Site procura interessado em viajar para 7 países conhecendo estações de esqui emprego dos sonhos

O Ski.com está em busca de pessoas interessadas em conhecer as principais estações de esqui do mundo. O melhor, além de não arcar com os custos, o escolhido vai se pago para isso. Aberta mais uma temporada de o emprego dos sonhos.

O aventureiro vai visitar pistas em sete países, dispostos em três continentes. A jornada durará dois meses e acontece entre janeiro e fevereiro de 2019.

O salário, se é que podemos chamar assim, é de 41 mil reais. Claro, passagens aéreas, hospedagem, alimentação e aluguel de um carro, também estão no pacote.

Entre os destaques estão as estações de esqui Park City, nos EUA, Courchevel, nos alpes franceses e Hakuba Valley, localizada no Japão. Curtiu? Então corra, pois as inscrições vão até o dia 15 de outubro e o selecionado será anunciado no dia 30 deste mês.

Para participar, basta gravar um vídeo de 60 segundos dizendo os motivos que fazem de você o candidato perfeito para a vaga. Depois, é só publicar o conteúdo nas redes sociais com a hashtag #EpicDreamJob.

Foto: Reprodução/fonte:via

Anúncios

‘Cozinha real’ abre vaga com salário de R$ 100 mil por ano e sem experiência prévia

Trabalhar para a realeza pode ser o sonho de muita gente, mas é preciso começar por baixo.

Que tal iniciar essa carreira real como auxiliar de cozinha no Palácio de Buckingham?

A vaga foi anunciada recentemente no site oficial do palácio e não requer experiência prévia. Entre as atividades envolvidas estão a organizção e limpeza da cozinha. Ocasionalmente, os auxiliares também irão participar do preparo das refeições.

O selecionado irá receber cerca de R$ 100 mil ao ano – ou £ 19.935,80 – para realizar as atividades. Além disso, estão previstos 33 dias de folga (incluindo feriados), treinamento profissional e “diversos benefícios”.

Um dos pré-requisitos da vaga, no entanto, é aceitar viver na residência real, em Londres, com todas as refeições incluídas. Nada mal, não é mesmo?

Candidate-se clicando aqui, ou veja todas as vagas disponíveis no Palácio de Buckingham neste link.

Foto em destaque via Pixabay /fonte:via

Resort de luxo nas Maldivas contrata livreiro com acomodação inclusa

Ilhas Maldivas, um pequeno paraíso localizado no continente asiático. Conhecida pela abundância da vida marinha e os vários tons de azul das águas salgadas do mar, o lugar atrai atenção de pessoas em busca de uma experiência íntima com o que de melhor a vida pode oferecer.

Se passar férias em um ambiente destes já é um sonho dourado, imagine só ganhar dinheiro para atravessar uma temporada trabalhando? Um dos hotéis mais luxuosos das Maldivas está com vagas abertas para livreiros interessados em estimular o hábito da leitura nos clientes.  

Philip Blackwell, dono de uma livraria na região desde 2006, está a procura de alguém para trabalhar no Soneva Fushi Resort. A arquitetura do hotel é de cair o queixo. Instalado há alguns metros de uma ilha coberta por uma densa vegetação, o edifício é todo feito de madeira e passa a sensação de estar flutuando no meio do oceano.

“É um emprego dos sonhos para muitas pessoas. Se eu tivesse 25 anos de novo, certamente me candidataria”, declarou Philip em entrevista ao The Guardian.

O selecionado terá acomodação inclusa e vai trabalhar dentro do resort, instalado na ilha privada. Entre as funções, está também a de alimentar um blog sobre a experiência de viver em uma ilha deserta e contar histórias infantis para crianças.

Os interessados devem ter paixão por livros e estarem livres para ficar nas Ilhas Maldivas por pelo menos três meses. Criatividade e inspiração são diferenciais. Os resultados serão publicados no Book Brunch.  

Fotos: reprodução/fonte:via

Ele caminhou 32 km no 1º dia de trabalho. E ganhou um carro do chefe

O primeiro dia de trabalho é sempre cercado de expectativas e um certo nervosismo. Apesar da frase ‘a primeira impressão é a que fica’ não ser uma verdade absoluta, é sempre importante cumprir algumas obrigações.

Talvez o principal item da cartilha seja a pontualidade. É complicado chegar depois do horário logo de cara. Walter Carr viveu uma situação semelhante e precisou encontrar uma saída desafiadora para chegar ao trabalho depois de seu carro ter quebrado.

A pé em pleno subúrbio de Birmingham, no Alabama, Carr resolveu caminhar 35 quilômetros durante a noite para cumprir o compromisso de trabalho. Durante o trajeto o rapaz foi interpelado por um policial militar, que sensibilizado com sua história, o convidou para tomar café e institui em acompanhá-lo até o destino.

O expediente começava às 8h e Carr estava encumbido de realizar a mudança de uma das clientes da empresa. Por volta das 6h30 a campainha é acionada. Ao abrir a porta Jenny Lamey se surpreendeu ao ver o estudante acompanhado do oficial.

“Ele contou que tinha pegado aquele bom rapaz em Pelham, logo cedo pela manhã. Walter disse que estava ali para me ajudar na mudança”, escreveu em relato publicado no Facebook.

O caso gerou grande comoção, inclusive do chefe do rapaz, que reconhecendo o gesto de superação, resolveu presenteá-lo com um carro novo. Luke Marklin, diretor da empresa de mudanças Bellhops, se deslocou do Tennesse ao Alabama para encontrar pessoalmente o funcionário. Na sequência lhe entregou as chaves do próprio veículo.

Estudante de um curso na área de saúde, Walter Carr disse ter sido a primeira oportunidade de emprego em alguns anos. O jovem, cujo a família teve que deixar Nova Orleans depois do furacão Katrina, queria mostrar sua dedicação.

“Walter, você não tem ideia de quantas vidas você mudou e inspirou. Você é um jovem muito especial e vai fazer grandes coisas”, finalizou Jenny.

Fotos: Reprodução/CBS/fonte:via

O maravilhoso miniescritório móvel que gera sua própria energia

O mundo do trabalho está mudando rapidamente, e, graças principalmente à internet, o home office já é uma realidade. Mas ficar preso em casa nem sempre é a melhor ideia, e poder trabalhar por aí se torna uma alternativa interessante.

Isso é possível com o escritório itinerante minimalista Minim Workspace, uma espécie de trailer com pouco mais de 7 metros quadrados de interior, e a versão mais completa é equipada com porta com fechadura eletrônica, janelas antirruído, mesa, sofá, ar-condicionado, micro-ondas, pia e geladeira.

Os criadores do Minim imaginam que ele possa ser usado por profissionais autônomos como músicos, massagistas ou instrutores de yoga, além de poder se tornar um ambiente extra em escritórios comuns, ser levado para feiras e exposições ou até para quem quer trabalhar bem longe da vida urbana.

É para isso que existe a opção “off-grid”, que dispensa a conexão a uma fonte de energia: placas de captação de energia solar e bateria garantem gerar a eletricidade necessária para o funcionamento de todos os equipamentos por um dia inteiro.

Atualmente, a empresa, que fica nos EUA, trabalha através de alugueis mensais, em contratos de no mínimo 6 meses. A versão mais simples custa U$675 por mês, enquanto a completa e off-grid é alugada por U$925.

 

Fotos: Divulgação/fonte:via

Conheça Lulu, a cachorra que foi ‘demitida’ por falta de vontade de trabalhar na CIA

Sabe aquela história de não se sentir bem com a carreira que parece ser seu destino profissional? Uma filhote de labrador passou por isso nos Estados Unidos, mas, graças à atenção de seus treinadores, conseguiu encontrar um caminho mais adequado.

A protagonista dessa trama é Lulu, que estava na turma de labradores treinados pela CIA para fazer parte da K9, um grupo de cães especializados em detectar explosivos a partir do faro.

Conforme o treinamento avançava, os tutores dos animais perceberam em Lulu alguns sinais de que ela não estava gostando muito daquelas coisas.

De acordo com a CIA, é normal que os cães tenham dias bons ou ruins no treinamento, mostrando preguiça, tentando simplesmente adivinhar de onde vêm os odores ou mesmo ignorando tudo que se passa ao redor.

Como normalmente esse tipo de comportamento dura um ou dois dias, eles decidiram tentar com Lulu algumas técnicas que funcionam com outros cães desinteressados, como brincar mais, acrescentar novos desafios ou simplesmente descansar.

Não resolveu, e ficou claro para os treinadores que fazer parte da divisão K9 não era mesmo do agrado de Lulu. Quando isso acontece, é comum dispensar os cães do programa, e seus treinadores têm a oportunidade de adotá-los, o que geralmente acontece.

Agora, Lulu está vivendo na casa de um dos treinadores da CIA. Ela já se tornou amiga de Harry, outro labrador preto que vive com a família. Agora, ela passa os dias brincando no quintal, farejando coelhos e esquilos e se divertindo junto das filhas do seu novo tutor.

Fotos: Divulgação/CIA/fonte:via

Fotos em primeira pessoa mostram como o trabalho manual ainda nos aproxima como humanos

O que um açougueiro que trabalha nos Estados Unidos e um mecânico atuando na China têm em comum? Para o fotógrafo paquistanês Sanwal Deen, mais do que o pensamento rápido pode sugerir. De acordo com ele, por mais que estejamos vivendo uma era digital, o trabalho manual ainda nos conecta como seres humanos.

Foi para ilustrar sua ideia que Deen criou o projeto fotográfico Work (“Trabalho”), que reúne imagens em primeira pessoa de profissionais que atuam em diferentes ramos. Do cuidado com flores à atenção culinária, da costura à arte de tocar piano, as mãos estão sempre presentes, inclusive para quem tem um notebook como principal ferramenta de trabalho.

“Meu objetivo é capturar a individualidade combinada à conectividade de indivíduos ao redor do mundo. O trabalho parece muito diferente em diferentes lugares, ao mesmo tempo em que é quase igual”, explica Deen. Por enquanto todas as fotos do projeto foram feitas nos Estados Unidos, onde ele mora, mas o paquistanês pretende expandir o projeto em outros continentes e lançar um livro, em que as imagens serão acompanhadas por entrevistas.

Para fazer as imagens de Work, Deen fotografou os profissionais enquanto eles realmente estavam trabalhando, o que criou alguns desafios, como preparar as cenas da forma mais ágil possível e fazer os cliques rapidamente para não atrapalhar as pessoas que toparam fazer parte do projeto.

Fotos © Sanwal Deen/fonte:via