Minha vida n├úo foi um romance…

Minha vida n├úo foi um romance… Nunca tive at├ę hoje um segredo. Se me amar, n├úo digas, que morro De surpresa… de encanto… de medo… Minha vida n├úo foi um romance Minha vida passou por passar Se n├úo amas, n├úo finjas, que vivo Esperando um amor para amar. Minha vida n├úo foi um romance… Pobre vida… passou sem enredo… Gl├│ria a ti que me enches de vida De surpresa, de encanto, de medo! Minha vida n├úo foi um romance… Ai de mim… J├í se ia acabar! Pobre vida que toda depende De um sorriso.. de um gesto.. um olhar…

AMOR ├ë S├ŹNTESE

Por favor, n├úo me analise N├úo fique procurando cada ponto fraco meu. Se ningu├ęm resiste a uma an├ílise profunda, Quanto mais eu… Ciumento, exigente, inseguro, carente Todo cheio de marcas que a vida deixou Vejo em cada grito de exig├¬ncia Um pedido de car├¬ncia, um pedido de amor. Amor ├ę s├şntese ├ë uma integra├ž├úo de dados N├úo h├í que tirar nem p├┤r N├úo me corte em fatias Ningu├ęm consegue abra├žar um peda├žo Me envolva todo em seus bra├žos E eu serei o perfeito amor.

Almas que se encontram

Dizem que para o amor chegar n├úo h├í dia… N├úo h├í hora… E nem momento marcado para acontecer. Ele vem de repente e se instala… No mais sens├şvel dos nossos ├│rg├úos… o cora├ž├úo. Come├žo a acreditar que sim… Mas percebo tamb├ęm que pelo fato deste momento… N├úo ser determinado pelas pessoas… Quando chega, quase sempre os sintomas s├úo arrebatadores… Vira tudo ├ás avessas e a bagun├ža feliz se faz instalada. Quando duas almas se encontram o que real├ža primeiro… N├úo ├ę a apar├¬ncia f├şsica, mas a semelhan├ža das almas. Elas se compreendem e sentem falta uma da outra…. Se entristecem por n├úo terem se encontrado antes… Afinal tudo poderia ser t├úo diferente. No entanto sabem que o caminho ├ę este… E que n├úo haver├í retorno para as suas pretens├Áes. ├ë como se elas falassem al├ęm das palavras… Entendessem a tristeza do outro, a alegria e o desejo… Mesmo estando em lugares diferentes. Quando almas afins se entrela├žam… Passam a sentir saudade uma da outra… Em um processo cont├şnuo de reaproxima├ž├úo… At├ę a consuma├ž├úo. Almas que se encontram podem sofrer bastante tamb├ęm, Pois muitas vezes tais encontros acontecem… Em momentos onde n├úo mais podem extravasar… Toda a plenitude do amor… Que carregam, toda a alegria de amar… E de querer compartilhar a vida com o outro, Toda a emo├ž├úo contida ├á espera do encontro final. Desejam coisas que se tornam quase imposs├şveis, Mas que s├úo t├úo simples de viver. Como ver o p├┤r-do-sol… Ou de caminhar por uma estrada com lindas ├írvores… Ver a noite chegar… Ir ao cinema e comer pipocas… Rir e brincar… Brigar ├ás vezes, Mas fazer as pazes com um jeitinho muito especial. Amar e amar, muitas vezes… Sabendo que logo depois poder├úo estar juntas de novo… Sem que a despedida se fa├ža presente. Por├ęm muitas vezes elas se encontram em um tempo… E em um espa├žo diferente… Do que suas realidades possam permitir. mas depois que se encontram… Ficam marcadas … tatuadas… E ainda que nunca venham a caminhar para sempre juntas… Elas jamais conseguir├úo se separar… E o mais importante … Ter├úo de se encontrar em algum lugar. Almas que se encontram jamais se sentir├úo sozinhas… Porquanto entender├úo, por si s├│, a infinita necessidade… Que t├¬m uma da outra para toda a eternidade

YAMAPI

yamapi

YAMAPI

YAMAPI

YAMAPI

Yamapi is such a dork!!!

YAMAPI

YAMAPI

YAMAPI