Tudo o que sabemos sobre o urso polar faminto que desesperou a internet

O vídeo do National Geographic que mostra um urso polar consideravelmente magro e com aparência abatida viralizou em todo o mundo e provocou uma reflexão sobre os impactos causados pelo homem no meio ambiente.

As imagens foram feitas na Sea Legacy, na Ilha de Baffin, a maior do Ártico do Canadá e quinta maior do mundo. Uma série de ursos polares vivem na região, mas nenhum outro foi avistado nessas condições.

O urso está faminto. O formato dos ossos expostos abaixo da pele deixam isso claro. O animal circula pelo local buscando por qualquer vestígio de alimento. Todas as características formam um indicativo de que ele está nesta condição já há um bom tempo.

Sem um exame profundo, é quase impossível dizer se o mamífero possui algum tipo de doença. É de conhecimento dos cientistas que analisam a região que ursos polares são vítimas de alguns parasitas, mas a espécie não é assim tão propensa a contrair doenças graves.

Paul Nicklen, responsável por registrar o animal, disse que não notou nenhuma ferida ou cicatriz aparente em seu corpo. Quando há briga, os ursos costumam se machucar bastante, sendo raro um integrante da espécie com mais idade não possuir qualquer marca de ferimento.

“O urso está claramente muito desnutrido”, disse Steven Amstrup, cientista e líder da Polar Bears International. “É claro que ele possui sintomas de muita fome”.

As imagens do urso polar foram feitas em agosto. Por conta de dificuldades climáticas, a permanência dos profissionais na ilha não durou muito tempo e eles deixaram o local no mesmo dia em que encontraram o mamífero. Não se sabe o que aconteceu com ele, mas Nicklen acredita que ele tenha morrido um ou dois dias após o registro.

A população de ursos polares está ameaçada? 

No geral, ursos polares ao redor do mundo não estão em perigo iminente. Nicklen contou que, durante um estudo na região ártica da Rússia, avistou alguns que eram tão gordos que mal conseguiam andar. Os cientistas acreditam que o país seja o local onde se concentra o maior grupo de ursos polares no mundo.

Para eles, as populações de ursos polares que mais correm risco estão nas regiões onde as geadas ocorrem por temporada, como é o caso da Ilha de Baffin, onde o urso faminto foi encontrado. Um estudo da Nat Geo constatou que eles perdem até 2 kg por dia esperando a chegada do gelo.

Como o aquecimento do planeta afeta os ursos polares? 

Os ursos polares estão entre os maiores ursos do mundo, podendo pesar até 1.600 kg. Isso significa que eles precisam se muita comida para sobreviver.

Eles se alimentam, basicamente, de frutos do mar, e podem consumir centenas de quilos de carne em uma refeição. Ao contrário de outras espécies do mamífero, que podem se alimentar de plantas e vegetais, o polar é carnívoro e precisa do alimento para sobreviver.

Menos neve no Ártico significa que os animais possuem maior dificuldade de construir uma moradia adequada, como é o caso do que tem acontecido no Canadá.

A região oeste da Hudson Bay, no Canadá, é uma das mais requisitadas por estudiosos de ursos polares. Embora as pesquisas tenham sido inconclusivas sobre se o efeito regional causado no clima é culpa da ação do homem, outros estudos alertam para a possibilidade da população de ursos polares no local ser extinta em 30 anos, isso caso as condições climáticas não melhorem.

 

Fotos: Nat Geo/Reprodução/fonte:via

Anúncios