5 formas brutais usadas durante a história para torturar as mulheres

A Idade Média foi, sem dúvidas, a época mais cruel da humanidade. Os inúmeros e aterrorizantes tipos de tortura existentes, praticados principalmente contra mulheres, são de deixar qualquer um com o cabelo em pé.

E os motivos que levavam as mulheres a serem castigadas são os mais banais possíveis, como falar demais, ter muitos filhos ou ser considerada brava, por exemplo. Não à toa que a época ficou conhecida como a era de ouro da tortura, com diversos instrumentos desenvolvidos.

E alguns sites reúnem as piores técnicas usadas contra mulheres na Idade Média, com histórias e descrições de tirar o sono e embrulhar o estômago. Confira 5 delas abaixo e, para ver mais, acesse aqui e aqui.

Freio de Scold

Uma espécie de freio amarrada ao rosto da mulher, que comprimia a língua toda vez que a língua se mexia. Era usada para punir mulheres que fofocavam ou simplesmente falavam demais.

Violão de Shrew

Um pedaço de madeira com dois buracos em cada ponta, onde uma ou duas mulheres poderia ser trancadas. Era usado para punir mulheres bravas ou que estavam brigando entre si.

Nariz cortado

Uma mulher que tivesse um affair deveria ter seu nariz mutilado. Isso porque, ao desfigurar o rosto de uma mulher, o poder de sua beleza era eliminado. A lei de Cnut de 1018 determinou que uma mulher acusada de adultério teria não só o nariz mas também os ouvidos cortados como punição.

Despertador

Também conhecido como Berço de Judas, foi idealizado pelo italiano Ippolito Marsili e marcou uma mudança no uso de torturas. Agia diretamente no sistema nervoso, impedindo a mulher de dormir ou relaxar, devido à pressão na vagina.

Esmaga-seios

Utilizado para punir mulheres acusadas de realizar bruxaria, aborto ou adultério. Suas garras eram usadas para – literalmente – arrancar os seios das mulheres fora.

Anúncios