Rio de Janeiro coloca na rua primeiros ônibus 100% elétricos

O Rio de Janeiro iniciou a operação dos primeiros ônibus 100% elétricos. Os veículos estão sendo usados no programa Tarifa Comercial Zero e circulam gratuitamente nos quatro principais pontos comerciais de Volta Redonda.  São eles, Vila Santa Cecília, Retiro, Centro e Aterrado.

A substituição dos combustíveis fósseis se dá por meio de dois motores BYD-2912TZ-XY-A, de 150 KW, o equivalente a 402 cavalos. Os veículos possuem ainda chassis BYD D9W, que são utilizados para a aplicação em carrocerias com até 13,2 metros de comprimento. Os coletivos não têm degraus, facilitando o embarque e desembarque, além de contarem com um sistema de freio a disco regenerativo.

A adoção dos ônibus elétricos vai contribuir para a redução de emissão de poluentes e gases causadores do efeito estufa. Para se ter ideia, cada ônibus elétrico em circulação diminui os níveis de CO2 em mais de 1 tonelada.

No caso de Volta Redonda, o ônibus chega em boa hora. Sofrendo com inúmeros problemas de mobilidade urbana, a cidade do sul fluminense dispõe de uma alternativa saudável para o meio ambiente e usuários.

Falando ao Ciclo Vivo, Tyler Li, presidente da BYD do Brasil, diz que “o ônibus elétrico é uma tecnologia promissora na busca por um transporte público menos poluente e com menor custo de manutenção. Com cada vez mais grandes metrópoles globais realizando testes e implementando esse tipo de veículo em suas vias públicas, o ônibus elétrico vai deixando de ser apenas uma ideia do futuro, firmando-se dia a dia como realidade”.

A cidade de São Paulo também namora o ônibus elétrico. Segundo a prefeitura, a expectativa é que os modelos ganhem mais espaços nas ruas paulistanas até o fim do ano.

Carregados a bateria, os ônibus elétricos possuem autonomia de 300 km, superior aos 200 km percorridos em média pelos coletivos convencionais. O carregamento total das baterias leva entre 4 e 5 horas. Assim como no Rio de Janeiro, o chassi é fornecido pelo multinacional chinesa BYD. O intuito é reduzir em 15% a emissão de CO2.

Foto: Reprodução/fonte:via

Anúncios

Alunos da Ufam fizeram ensaio dentro do ônibus para relatar desafios da graduação

Quem usa o transporte público para estudar sabe o quanto é difícil chegar no horário. Agora, imagine só se você é aluno da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e precisa atravessar todos os dias a maior área verde de zona urbana do Brasil. A terceira do mundo.

Para celebrar esta conquista, muitas vezes mais desafiadora do que uma defesa de tese de sucesso, os estudantes de administração da Ufam resolveram apostar na criatividade e realizaram o ensaio de colação de grau dentro de um ônibus.

O book no coletivo foi recebido com muitas risadas pelos colegas de universidade, que se encantaram com a criatividade dos formandos. E claro, como a ideia era ser fiel aos acontecimentos da vida real, as fotografias foram tiradas por Marcos Albuquerque com o busão em movimento  e com os alunos em pé. Sim, a vida como ela é.

“Não que não fosse legal fazer um book fotográfico em um hotel, mas não era minha realidade como aluno. Seriam fotos lindas, mas a minha realidade não foi essa. Minha realidade é a Ufam”, relatou ao G1 Rafael Barros, que convenceu mais 22 amigos a comprarem sua ideia.

A Universidade Federal do Amazonas possui uma área verde de aproximadamente 6,7 milhões de m². O caminho dos alunos não é nada fácil e, além de passar horas dentro do ônibus, eles precisam conviver com animais silvestres. O percurso de ida e volta para o campus é de 12 quilômetros.

A colação de grau está marcada para o dia 15 de agosto.

Fotos: Marcos Albuquerque/Reprodução /fonte:via

Elon Musk tem um plano para você atravessar o planeta em até 40 minutos

Para o empresário Elon Musk, o futuro não só é agora como ele deve ir muito além dos limites que imaginamos – e, para isso, Musk vem trabalhando arduamente para transformar o que pareciam delírios do melhor cinema de ficção científica em uma realidade próxima. Sua mais nova empreitada é um sistema de transporte que seja capaz de cruzar o planeta em 30 a 40 minutos – e para isso ele pretende combinar duas de suas empresas e revolucionar a maneira como viajamos, nos locomovemos e, assim, que vivemos.

O projeto que Musk anunciou por sua conta no Twitter irá acontecer em uma parceria entre a BFR (Big Falcon Rocket, empresa que desenvolveu o mais velos e eficaz foguete do mundo) e a The Boring Company, pela qual o designer e inventor sul-africano vem investindo na tecnologia do hyperloop – ambas empresas de Musk sob a chancela da SpaceX. O anúncio, tanto de Musk quanto de outras pessoas ligadas às empresas, garante que não só isso realmente irá acontecer, como estará disponível em breve – num espaço de no máximo 10 anos.

Os hyperloops é um sistema de transporte ainda em desenvolvimento, que correrá por túneis de baixa pressão, sobre um fluxo constante de ar pressurizado – o que permitirá que “trens” ou “foguetes” atinjam velocidades altíssimas inéditas. Combinando tal tecnologia ainda por vir com a tecnologia dos foguetes da BFR, e o resultado será, garante Musk, cruzar o planeta em menos de uma hora.

Segundo uma das diretoras da BFR, uma passagem de Nova Iorque para Xangai custará cerca de 2 mil dólares, e o sistema será capaz de realizar cerca de 12 viagens ao redor do planeta por dia. Musk tuitou que fará uma livestream, com direito a perguntas e respostas, amanhã às 7 da noite – horário americano – na qual possivelmente ele trará mais informações sobre a novidade. O futuro, pelo visto, é logo ali – e está sendo desenhado na cabeça de Elon Musk.

© fotos: divulgação/fonte:via