Artista cria inacreditĂĄveis ilusĂ”es de Ăłtica com tinta e maquiagem, podendo atĂ© ficar transparente

Muita gente vem transformando a maquiagem em uma forma de arte interessante e até extrema, mas poucos são capazes de desafiar a lógica, nossas noçÔes de realidade criando verdadeiras ilusÔes de ótica como a coreana Dain Yoon.

É difĂ­cil crer que todo seu trabalho como artista visual ilusionista nĂŁo se vale de nenhum artifĂ­cio digital como o Photoshop, e Ă© feito por ela manualmente utilizando maquiagem e tintas. Indo muito alĂ©m das ilusĂ”es tradicionais, como cĂ­lios mais longos ou lĂĄbios mais cheios, Dain Yoon pode fazer um desavisado questionar a prĂłpria sanidade com sua maquiagem.

Todas as fotos © Dain Yoon/fonte:via

AnĂșncios

Como cachorros estĂŁo ajudando os tĂ­midos guepardos a viver melhor

As chitas ou guepardos são animais considerados ameaçados de extinção. O fato de serem bastante ansiosos e tímidos só contribui para o problema, pois este comportamento dificulta sua procriação quando em cativeiro. Desde os anos 80, um zoológico encontrou uma maneira de ensinar os felinos a se socializar melhor: com a companhia de cachorros.

A iniciativa teve inĂ­cio no San Diego Zoo Safari Park, nos Estados Unidos. O parque resgatou alguns cĂŁes que viviam em abrigos e deu a eles um novo objetivo de vida: ajudar as chitas a viver melhor. Desde entĂŁo, os filhotes de guepardo ganham um companheiro canino quando estĂŁo com cerca de trĂȘs a quatro meses de idade.

O relacionamento entre os dois começa atravĂ©s de uma cerca, enquanto o cĂŁo Ă© levado por um monitor na coleira. Com o tempo, Ă  medida que a chita vai se sentindo a vontade com o companheiro, os dois animais passam a viver juntos. É imitando o comportamento amigĂĄvel dos cĂŁes que os felinos aprendem a se relacionar melhor entre si e, com isso, podem voltar a procriar sem problemas.

Também nos Estados Unidos, o Columbus Zoo and Aquarium possui um programa semelhante que une cães e guepardos para aumentar a qualidade de vida dos animais.

Na natureza a relação entre as duas espécies também é benéfica, embora não aconteça de forma tão explícita. Desde 1994, o programa The Cheetah Conservation Fund Livestock Guarding Dog estå salvando chitas na Namíbia com a ajuda de cães de guarda.

A ideia pode parecer incomum à primeira vista, mas um pouco de contexto mostra que ela não poderia ser mais genial. Isso porque, antes do programa entrar em funcionamento, as chitas que atacavam cabras de fazendas na região costumavam ser mortas pelos fazendeiros. Quando os cães passaram a proteger as fazendas, eles se tornaram uma alternativa não-letal na proteção e permitiam que mais chitas sobrevivessem aos ataques ao mesmo tempo que defendiam as cabras.

Fotos: Columbus Zoo & Aquarium/Reprodução Facebook /fonte:via

Ela transforma pedras em adorĂĄveis bichĂ­neos super realistas

A artista japonesa Akie Nakata criou um projeto de arte diferente do que estamos acostumados a ver por aí. Ao invés de pintar telas, ela pinta pedras.

Sempre que encontra uma pedra na natureza que chama a sua atenção, Akie a leva para casa, e entĂŁo a transformação começa. “Quando encontro uma pedra, sinto que a pedra tambĂ©m me encontrou”, disse.

Suas pinturas, que sĂŁo bastante realistas e repletas de detalhes, sĂŁo de diversos animais, desde gatinhos atĂ© cobras e corujas. Segundo Akie, ela decide qual forma a pedra tomarĂĄ apĂłs olhar para ela e sentir a qual animal a pedra pertence. “Minhas pinturas sĂŁo inspiradas pela prĂłpria pedra”, compartilhou a artista.

Todas as fotos © Akie Nakata/fonte:via

As melhores fotos tiradas pelo mundo com iPhones no Ășltimo ano

Se vocĂȘ ainda Ă© uma daquelas pessoas acham que para fazer uma bela fotografia Ă© preciso uma cĂąmera cara e cheia de recursos, Ă© melhor pensar novamente. Os vencedores iPhone Photography Awards de 2017 acabaram de ser anunciados, provando mais uma vez que uma cĂąmera de celular Ă© mais do que suficiente para capturar imagens de alto nĂ­vel, de cair o queixo e muito inspiradoras.

As fotos da competição foram enviadas por milhares de fotógrafos de iPhone de mais de 140 países para vårias categorias, como Retrato, Abstrato e Estilo de Vida.

Este ano, o grande prĂȘmio foi para Sebastiano Tomada, do Brooklyn, Nova York. A foto vencedora foi tirada com iPhone 6s e teve a seguinte legenda: “As crianças vagueiam nas ruas em Qayyarah (cidade no Iraque) perto do fogo e da fumaça que sai dos poços de petrĂłleo, incendiados pelos militantes do Estado IslĂąmico”.

Confira algumas das imagens premiadas:

01
Sebastiano Tomada, vencedor do Grande PrĂȘmio, FotĂłgrafo do Ano

04
Dina Alfasi, de Israel, 1Âș Lugar, Pessoas

02
Branda O Se, de Cork, Irlanda, 1Âș Lugar, FotĂłgrafo do Ano

03
Sergey Pesterev, de Mendeleevo, RĂșssia, 2Âș Lugar, Paisagem

05
Magali Chesnel, de Ferney-Voltaire, França, 1Âș Lugar, Árvores

06
Dongrui Yu, de Yunnan, China, 2Âș lugar, Animais

07
Joshua Sarinana, de Cambridge, Massachussets, EUA, 2Âș lugar Viagem

08
Gabriel Ribeiro, Mato Grosso Do Sul, Brasil, 1Âș lugar, Retrato

09
Barry Mayes, Herts, Reino Unido, 3Âș lugar, Crianças

010
Dyllon Wolf, Huntingtown, EUA, 2Âș lugar, Árvores

*  Imagens: Reprodução/fonte:via

Projeto registra rotina na África para desconstruir a narrativa clĂĄssica sobre o continente

Quando pensamos no continente africano de modo geral, o que nos vem Ă  cabeça, admitamos, Ă© uma coleção de clichĂȘs. Mulheres carregando ĂĄgua, crianças esquĂĄlidas e famintas, animais selvagens, tribos ancestrais, homens com metralhadoras, violĂȘncia, misĂ©rias absolutas e paisagens naturais deslumbrantes. O prĂłprio fato de pensarmos sobre um continente inteiro de uma mesma forma jĂĄ ilustra o engano de tal generalização.

Pois uma conta no Instagram passou a reunir imagens para tentar desfazer esses estereĂłtipos e demonstrar a evidente variedade de perspectivas e possibilidades que o continente africano oferece.

Graduanda de direito na Nigéria

O projeto começou da reuniĂŁo do jornalista Austin Merril com o fotojornalista Peter DiCampo, para registrarem como estava a Costa do Marfim depois de 10 anos de intensa crise. No lugar de capturarem imagens que reforçassem tais clichĂȘs, eles decidiram por registrar tudo – e revelaram assim a pluralidade do paĂ­s.

Piscina de um hotel na Costa do Marfim

Após a satisfação com tal trabalho em ampliar a narrativa a respeito do país, a dupla decidiu aplicar a mesma lógica sobre os 54 países e mais de 2 mil línguas do continente.

Criança brinca com iPad em Gana

Naturalmente que nenhum dos clichĂȘs citados Ă© mentira, e de fato significam parte da identidade coletiva do continente, mas a África Ă© mais do que isso – e Ă© justo essa pluralidade que o projeto, chamado de Everyday Africa, visa mostrar. “SĂŁo as coisas que as pessoas nĂŁo veem que denotam que a imagem completa de um lugar nĂŁo estĂĄ sendo mostrada”, diz Merrill.

Crianças brincam de pular corda em Guiné-Bissau

Assim, a dupla procurou ao invĂ©s de contar uma grande histĂłria em momentos decisivos, focar em pequenas cenas, em perspectivas mĂșltiplas – procurando assim ampliar a imagem que se tem da prĂłpria identidade africana.

Entrega de Coca-Cola na MauritĂąnia

Juntos eles recentemente publicaram um livro, também batizado de Everyday Africa, reunindo mais de 250 fotografias de 30 fotógrafos, reunindo também cenas do imaginårio clåssico ao lado de fotos inesperadas, cosmopolitas e menos exóticas.

Um incrĂ­vel penteado na RepĂșblica do Congo

Ao ampliar a noção que se tem sobre o continente, o projeto acaba por aproximar a África do resto do mundo, libertando-a um pouco ao menos da noção isolada e condenada com que se costuma olhar para a região.

Uma motoqueira em Mali

Vendo-a mais de perto, porĂ©m – e lembrando que tais terrĂ­veis clichĂȘs tambĂ©m existem de fato – resta a pergunta a respeito de como e por qual razĂŁo um povo e uma regiĂŁo tĂŁo bela e rica precisa passar pelo calvĂĄrio que o continente africano hĂĄ tanto tempo tambĂ©m atravessa.

Duas jovens e seus telefones na Nigéria

Todas as fotos © Everyday Africa/fonte:via

Essas incrĂ­veis construçÔes provam que temos muito o que aprender com a arquitetura japonesa

Se vocĂȘ sonha em conhecer o JapĂŁo e ainda nĂŁo incluiu a arquitetura do paĂ­s entre os motivos para embarcar nessa viagem, entĂŁo estĂĄ na hora de dar uma olhadinha em algumas construçÔes japonesas. Com a mistura de modernidade e tradição que Ă© tĂ­pica do paĂ­s, os arquitetos parecem criar verdadeiras obras de arte em forma de edifĂ­cios.

Com muita criatividade e foco na inovação, o Japão vem impressionando por sua arquitetura. E motivos para isso não faltam, como demonstram estas incríveis construçÔes. A da foto acima (de autoria da Kengo Kuma & Associates) pertence a um projeto de complexo cultural em Iiyama, Japão.

Parquinho construĂ­do ao redor de uma ĂĄrvore. Foto via

Capela em Hiroshima. Foto via

Casa em Muko. Foto via

Namba Parks em Osaka. Foto via

Apartamentos em TĂłquio. Foto via.

Casa em Abiko. Foto via.

Sugamo Shinkin Bank, agĂȘncia Shimura. Foto via.

Prédio comercial. Foto via

Apartamentos em TĂłquio. Foto via

Sugamo Shinkin Bank em Kawaguchi. Foto via/fonte:via

A lente desse fotĂłgrafo retrata uma Cuba que parece saĂ­da do cinema

Quando visitou Cuba em 2016, Stijn Hoekstra, um fotógrafo freelancer e diretor de fotografia holandesa, sentiu que o país nunca mais sairia de seu coração.

Depois de se formar em cinematografia, Stijn focou em fotografia de rua. Nos Ășltimos trĂȘs anos realizou projetos para grandes e pequenas empresas, trabalhando em diversas campanhas. No entanto, a verdadeira paixĂŁo do fotĂłgrafo Ă© viajar e capturar o desconhecido. Este projeto, intitulado ‘Cinematic Cuba’, consiste em fotografia de rua e retratos.

Ele ficou deslumbrado pelas belas praias, cena musical vibrante, clima incomparĂĄvel, os carros clĂĄssicos que atravessam as estradas e as pessoas que diz ser as mais amigĂĄveis que jĂĄ conheceu no mundo.

Veja suas imagens:

2d91ca20ca0e2dabd85f4196fdb49889b270507f_860

3bf21484b81997cab6794317e0fab7394d5f0259_860

7c2d6ede8656bdd330dae74be9165ccbc535468c_860

27a0e93c3981826358b3b11391aaa9615a366492_860

613fcb8258c214707833f77522316a9c6c62e791_860

6890a2c7a57aa435893f3d31d75e23e9a063d86b_860

444710fe4d34326e4f846faa53e0c5a18906f4cc_860

e4741ec5b29dca2c3c37e09b17a952bc65472f91_860

Todas as fotos © Stijn Hoekstra/fonte:via

5 pequenas cidades para viver grandes experiĂȘncias

Se visitar grandes cidades fazem sucesso pelas inĂșmeras possibilidades que elas oferecem, como acesso a museus e concertos, alĂ©m de boas opçÔes de restaurantes, pequenas cidades oferecem uma sensação de calma e aconchego que nĂŁo nĂŁo se encontra nos grandes centros.

Em cada canto do mundo, hå diversas cidades pequenas e charmosas com paisagens incríveis esperando para serem exploradas. Abaixo, separamos cinco pequenos locais que merecem sua atenção e, quem sabe, uma visita nas próximas férias:

1. Sidi Bou Said

Localizado perto de Tunes, na Tunísia, fica no topo de um penhasco íngreme com vista para o Mar Mediterrùneo. Além de suas vistas deslumbrantes, a cidade que inspirou o famoso artista Paul Klee possui ruas de paralelepípedos cheias de lojas, cafés e mercados de arte.

1

2. Alberobello

Localizado em Puglia, na Itålia, a cidade é famosa pelas suas habitaçÔes de calcårio, que são consideradas PatrimÎnio Mundial da UNESCO. A cidade turística tem um cenårio deslumbrante e uma variedade de restaurantes maravilhosos.

2

3. Annecy

Nesta cidade francesa, turistas sĂŁo recebidos pelas belas casas pintadas em tons pastel e charmosos cafĂ©s. Um dos seus programas Ă© sair de um dos seus muitos restaurantes ao ar livre e passear ao longo do lago da cidade, ou ainda admirar locais histĂłricos como o ChĂąteau d’Annecy.

3

4. Sedona

Localizada no Arizona, Sedona volta e meia aparece em listas das melhores pequenas cidades da América do Norte, graças à sua bela variedade de formaçÔes rochosas vermelhas.

4

5. Hoi An

Hoi An estå localizada na província central de Qang Nam, no Vietnã, perto da foz do rio Thu Bon. Suas casas comerciais japonesas excepcionalmente preservadas, templos chineses e armazéns de chå antigos contribuíram para ser considerada Património Mundial da UNESCO.

5

Todas as imagens © Shutterstock/fonte:via

Casal dĂĄ lição de amor e adota mais de 88 crianças com deficiĂȘncia ao longo da vida

O casal Camille e Mike, de Ellijay, na Geórgia, Estados Unidos, se conheceu em 1973, quando ambos trabalhavam em um hospital em Miami, ela como enfermeira e ele como médico pediatra.

Em 1975 se casaram, e Camille contou ao noivo seu maior desejo: ajudar crianças com deficiĂȘncia que eram abandonadas pelos pais. “Quando Mike me pediu em casamento, eu disse a ele que queria fazer uma casa para crianças com deficiĂȘncia e ele disse: ‘Eu quero seguir seu sonho‘”, contou Ă  CNN.

A primeira adoção foi feita em 1986, e desde entĂŁo o casal nĂŁo parou. Nos Ășltimos 40 anos, adotaram mais de 88 crianças com as mais diversas deficiĂȘncias, desde SĂ­ndrome de Down e autismo atĂ© outras que nasceram com sĂ©rios problemas congĂȘnitos e deformaçÔes no cĂ©rebro. Trinta e duas nĂŁo sobreviveram.

O casal, que teve trĂȘs filhas biolĂłgicas, passou por diversas dificuldades ao longo dos anos, como quando moravam na Carolina do Norte e perderam a casa por conta de um furacĂŁo. Mas nunca desistiram das adoçÔes, chegando atĂ© mesmo a criar um instituto, a Fundação Sonho PossĂ­vel, que ajuda crianças deficientes e suas famĂ­lias com educação e treinamento profissional.

Mike faleceu em 2016, logo após seu aniversårio de 73 anos, vítima de um cùncer agressivo. Mas Camille, hoje com 68 anos, continua com o projeto do casal, e atualmente 20 crianças ainda vivem com ela.

Todas as fotos © Reprodução Facebook/fonte:via

Filhotes arremessados de janela de carro sĂŁo adotados por cadela que perdeu sua cria

A cadelinha Blossom, que vive num abrigo para animais em Houston, nos Estados Unidos, perdeu dois de seus trĂȘs filhotinhos recentemente, e ficou completamente inconsolĂĄvel com a situação.

Foi quando Maggie Escriva, que trabalha no abrigo e estå responsåvel pela cachorrinha até sua adoção, soube de uma ninhada de oito cachorros que foram cruelmente jogados pela janela de uma caminhão em movimento. Apenas seis sobreviveram.

Imediatamente, Maggie lembrou de Blossom, e decidiu levar os filhotinhos para ela. Segundo ela, foi amor à primeira vista! Assim que a cadela pÎs os olhos nos cachorrinhos, começou a limpå-los, e a alimentå-los também.

A jovem batizou os filhotes com nomes de flores, para homenagear a mais nova mamãe do pedaço. “Eu acho inspirador ver uma bela criatura como a Blossom sofrer uma perda tão dolorosa e mesmo assim dedicar toda a sua atenção para cuidar dos filhotes carentes, salvando suas vidas”, disse Maggie ao site The Dodo.

Todas as fotos © Westie & Scottie Rescue Houston/Maggie Escriva/fonte:via