Programaram um robô capaz de desenhar melhor que muitos artistas

Robôs são ótimos para muitas coisas, mas será que eles podem se transformar também em bons artistas?

Se depender apenas de suas habilidades em desenho, a resposta é sim.

Basta olhar as criações de Karel, um robô programado para aprender a desenhar a partir de fotografias. Durante nove meses, ela já foi ensinada a reproduzir imagens com diferentes estilos de traço.

Karel é uma criação do LinesLab, um estúdio experimental criado por Sergej Stoppel, que explora arte algorítimica e robótica.

E, embora ela já possa desenhar melhor do que muitos artistas, dificilmente conseguirá recriar aquilo que faz da arte algo tão especial: a criatividade de seus criadores.

Espia só algumas das obras de Karel!

Gostou do que viu? Você pode adquirir um dos desenhos de Karel clicando aqui.

Fotos: reprodução/fonte:via

Anúncios

Programaram um robô capaz de desenhar melhor que muitos artistas

Robôs são ótimos para muitas coisas, mas será que eles podem se transformar também em bons artistas?

Se depender apenas de suas habilidades em desenho, a resposta é sim.

Basta olhar as criações de Karel, um robô programado para aprender a desenhar a partir de fotografias. Durante nove meses, ela já foi ensinada a reproduzir imagens com diferentes estilos de traço.

Karel é uma criação do LinesLab, um estúdio experimental criado por Sergej Stoppel, que explora arte algorítimica e robótica.

E, embora ela já possa desenhar melhor do que muitos artistas, dificilmente conseguirá recriar aquilo que faz da arte algo tão especial: a criatividade de seus criadores.

Espia só algumas das obras de Karel!

Gostou do que viu? Você pode adquirir um dos desenhos de Karel clicando aqui.

Fotos: reprodução/fonte:via

Conheça o Scribit, o ‘robô grafiteiro’ que faz desenhos e decora paredes

É preciso muita convicção do que se quer fazer para pintar ou desenhar uma imagem ou um texto na parede de sua casa ou de seu negócio. E, uma vez que se começa, voltar atrás é praticamente impossível.

Quer dizer… mais ou menos por aí.

Para quem não quer passar apuros, basta utilizar o Scribit, e todos esses riscos e exigências desaparecem, e o que aparece é uma incrível ilustração feita em sua parede à perfeição e, melhor, que pode ser apagada e substituída.

O aparelho é um “robô grafiteiro”, capaz de reproduzir imagens a partir de um aplicativo em praticamente qualquer superfície vertical.

O Scribit foi inventado pelo professor da MIT Carlo Ratti, e oferece uma solução tão engenhosa e eficaz que seu projeto de financiamento coletivo no Kickstarter alcançou a meta em somente duas horas.

O Scribit é a solução perfeita para, por exemplo, um restaurante que precisa anunciar os pratos do dia, para quem quer escrever frases inspiradoras, decorar o quarto com um desenho do Van Gogh – ou um original criado por você mesmo. O robô permite apagar ou atualizar o desenho quando se quiser.

Sua tecnologia opera ao mesmo tempo com até quatro cores, e basta um par de pregos presos à parede, uma tomada e uma conexão à internet para a mágica acontecer. As superfícies mais indicadas são paredes comuns e vidros, mas o Scribit em princípio imprime sobre qualquer superfície vertical, e o robô vem com 24 cores diferentes para serem utilizadas. Para apagar ele usa o calor – fazendo a tinta simplesmente evaporar.

Não só o resultado final é incrível, mas como mostram as imagens, o próprio robô realizado o desenho já é uma atração e tanto.

A Claro tem vantagens do pré ao pós-pago. Uma rede novinha, com o 4.5G até 10x mais rápido e WhatsApp e ligações Ilimitados. E ainda Passaportes Américas Europa para navegar e falar no exterior como se estivesse no Brasil. E aí, tá dentro?

© fotos: reprodução/fonte:via

Maior ‘zona morta’ do mundo é descoberta por robôs submarinos e preocupa cientistas

Graças à tecnologia nós estamos fazendo muitas descobertas e tendo acesso à áreas inóspitas, que dificilmente conseguiríamos sozinhos. Nesta semana, cientistas comprovaram o que já desconfiavam e a notícia não é nada boa, já que robôs submarinos descobriram simplesmente a maior ‘zona morta’ do mundo.

A área em questão fica no Golfo de Omã, na península arábica e possui o tamanho da Escócia. Os cientistas da Universidade de East Anglia e da Universidade Sultan Qaboos de Omã já sabiam da existência desta zona, mas não imaginavam que ela seria tão grande: “Nossa pesquisa mostra que a situação é realmente pior do que o temido e que a área de zona morta é vasta e crescente”.

Já não é de hoje que a questão dos oceanos vem sendo amplamente discutida, já que o futuro não parece muito promissor e, diversas espécies correm risco de extinção, devido a imensa quantidade de plástico, entre outros problemas, como poluição, esgoto, super aquecimento e etc…

O médico Bastien Queste, que liderou a pesquisa, disse em tom alarmante que o oceano está sufocando e o problema é mais grave do que aparenta. A vida no mar requer oxigênio, que está acabando por causa das mudanças climáticas, ação do homem e excesso de produtos químicos. A zona morta é exatamente um grande pedaço do oceano onde não há mais vida, simplesmente porque não há mais oxigênio.

As consequências são terríveis, não somente para a fauna e flora marinha, mas para o homem também, que depende dos oceanos para sua própria sobrevivência. Esta é uma questão ambiental que precisa ser resolvida o quanto antes, já que a pesquisa mostra que a zona morta continua a crescer.

Fotos: Deposit Photos /fonte:via