Moradores de vilarejo afastado constroem estrada entre falésia com as próprias mãos

Quem vive em grandes centros urbanos nem imagina que ainda existem pessoas que são obrigadas a atravessar 8 vilarejos ou, se aventurar no meio de um penhasco para chegar na cidade mais próxima. Era essa a realidade dos moradores de Shenlongwan, uma vila isolada na província de Shanxi – norte da China. Insatisfeitos com a dificuldade de chegar à civilização, eles decidiram construir uma estrada com as próprias mãos, em 1985.

Com 1526 metros de comprimento, ela é uma verdadeira maravilha da engenharia, construída de maneira rudimentar, porém milagrosa. A estrada, que passa entre as falésias, levou 15 anos para ficar pronta, após muito esforço da comunidade, que não contou com a ajuda do governo. Agora, no entanto, ela vem atraindo milhares de turistas para a região.

Desde a inauguração, em 2000, a região tornou-se um um importante polo de turismo da província. Somente no ano passado, mais de 300 mil turistas sedentos por passar pela estrada mágica, viajaram para Shenlongwan, que há poucos anos era apenas uma vila remota e sem recursos do norte da China. Hoje, a vila saiu da pobreza graças à estrada, que já injetou mais de U$ 7 milhões na economia do local.

Fotos: News.cn /fonte:via

Resort de luxo nas Maldivas contrata livreiro com acomodação inclusa

Ilhas Maldivas, um pequeno paraíso localizado no continente asiático. Conhecida pela abundância da vida marinha e os vários tons de azul das águas salgadas do mar, o lugar atrai atenção de pessoas em busca de uma experiência íntima com o que de melhor a vida pode oferecer.

Se passar férias em um ambiente destes já é um sonho dourado, imagine só ganhar dinheiro para atravessar uma temporada trabalhando? Um dos hotéis mais luxuosos das Maldivas está com vagas abertas para livreiros interessados em estimular o hábito da leitura nos clientes.  

Philip Blackwell, dono de uma livraria na região desde 2006, está a procura de alguém para trabalhar no Soneva Fushi Resort. A arquitetura do hotel é de cair o queixo. Instalado há alguns metros de uma ilha coberta por uma densa vegetação, o edifício é todo feito de madeira e passa a sensação de estar flutuando no meio do oceano.

“É um emprego dos sonhos para muitas pessoas. Se eu tivesse 25 anos de novo, certamente me candidataria”, declarou Philip em entrevista ao The Guardian.

O selecionado terá acomodação inclusa e vai trabalhar dentro do resort, instalado na ilha privada. Entre as funções, está também a de alimentar um blog sobre a experiência de viver em uma ilha deserta e contar histórias infantis para crianças.

Os interessados devem ter paixão por livros e estarem livres para ficar nas Ilhas Maldivas por pelo menos três meses. Criatividade e inspiração são diferenciais. Os resultados serão publicados no Book Brunch.  

Fotos: reprodução/fonte:via

A primeira catapulta humana do mundo é uma experiência totalmente radical

A Nova Zelândia é conhecida mundialmente graças ao gosto pelos esportes radicais, mas uma nova atração turística de Queenstown levou o negócio a um novo nível. O bungee jumping turbinado foi batizado como “Nevis Catapult” e, ainda que algumas pessoas digam que se parece mais com um estilingue, se denomina a primeira catapulta humana do mundo.

A atração simplesmente leva os corajosos a 150 metros de altura e os lança em uma queda livre em que chegam a atingir 100 km/h em 1,5 segundo. De acordo com os inventores, a Catapulta faz as pessoas sentirem uma força G equivalente a 3 vezes a gravidade da Terra.

O salto custa 255 dólares neozelandeses por pessoa e, segundo o criador, Henry van Asch, é a realização de 30 anos de planejamento e desenvolvimento, desde que a ideia era apenas uma viagem até se concretizar.

Especialista em bungee jumps, tendo ajudado a tornar a atividade famosa em todo o mundo, ele foi o primeiro a saltar após a inauguração oficial. “É um sentimento único, até surpreendente. Não há nada parecido”, disse o experiente aventureiro.

Fotos: Divulgação/AJ Hackett Bungy NZ/fonte:via

Glampings: 8 ‘campings de luxo’ para curtir a natureza com muito conforto pelo Brasil

Foi-se o tempo em que acampar era uma atividade apenas para quem não se importava muito com conforto.

Hoje em dia, é possível viajar em meio à natureza com um toque de luxo. A prática vem sendo chamada de glamping, um misto de camping com glamour – e o nome não poderia ser mais certeiro.

Surgido no exterior, o conceito já ganhou adeptos aqui no Brasil. Reunimos alguns destes espaços que prometem transformar suas próximas férias em um verdadeiro retiro de luxo em meio à natureza.

1. Mangarito – Petar, SP

Localizado entre as cidades de Apiaí e Iporanga, no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira Mangarito (PETAR), este glamping afirma ser o primeiro alojamento do tipo no país.

As cabanas ficam localizadas na maior porção preservada de Mata Atlântica no Brasil, em uma área com rios, cachoeiras e cavernas. O espaço oferece bangalôs e quartos para até quatro pessoas. Além de contar com um bar e restaurante próprios, o glamping também tem uma lareira externa e uma jacuzzi ao ar livre para até quatro pessoas.

2. Cachoeira dos Borges – Mampituba, RS

Localizado a cerca de 200 km de Porto Alegre, esse espaço de glamping fica em um vale na Comunidade de Roça da Estância. Com três charmosas cabanas preparadas para quem quer viver a experiência de “acampar sem barraca”, a hospedagem inclui café da manhã no restaurante e uma vista para a cachoeira e para as montanhas.

3. Rancho do Peixe – Praia do Preá, CE

Também há ótimos glampings no Nordeste e um dos mais charmosos entre eles fica na Praia do Preá, pertinho de Jericoacoara, no Ceará.

Com bangalôs pé na areia inspirados na arquitetura local e rodeados por coqueiros e dunas, a hospedagem possui uma área de spa em meio à natureza. O espaço foi eleito um dos melhores hotéis de pequeno porte pelo público do Tripadvisor em 2018 e, no mesmo ano, foi vencedor do Condé Nast Johansens Awards for Excellence na categoria “Best Luxury Value”.

4. Ka Bru Brasil – Itacaré, BA

Com estrutura luxuosa, o Ka Bru Floresta é a casa na árvore dos sonhos. O espaço fica em meio à Mata Atlântica, no litoral baiano, a menos de 20 minutos de carro de todas as praias de Itacaré.

Ao fazer check-in na acomodação, os hóspedes usufruem de diversas atividades, como aulas de yoga, massagens e acesso a uma piscina externa.

5. Parador Casa da Montanha – Cambará do Sul, RS

Em meio aos cânios gaúchos, o Parador Casa da Montanha se inspirou em glampings africanos para a construção de suas barracas feitas em elementos rústicos e naturais.

Os hóspedes podem escolher entre uma barraca suíte com jacuzzi ou uma mais simples, equipada com ventilador de teto, lençol térmico e calefação. Além disso, o Parador tem vista para os Campos de Cima da Serra, a mata de araucárias e o Rio Camarinhas.

6. Jalapão Ecolodge – Jalapão, TO

Em perfeita harmonia com a natureza, o Jalapão Ecolodge se encontra dentro do Parque Estadual do Jalapão. Localizado a cerca de 300 km de Palmas, o acesso é feito através de estradas de terra, em 4×4, o que promete tornar a experiência única desde o começo.

A hospedagem pode ser em uma cabana rústica construída por moradores locais e chamada de Buritana, ou nos simpáticos Bangalôs Jalapa, com vista panorâmica para a Serra do Jalapão.

7. Anavilhanas Jungle Lodge – Manaus, AM

Com chalés e bangalôs, o Anavilhanas oferece uma experiência de acomodação com vista para a floresta – o destaque fica para os bangalôs panorâmicos, com uma parede de vidro de 10 metros de comprimento.

Equipados com todas as comodidades de um hotel, como ar condicionado, cama king size e frigobar, os espaços ainda contam com redes na varanda para se sentir mais próximo da natureza.

8. Glamping SPAço Livre – Rio de Janeiro, RJ

Ao pé do Parque Estadual da Pedra Branca, o Glamping SPAço Livre fica em pleno Rio de Janeiro – mais especificamente na Ilha de Guaratiba.

Diferentemente de outras hospedagens do gênero, os viajantes que dormem no local podem levar suas próprias barracas ou alugar uma das oferecidas pelo glamping, sendo uma experiência mais próxima da vivida em campings convencionais. O toque de luxo fica por conta dos serviços oferecidos aos hóspedes, como aulas de yoga, pilates, meditação, zumba e outras atividades.

As definições de camping acabam de ser atualizadas. Já escolheu o seu? 

Créditos das fotos sob as imagens

Terremoto provoca erupção de vulcão e deixa centenas presos em montanha na Indonésia

Um terremoto de magnitude 6,4 graus na escala Richter provocou a erupção do vulcão Rinjani, na ilha turística de Lombok. Mais de 600 pessoas estão presas na montanha, outros 335 feridos e ao menos 16 mortos.

Os reflexos provocados pelo abalo sísmico atingiram por volta de 1.500 edifícios  e 5 mil pessoas estão vivendo provisoriamente em abrigos de emergência.

A maioria dos presos na montanha do vulcão Rinjani é de estrangeiros. São centenas de alpinistas e turistas que buscam maneiras de furar os bloqueios causados pela erupção. Autoridades indonésias estão trabalhando para a abertura de caminhos alternativos e até o momento 3 mil metros de trilha foram liberados. Além disso um helicóptero está abastecendo as pessoas com suprimentos.

“Centenas de alpinistas na cratera em áreas de escala não conseguiram descer quando quiseram, porque os caminhos ficaram cobertos de destroços de deslizamentos de terra e havia o temor de novos deslizamentos”, declarou o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB), Sutopo Purwo Nugroho.

O terremoto atingiu Lombok às 6h47 em uma profundidade de 7 quilômetros. As autoridades calculam mais ou menos 280 tremores secundários ao sismo. O tremor também pode ser sentido em destinos muito procurados pelos turistas, as ilhas de Bali e Sumbawa.

Foto: Reprodução/YouTube/fonte:via

Adolescentes destroem 320 milhões de anos de história em poucos segundos e causam revolta

Vento, chuva e gelo levaram 320 milhões de anos para esculpir as pedras do Brimham Rocks, um rochedo em North Yorkshire, na Inglaterra, que atrai a atenção de milhares e turistas todos os anos. Mas, em questão de segundos, um grupo de adolescentes acabou com tudo.

Na noite de sexta, 1º de junho, um grupo de adolescentes foi visto tentando empurrar a Idol Rock, conjunto de rochas empilhadas que tornavam o local tão interessante. E conseguiram o que queriam: derrubaram tudo, destruindo as rochas que caíram e também a que ficava lá embaixo.

De acordo com a polícia local, que ainda busca a identidade dos suspeitos, testemunhas viram 5 jovens empurrando as rochas. Eles ainda deixaram assinaturas no rochedo, que antes só havia sido esculpido pelas forças da natureza.

De acordo com a administração do parque, o local se tornou perigoso para os visitantes, e o dano causado pela “brincadeira” dos adolescentes é irreversível. Como era de se esperar, a população local se revoltou com o ato dos jovens, e espera que a polícia seja capaz de identificar os responsáveis.

Antes e depois:

Mais danos:

Fotos via SWNS /fonte:via

Portas das casas na Ilha da Madeira são uma galeria de arte a céu aberto

O viajante espanhol Guido Gutierrez Ruiz teve o privilégio de visitar a Ilha da Madeira, parte de um arquipélago português localizado no Oceano Atlântico, a sudoeste de Portugal. Andando pela sua capital, Funchal, ele ficou impressionado com a beleza oculta desta cidade. Obras de arte estavam espalhadas em todo lugar!

O Projecto Portas Pintadas transformou o Funchal numa galeria de arte permanente. Dando vida à cidade, todas as portas têmm uma personalidade única. Aqui estão algumas das portas coloridas que eles visitou.

Qual delas é o sua favorita?

Fotos: Guido Gutierrez Ruiz/fonte:via