidade de mostrar seu trabalho de um jeito diferente.

“Convidei artistas de rua de todo o mundo para criar instalações, mesmo antes do restaurante ser finalizado. Portas, paredes e até o teto foram usados. A ideia era que tudo parecesse inacabado, mas de uma forma orgânica”, explicou Bibo.

A julgar pelas fotos abaixo, jantar no restaurante/galeria realmente deve ser uma experiência única e fascinante. Então, se você nunca pensou em ir pra Hong Kong, está na hora de reconsiderar, não é mesmo?!

Imagens © Nathaniel Mcmahon/Fonte:via

Os mais belos restaurantes do mundo

Há muito tempo a culinária deixou de ser uma atração exclusivamente gastronômica para virar uma experiência multissensorial. Luz, odores, música, apresentação do prato, atendimento, decoração, tudo é levado em conta quando “avaliamos” um restaurante.

Não é a toa que são cada vez mais numerosos os reality shows, documentários e filmes que abordam o tema, sempre revelando as idiossincrasias criadas para surpreender a boca e os olhos dos clientes. E um bom exemplo disso são esses 5 restaurantes que nós selecionamos para você. Uma amostra de como o prato principal nem sempre é a refeição.

Ithaa Undersea Restaurant

Neste restaurante localizado nas Maldivas o peixe não está apenas no seu prato, mas ao redor dos visitantes. Submerso a quase 5 metros, permite uma verdadeira imersão na vida marinha do local.

ithaa-undersea-restaurant-maldives

Ali Barbour’s Cave Restaurant

Localizado próximo a Mombasa, a segunda maior cidade do Kenia, este restaurante está incrustado em uma caverna com aproximadamente 150 mil anos de idade. É de tirar o fôlego.

ali-barbours-cave-restaurant-diani-beach-kenya

Perla

O restaurante chama Perla, possui o formato de uma concha e faz parte do hotel caribenho chamado La Concha. Além da vista para o mar azul o salão ainda é rodeado por uma piscina infinita. Nada mal, né?

perla-san-juan-puerto-rico

Clos Maggiore

Lareira, uma decoração impecável e as flores que cobrem as paredes e os tetos. Dá pra entender porque este restaurante em Londres foi eleito o mais romântico do mundo em 2016.

clos-maggiore-london-england

Turandot

Todo a ostentação e grandiosidade da arquitetura russa está muito bem representada neste restaurante moscovita. Estima-se que sua construção tenha custado aproximadamente 50 milhões de dólares.

turandot-moscow-russia

Imagens © Reprodução Business Insider/fonte:via

O ‘Restaurante dos Pedidos Errados’ só contrata pessoas com demência e isso é muito maravilhoso

Já pensou ir até um restaurante e, ao chegar seu pedido, ter a desagradável surpresa dele estar errado? Pois essa é a premissa do “Restaurante dos Pedidos Errados”, que funcionou em formato pop-up na última semana, em Tóquio.

Com o objetivo de chamar a atenção para a demência, deficiência cognitiva persistente e progressiva que afeta a memória e a capacidade de resolver problemas simples, além de interferir nos relacionamentos e atividades do dia a dia, o quadro de funcionários do local era formado apenas por garçons que sofrem da síndrome.

Com isso, eles provavelmente errariam o pedido do cliente, trazendo um prato diferente do esperado. Fato que não necessariamente foi uma experiência ruim, como explicou Mizuho Kudo, que pediu um hambúrguer mas recebeu deliciosas guiozas no lugar, e adorou.

Agora, a ideia é reabrir o restaurante em setembro, para chamar a atenção para outra causa, o Mal de Alzheimer.

Imagens © Mizuho Kudo/Yahoo Japão/fonte:via