Este centro esportivo na Tailândia é totalmente feito de bambu

Localizada na cidade de Chiang Mai, na Tailândia, a Panyaden International School busca ensinar aos alunos valores humanos baseados no budismo ao mesmo tempo em que oferece um currículo educacional britânico.

O espaço escolhido para a instituição é um resumo destes valores, ao mostrar que o amor e o respeito à natureza merecem ser celebrados em cada aspecto da construção.

Dessa forma, o centro esportivo da escola foi construído apenas com bambu e nenhum outro material. O projeto ganhou o nome de Bamboo Sports Hall e aproximou as crianças ainda mais da natureza, ao mostrar que materiais naturais podem ser tão ou mais resistentes quanto os usados em contruções convencionais, além de oferecerem mais ventilação, mantendo os ambientes frescos. Graças a essas características, não há necessidade de ar condicionado nas instalações.

Tudo isso, aliado a uma sensação agradável que só a arquitura natural é capaz de oferecer. Mais importante do que a parte estética, é a funcionalidade da construção, capaz de suportar ventos de alta velocidade e até terremotos. Estima-se que a construção vá durar, pelo menos, 50 anos.

Com capacidade para 300 estudantes, a arena tem uma área total de  782 m². Nessa extensão encontram-se quadras de futsal, basquete, vôlei e badminton, bem como um palco, que pode ser levantado automaticamente durante a realização de espetáculos ou eventos esportivos.

Os prédios antigos da escola são feitos também em bambu, adobe ou taipa, de forma que o centro esportivo se conectou perfeitamente ao restante da construção. De acordo com o Ciclo Vivo, a escolha por materiais naturais reduziu em 90% a pegada de carbono da estrutura em um comparativo com construções convencionais.

Espia só mais algumas fotos da construção:

Por que a praia do filme ‘A Praia’ teve que ser fechada para turistas?

A Maya Bay, na ilha de Koh Phi Phi Leh, é um dos destinos turísticos mais procurados por quem visita a Tailândia. O lugar, que ganhou fama mundial graças ao filme A Praia, estrelado por Leonardo Di Caprio, se tornou vítima de seu próprio sucesso.

Com cerca de 5 mil visitantes diários, todos levados até a praia graças a barcos, a Maya Bay tem sofrido com a redução da barreira de corais, causada especificamente pelas embarcações, mas também com o lixo deixado para trás por turistas pouco conscientes.

Desde o dia 1º de junho entrou em vigor uma determinação do governo tailandês, divulgada no início do ano, que restringe quase que totalmente a entrada de turistas no local, ao menos até o dia 30 de setembro. As autoridades esperam que o período seja suficiente para que a vida marinha da área se renove.

Ao mesmo tempo, vão ser realizados estudos durante os 4 meses de “férias” de Maya Bay para buscar alternativas que ajudem a promover a sustentabilidade ambiental quando o turismo for permitido novamente – De acordo com Thon Thamrongnawasawat, da faculdade de ciências da pesca da Universidade Kasetsart de Bangkok, o país já perdeu quase 80% de seus bancos de corais.

Entre o início de junho e o fim de setembro, os visitantes poderão ir de barco até uma distância de 400 metros de Maya Bay. Vale lembrar que outras regiões do sudeste asiático também têm restrições para o turismo por conta da preservação ambiental, e que para acessar a praia é preciso pagar uma taxa especial dedicada à conservação da área.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Únicos solteiros entre os amigos, dupla faz viagem de ‘Brother de Mel’

Com 15 anos de amizade e uma mochila nas costas, estes dois aventureiros partiram em uma inesquecível viagem de “Brother de Mel” pela Tailândia.

Os registros do retiro entre amigos foram feitos no melhor estilo da série “Follow Me To“, criada pelo fotógrafo Murad Osmann e transformada em clichê na internet.

O primeiro clique começou já no aeroporto. Logo, a dupla seguiu para Ton Sai Beach, continuou a viagem por Chiang Mai, visitou alguns templos tailandeses, conheceu um santuário de elefantes e uma estátua gigante de Buda, e terminou a trip em Bangkok. Cada momento foi registrado com muita broderagem, em fotos que os dois amigos aparecem de mãos dadas.

A ideia foi compartilhada através de um tópico no Imgur, que ganhou o título de “enquanto todos os outros estão casando e tendo filhos…“. Depois de públicada, a série de fotos já foi vista por mais de 200 mil pessoas e deixou muita gente morrendo de vontade de sair em uma “Brother de Mel” também.

Espia só que tudo!

Fotos: Imgur/Reprodução /fonte:via

Série fotográfica retrata o dia a dia da primeira lutadora transexual de Muay Thai na Tailândia

Quando nasceu, há 21 anos, Rose foi registrada como Somros Polchareon. Hoje, rebatizada como Nong Rose Baan Charoensuk, é uma reconhecida lutadora transsexual de Muay Thai no seu país, a Tailândia.

Rose luta desde os 8 anos de idade, por influência de um tio, e conta que precisou enfrentar muita resistência por parte dos seus adversários, que não admitiam lutar contra ela. “Eles falavam que seria constrangedor independentemente se ganhassem ou perdessem”, disse à Reuters.

A lutadora já conta com mais de 300 lutas no currículo, tendo vencido metade delas, 30 por nocaute. Ainda que esteja quebrando barreiras, Rose não é a primeira lutadora trans do seu país. Parinya “Nong Toom” Charoenphol foi a primeira que se tem conhecimento, fazendo bastante sucesso nos anos 90 e, após uma longa pausa, voltou aos ringues em 2006.

E apesar da Tailândia ser vista como um paraíso para os transexuais, muitos deles alegam serem tratados com desprezo. Inclusive, não é possível alterar o gênero em documentos de identidade, mesmo com uma lei contra a discriminação de gênero tendo entrado em vigor em 2015.

 

 

Imagens © Reuters/Athit Perawongmetha/fonte:via