GALERIA DE FOTOGRAFIAS

https://i0.wp.com/inapcache.boston.com/universal/site_graphics/blogs/bigpicture/ngmphoto2_113012/bp4.jpg

https://i0.wp.com/proof.nationalgeographic.com/files/2015/12/160104-best-pod-dec-08.jpg

https://i1.wp.com/zellox.com/wp-content/uploads/2016/04/national-geographic.jpg

https://i1.wp.com/assets.natgeotv.com/Shows/6612.jpg

https://i2.wp.com/assets.natgeotv.com/Shows/30161.jpg

https://i0.wp.com/news.nationalgeographic.com/content/dam/news/2016/02/28/leaping_animals/_03_NationalGeographic_1160902.ngsversion.1456662611218.adapt.768.1.jpg

https://i1.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2013/04/NationalGeographic_1329449.jpg

https://i0.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2014/06/animals-walking-water-01.jpg

https://i0.wp.com/www.artsfon.com/pic/201412/1440x900/artsfon.com-42262.jpg

https://i1.wp.com/media-channel.nationalgeographic.com/media/uploads/photos/content/photo/2015/04/07/Showdown_01_AnimalsGoneWild2.jpg

https://i1.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2014/06/waq-reptiles-01.jpg

https://thirdeyemom.files.wordpress.com/2013/11/004_nationalgeographic_1740198.jpg?w=444

https://publicidadeecerveja.files.wordpress.com/2015/08/imagem_release_479447.jpg?w=444

https://cdn.theatlantic.com/assets/media/img/photo/2015/11/2015-national-geographic-photo-cont/n01_5739056973187/main_900.jpg?1446597853

https://d.ibtimes.co.uk/en/full/1442032/national-geographic-traveler-photo-contest.jpg

https://i0.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2015/08/Gabon0383.jpg

https://insdrcdn.com/media/attachments/f/ff/10686ffff.png

http://yourshot.nationalgeographic.com/u/ss/fQYSUbVfts-T7pS2VP2wnKyN8wxywmXtY0-FwsgxpCraE8GCLiegX4ASiC0amFVSL2S4Wffeq1O6hozYTI8j/

https://i1.wp.com/6www.ecestaticos.com/imagestatic/clipping/691/253/327/6912533272fc1f80a4986690671dffa7/las-mejores-imagenes-del-concurso-national-geographic-photo-contest-2015.jpg

https://i2.wp.com/i.imgur.com/Q0Z9v.jpg

https://i2.wp.com/kids.nationalgeographic.com/content/dam/kids/photos/articles/Other%20Explore%20Photos/R-Z/Wacky%20Weekend/Funny%20Animal%20Faces/ww-funny-animal-faces-cow.jpg

https://i2.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2013/08/70618-cb1377107371.jpg

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2016/06/ce967-2946023014_b5c2afb52b_o.jpg?w=444

http://yourshot.nationalgeographic.com/u/ss/fQYSUbVfts-T7pS2VP2wnKyN8wxywmXtY0-FwsgxoQuSQyxUP0gg8GMIunbgDlVGo2h4M9hjaNTkTvTOQrw2/

http://yourshot.nationalgeographic.com/u/ss/fQYSUbVfts-T7pS2VP2wnKyN8wxywmXtY0-FwsgxpCEWxwC8GgmSrPEusyw2StOVnv3_EgL6KE5AEW_y-UOy/

https://i0.wp.com/proof.nationalgeographic.com/files/2015/03/14_SJohan_163-Flamingo1.jpg

https://i1.wp.com/imguol.com/c/noticias/2015/06/11/11jun2015---um-ibex-especie-de-mamifero-bovideo-caprino-se-materializa-no-deserto-como-uma-criatura-mitica-macho-e-femeas-tem-chifres-usados-na-selecao-sexual-e-defesa-do-territorio-os-chifres-que-1434018436814_1024x768.jpg

https://i2.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2014/02/albino-animals-your-shot-1-05.jpg

https://i0.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2014/02/amazingly-blue-creatures-blue-footed-booby.jpg

https://c1.staticflickr.com/3/2703/4437145665_83ec988de3_b.jpg

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/59/12/e7/5912e7fb857be51efb8c97c3173a6dd5.jpg

https://i1.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2014/03/animal-mustache-Emperor-tamarin-01.jpg

https://i1.wp.com/www.hd-wallpaper1.com/images/lizard-4k.jpeg

http://yourshot.nationalgeographic.com/u/ss/fQYSUbVfts-T7pS2VP2wnKyN8wxywmXtY0-FwsgxpixNiJgpmYUqqRV-ZKGW0TVBchJzHzJSPTvIZtT_hDo9/

https://i1.wp.com/www.fotosefotos.com/admin/foto_img/foto_big/bisao_americano_9ec657901b8586848f8f90fbb56b4e78_bison_no_campo.jpg

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2016/06/0dae5-three-bison-buffalo-walking-on-snow.jpg?w=444

https://i1.wp.com/photos1.blogger.com/img/287/5973/1024/DSC03477.jpg

https://i1.wp.com/www.imagensfotos.com.br/wp-content/uploads/2015/10/18.jpg

https://i0.wp.com/photo.sf.co.ua/g/428/5.jpg

https://i0.wp.com/proof.nationalgeographic.com/files/2015/07/6276544_uploadsmember230644yourshot-230644-6276544jpg_w3ncnjiofhmewlm54bdsjdyjylp3eflutfvvbpyjwjhzlmh4iziq_3840x5760.jpg

https://i0.wp.com/photo.sf.co.ua/g/488/3.jpg

https://i0.wp.com/voices.nationalgeographic.com/files/2014/07/Shovon-Sarkar-Common-kingfisher.jpeg

https://i1.wp.com/www.berlengas.eu/sites/berlengas.eu.life/files/especies/luas_pagina.jpg

National Geographic (Mais fotografias aqui )

Essas fotos vão te dar vontade de colocar a Islândia no topo da lista de viagem

O casal Jay e Vick Philbrick, de Nova Hampshire, nos Estados Unidos, são fotógrafos especializados em casamentos. Mas quando não estão trabalhando, aproveitam o tempo livre para criar “imagens dramáticas de pessoas em ambientes fantásticos”, como eles mesmos definem.

E eles aproveitaram uma brecha na agenda profissional para ir até a Islândia. Lá, junto com a modelo Sarah Maillet, criaram um projeto fotográfico incrível, onde natureza, magia e beleza se misturam. “Onde quer que você olhe há uma cachoeira surpreendentemente bonita, ou uma geleira, um penhasco… Foi uma experiência esmagadora”, disse Jay.

Ele ainda reforça que fotógrafos, principalmente de paisagens, deveriam ir para o país pelo menos uma vez na vida, já que as características naturais do local são deslumbrantes. Agora, sendo fotógrafo ou não, duvido que você não vai ficar com vontade de conhecer a Islândia após ver as imagens abaixo!

1371_RainWindCold

0839_RainWindCold

1342_RainWindCold

0680_RainWindCold

1128_RainWindCold

1526_RainWindCold

Todas as fotos © Philbrick Photography fonte: via

A luta de uma mulher contra meningite viral espinal que ela contraiu após um ensaio na natureza

Em outubro de 2015, a fotógrafa Savannah Kate Morgan realizou um ensaio fotográfico em um pântano, em Louisiana, nos Estados Unidos. Porém, ela esqueceu de usar repelente e saiu do local com cerca de duzentas picadas de mosquito em todo o corpo. Dois dias depois, Savannah começou a se sentir mal.

menin0

Após passar por duas punções lombares, foi confirmado que ela havia contraído uma meningite viral. Daí para frente, ela passou dois meses hospitalizada, sendo internada em cinco hospitais diferentes. Durante todo o processo de cura, a fotógrafa contou com a companhia de sua família, amigos e de seu noivo.

“Foi a mais assustadora e pior dor da minha vida, mas eu resisti“, escreveu ela em uma publicação no Bored Panda. Para superar o momento, Savannah criou uma série fotográfica que mostra como se sentia durante o tratamento e também após a cura, quando passou por crises de depressão, ansiedade e ataques de pânico. “Eu não criei essas imagens como um lembrete da dor, ou para ser deprimente, ou para chamar a atenção. Eu criei isto como um lembrete de quão longe eu cheguei“, escreveu ela.

menin3

As imagens foram compartilhadas pela fotógrafa para que outras pessoas que possam estar passando por uma situação similar não se sintam sozinhas. É emocionante acompanhar todo o processo de recuperação através das fotografias clicadas por ela.

Vem ver:

menin4

menin5

menin8

menin7

menin9

menin10

Todas as fotos © Savannah Kate Morgan fonte: via

Melhor escritório: piloto capta imagens impressionantes de sua cabine num boeing 747

O holandês Christiaan van Heijst, piloto de avião e fotógrafo, aproveita quando está nas alturas para fazer imagens incríveis do céu e também do cockpit do Boeing 747 que pilota. As fotografias, de tirar o fôlego, são constantemente compartilhadas em suas redes sociais, e costumam fazer o maior sucesso.

São imagens impressionantes do nascer e pôr do sol, de regiões montanhosas, da lua cheia, da cabine dos pilotos e suas inúmeras luzinhas e até mesmo da aurora boreal. “Sinto-me privilegiado de estar em posição de capturar muitas partes diferentes do planeta através da minha câmera e imortalizar a beleza dos lugares que eu visito”, explicou o holandês ao DailyMail.

Christiaan, que pilota aviões de carga, conta que jamais coloca sua vida e de seus companheiros de voo em risco, já que as imagens costumam ser feitas enquanto os colegas estão no comando. “Meus colegas me agradecem porque podem mostrar aos seus familiares em casa como é o nosso trabalho nos ares”, afirmou o piloto, que usa uma Nikon D800 para os cliques.

Confira algumas imagens abaixo e, para ainda mais fotografias incríveis, acompanhe o piloto no Instagram:

408AD7EB00000578-4530032-As_the_first_signs_of_sunlight_show_on_the_horizon_A_magical_sho-a-15_1495536151438

408AD7F700000578-4530032-2_A_beautiful_show_of_Northern_Lights_Aurora_Borealis_over_our_h-a-7_1495533531466

408AD7FB00000578-4530032-image-a-38_1495457074810

408AD80F00000578-4530032-A_beautiful_purple_sunrise_over_Myanmar_Burma_as_seen_from_the_f-a-11_1495535724123

408AD82F00000578-4530032-This_eye_catching_image_shows_a_full_moon_over_the_snow_covered_-a-14_1495536011109

408AD80300000578-4530032-Guided_by_a_full_moon_over_the_Bering_Strait_the_ocean_between_R-a-16_1495536595967

408AD82700000578-4530032-On_a_flight_from_Johannesburg_to_Nairobi_in_May_2012_Huge_Africa-a-8_1495535339887

408BC85C00000578-4530032-Think_your_office_computer_is_complicated_Try_this_for_a_work_sp-a-17_1495537209345

408BC85300000578-4530032-image-a-13_1495535856595

408BC85800000578-4530032-Flying_over_the_city_of_Zhengzhou_in_China_during_our_approach_i-a-10_1495535599297

408BC86500000578-4530032-The_cockpit_of_VanNightflight_over_the_Pacific_Ocean_between_Chi-a-9_1495535443096

408BC87400000578-4530032-A_beautiful_sunset_during_a_quiet_moment_over_the_Yukon_flying_f-a-12_1495535772177

Imagens © Christiaan van Heijst fonte: via

Fotos raras mostram o interior do dirigível Hindenburg antes de seu acidente devastador em 1937

Em 1936 o poderio da Alemanha nazista era ainda orgulhosamente exibido por seus líderes sem pudores pelo mundo, que de forma geral ainda observava somente com desconfiança ou no máximo críticas – quando não era visto com bons olhos pelos olhos de outros países. Foi nesse contexto que o dirigível LZ 129 Hindenburg foi fabricado e posto no ar, como o maior zepelim já feito. Com 245 metros de comprimento e 200 mil metros cúbicos de hidrogênio que o sustentavam em voo, o Hindenburg era um símbolo da força da Alemanha nazista.

Hindenburg13

Hindenburg6

Durante 14 meses, o Hindenburg realizou 63 voos, transportando muitas vezes mais cerca de 100 passageiros a 135 km/h. Seu primeiro voo comercial saiu da Alemanha para o Brasil, e das 17 vezes em que cruzou o atlântico, 10 foram para os EUA e 7 foram para o Brasil. Seu interior tinha quartos, salões públicos, salas de jantar, de leitura, fumódromos e salões de festas.

Hindenburg12

Hindenburg14

Hindenburg9

Hindenburg8

Hindenburg3

Seus dias de glória terminaram, porém, em 6 de maio de 1937, quando, ao se preparar-se para pousar em Nova Jersey, nos EUA, um incêndio tomou conta da aeronave, levando-a ao chão e à destruição completa. O fim do Hindenburg foi trágico, público e levou a vida de muitas pessoas. 36 pessoas morreram no acidente, que foi filmado e registrado, para tristeza de todos. Espantosamente, 62 pessoas sobreviveram.

Hindenburg10

Hindenburg11

O uso de hidrogênio no lugar do gás hélio se deu por motivos econômicos, e acabou por selar o destino do zepelim: a sugestão do uso do hélio se dava por motivos de segurança, pelo gás não ser inflamável. Aquilo que parecia ser uma superação e uma apresentação da capacidade humana, se tornou um perfeito exemplo da soberba e da ganância, que ceifou vidas e histórias, assim como faria o horror e a ignorância absoluta do regime.

Hindenburg7

Hindenburg5

Hindenburg4

Hindenburg2

Hindenburg1

Os dias dos zepelins como meio de transporte se encerram com o trágico acidente do Hindenburg, apontando para o destino abominável que esperava a Alemanha poucos anos depois, assim como de todo o mundo, e que parece ter sido captado pelo narrador que, diante do incêndio e da tragédia que se apresentava diante de sua frente, ao ver o zepelim em chamas só pode exclamar, em lágrimas: “Ah, a humanidade!”.

http://www.dailymail.co.uk/embed/video/1201034.html

© fotos: reprodução/diversos fonte: via

Elefante morto esmaga até a morte caçador famoso em Zimbábue

Theunis Botha, de 51 anos, era muito conhecido no círculo dos caçadores de animais africanos e de ativistas de proteção animal. Sua última caçada acabou de forma muito trágica. O homem guiava um grupo de caçadores na região de Gwai, no Zimbábue, quando avistou uma manada de elefantes em acasalamento.

Ao perceber o perigo, três dos animais atacaram os caçadores, e Botha começou a atirar neles. O que ele não viu foi uma quarta elefanta vindo pela sua lateral. Esta elefanta levantou o caçador com a tromba e outro caçador atirou nela, matando-a. Quando caiu, o caçador acabou embaixo de seu pesado corpo, e morreu esmagado.

Theunis era nascido em Johanesburgo, na África do Sul, e frequentemente viajava aos Estados Unidos em busca de clientes endinheirados para guiar em caçadas na África. Ele foi pioneiro em levar para o sul do continente um sistema de caça europeu que usa cães para assustar antílopes e javalis em direção aos caçadores, e só então abrir fogo.

Fonte:[Bored Panda]

9 impressionantes esculturas de madeira feitas a partir de um único tronco

Fazer uma escultura não é nunca uma tarefa fácil, quem dirá uma de madeira esculpida a partir de um único tronco de árvore. Confira nove dessas incríveis artes:

9. A maior escultura de madeira do mundo

Essa impressionante escultura de 12,2 metros, feita pelo artista chinês Zheng Chunhui, é uma obra-prima moderna que entrou no Guinness Book of World Records como a mais longa escultura de madeira contínua do mundo.

Entre seu tamanho e seu detalhamento intrincado, não é nenhuma surpresa que Chunhui levou quatro anos para terminá-la. A obra apresenta edifícios, árvores, montanhas, rios, barcos, pontes, nuvens e até mesmo 550 pessoas esculpidas à mão.

8. Escada em espiral feita a partir de uma única árvore

O Castelo de Lednice e seu extenso jardim estão entre as áreas mais bonitas da República Tcheca.

O seu interior não perde para o exterior deslumbrante, no entanto, com tetos originais, mobiliário de madeira histórica e uma impressionante escada em espiral feita sem usar um único prego. Ela liga a biblioteca a um quarto imponente.

7. A maior estátua de Buda de madeira do mundo

O Templo Lama, em Pequim, abriga a maior estátua de Buda esculpida a partir de um único tronco de árvore no mundo. A estátua de Maitreya, de 18 metros de altura, fica no salão principal e foi criada à mão durante o reinado do imperador Qianlong, da dinastia Qing.

A Revolução Cultural da década de 1960 causou danos tremendos a milhares de tesouros arquitetônicos e culturais da China. Milagrosamente, essa estátua e o templo que habita sobreviveram ao fenômeno.

6. Totens do Museu Real de Ontário

Quatro totens gigantes dos povos indígenas Nisga’a e Haida estão expostos no Museu Real de Ontário (Royal Ontario Museum, no Canadá). Esculpidos a partir de cedro vermelho, cada uma das cristas conta uma história familiar desses povos, descrevendo e comemorando suas origens, realizações e experiências.

C. M. Barbeau adquiriu os totens das tribos de British Columbia, doando ao museu no começo da década de 1920. Devido ao seu grande tamanho, as esculturas só puderem ser colocadas em exposição em 1933, após uma expansão do edifício. A maior delas tem 24,5 metros e é o exemplo mais alto conhecido de um mastro do século 19.

5. Possivelmente a maior escultura de madeira do mundo

O escultor Dengding Rui Yao criou este incrível leão de madeira usando um único tronco de árvore. O artista liderou uma equipe de 20 assistentes durante três anos para completar a obra, feita em Mianmar e transportada para sua casa permanente no Fortune Plaza Times Square, uma praça na cidade de Wuhan, na China.

O leão supostamente mede 14,5 metros de comprimento, 5 metros de altura e 4 metros de largura. Se estas medições forem verdadeiras, ela seria a mais longa escultura de madeira no mundo, título oficialmente dado a arte número 9 em nossa lista pelo Guiness.

4. 511 alicates interligados esculpidos a partir do mesmo tronco

Ernest “Mooney” Warther era apenas um menino quando conheceu um misterioso homem que lhe ensinou como esculpir um par de alicates a partir de um único pedaço de madeira, usando apenas dez cortes. Independente da veracidade dessa história, contada pelo americano, Warther rapidamente se tornou um dos mais prolíficos escultores de madeira da América.

Sua obra mais significativa, antes de ele mudar seu foco quase exclusivamente para locomotivas, é uma árvore criada a partir de 511 alicates interligados usando a mesma técnica que ele aprendeu quando criança. A peça exigiu cerca de 31.000 cortes e cada ramo pode se articular completamente como alicates funcionais até a base do tronco.

O vídeo abaixo é uma demonstração da técnica sofisticada, pelo filho de Warther, David:

3. Deus da Guerra, a maior estátua de madeira do Japão

O Santuário Kumano é o lar da maior estátua de madeira de Bishamonten, o Deus da Guerra, no Japão.

A obra foi considerada culturalmente importante na década de 1970. Com mais de 10.000 anos de idade, foi esculpida a partir de um único cipreste.

2. “Chopstick”, balanços e tenda de venda de ingressos

A empresa sueca Visiondivision criou uma obra que abriga assentos, balanços e uma cabine de venda de ingressos para o Indianapolis Museum of Art. Tudo foi esculpido a partir de uma única árvore de 30,5 metros.

O “Chopstick” foi projetado para o Virginia B. Fairbanks Art and Nature Park, em Indiana, nos EUA. Pedaços de madeira foram cortados do tronco para criar a estrutura do estande e os balanços, e até mesmo flores encontradas na árvore foram usadas como ornamentos.

1. A Grande Canoa

Com 19,2 metros de comprimento, a Grande Canoa (The Great Canoe) é um dos artefatos mais famosos do Museu de História Natural em Nova York, nos EUA.

A canoa navegável foi esculpida na década de 1870 a partir do tronco de uma árvore de cedro e apresenta elementos de design de diferentes povos nativos americanos da Costa Noroeste, nomeadamente Haida e Heiltsuk.

As orcas representadas em ambos os lados da proa foram pintadas provavelmente por Charles Edenshaw (1839-1924), um dos artistas do povo Haida mais influentes de seu tempo.

Fonte: [Oddee]

Encontrados restos pré-humanos de 7,2 milhões de anos

Segundo um novo estudo internacional, a linhagem comum dos grandes símios e humanos pode ter se dividido várias centenas de milhares de anos antes do que pensávamos.Os pesquisadores analisaram dois fósseis de Graecopithecus freybergi usando tecnologia de ponta e chegaram à conclusão de que eles pertencem a pré-humanos. Isso indica que a divisão da linhagem humana ocorreu no Mediterrâneo Oriental e não na África, como supúnhamos.

A pesquisa foi liderada por Madelaine Böhme, do Centro Senckenberg para Evolução Humana e Paleoambiente da Universidade de Tübingen (Alemanha), e Nikolai Spassov, da Academia Búlgara de Ciências (Bulgária), e também envolveu equipes da Grécia, Canadá, França e Austrália. Os resultados foram publicados em dois artigos na revista PLOS ONE.

A antiga suposição

Os chimpanzés atuais são os parentes vivos mais próximos dos seres humanos. Onde viveu o último ancestral comum entre nós e eles é uma questão central e altamente debatida na paleoantropologia.Até onde sabíamos, as linhagens divergiram cinco a sete milhões de anos atrás. Os primeiros pré-humanos teriam se desenvolvido na África.

 

De acordo com a teoria de 1994 do paleoantropólogo francês Yves Coppens, a mudança climática na África Oriental poderia ter desempenhado um papel crucial nessa separação.

O novo cenário

A nova pesquisa delineia um cenário diferente para o início da história humana. A equipe analisou dois espécimes conhecidos do hominídeo fóssil Graecopithecus freybergi: uma mandíbula inferior achada na Grécia (foto acima), e um pré-molar superior encontrado na Bulgária.Usando tomografia computadorizada, eles visualizaram as estruturas internas dos fósseis e demonstraram que as raízes dos pré-molares estão amplamente fundidas.

“Enquanto os grandes macacos têm duas ou três raízes separadas e divergentes, as raízes de Graecopithecus convergem e são parcialmente fundidas – o que é característico dos humanos modernos, dos humanos primitivos e de vários pré-humanos, incluindo Ardipithecus e Australopithecus“, disse Böhme.

A mandíbula inferior tem características adicionais de raiz dentária, sugerindo que a espécie Graecopithecus freybergi pode pertencer à linhagem pré-humana. “Ficamos surpresos com os nossos resultados, já que os pré-humanos eram conhecidos apenas na África subsaariana”, complementou Jochen Fuss, estudante de doutorado na Universidade de Tübingen que conduziu esta parte do estudo.

Um pré-molar superior encontrado na Bulgária

Onde tudo aconteceu

Além disso, Graecopithecus é várias centenas de milhares de anos mais velho do que o mais antigo potencial pré-humano da África, o Sahelanthropus do Chade.A equipe de pesquisa datou os fósseis na Grécia e Bulgária com métodos físicos e obteve uma idade quase sincronizada para ambos – 7,24 e 7,175 milhões de anos.

Isso é no início do Messiniano, uma era que termina com a dessecação completa do Mar Mediterrâneo.“Essa data nos permite mover a divisão humana-chimpanzé para a área do Mediterrâneo”, explica David Begun, paleoantropologista da Universidade de Toronto, no Canadá, e coautor do estudo.

Do Saara ao Mediterrâneo

Tal como acontece com a teoria da África Oriental, a evolução dos pré-humanos pode ter sido impulsionada por mudanças ambientais dramáticas.O deserto do Saara no norte da África se originou há mais de sete milhões de anos. A equipe concluiu isso com base em análises geológicas dos sedimentos em que os dois fósseis foram encontrados. Embora geograficamente distantes do Saara, os sedimentos de cor vermelha são muito finos e podem ser classificados como poeira de deserto. Uma análise dos isótopos de urânio, tório e chumbo em partículas de poeira individuais mostrou uma idade entre 0,6 e 3 bilhões de anos, e infere uma origem no norte da África.

Além disso, o sedimento empoeirado tem um alto teor de sais diferentes. “Estes dados documentam pela primeira vez um Saara se espalhando 7,2 milhões de anos atrás, cujas tempestades no deserto transportaram poeiras vermelhas e salgadas para a costa norte do Mar Mediterrâneo”, afirmaram os pesquisadores.Esse processo também é observável hoje. No entanto, a quantidade de poeira que chegava no passado excede em mais de dez vezes a que chega hoje no sul da Europa, comparável à situação na atual zona do Sahel na África.

Uma imagem de microscópio eletrônico de uma partícula de poeira arrastada pelo vento

Clima e vegetação

Os pesquisadores sugeriram que, contemporâneo ao desenvolvimento do Saara no norte da África, um bioma de cerrado se formou na Europa.Usando uma combinação de novas metodologias, eles estudaram fragmentos microscópicos de carvão vegetal e partículas de silicato de plantas, chamados fitolitos. Muitos dos fitótios identificados derivam de gramíneas e particularmente daquelas que usam a via metabólica da fotossíntese C4, que é comum nas pastagens e savanas tropicais atuais.

A disseminação mundial dessas gramíneas começou há oito milhões de anos no subcontinente indiano – sua presença na Europa era até então desconhecida. O registro de fitolitos fornece evidências de secas severas, e a análise de carvão vegetal indica incêndios recorrentes. Em resumo, um ambiente de savana, que se encaixa com as girafas, gazelas, antílopes e rinocerontes que foram encontrados junto com Graecopithecus.

“A formação incipiente de um deserto no norte da África mais de sete milhões de anos atrás e a disseminação de savanas no sul da Europa pode ter desempenhado um papel central na divisão das linhagens humanas e chimpanzés”, disse Böhme.

Fonte:[Phys]

Designer encontra forma especial de documentar suas viagens pelo mundo

O designer de Nova York, Nick Misani, é um apaixonado por viagens e, para celebrar suas andanças pelo mundo, ele criou um projeto bastante criativo o qual intitulou Fauxsaics. Através de mosaicos tipográficos trabalhados digitalmente, o artista colocou os pés em cada lugar que lhe deixou saudades.

Os gráficos são restritos às mesmas limitações e técnicas que determinam a composição de suas contrapartes físicas.

“Há muito tempo, eu tenho sido obcecado com letras, design de interiores e artes decorativas”, disse Misani. “Então, os mosaicos – como um cruzamento entre essas três paixões – sempre foram fascinantes para mim.”

Confira:

16788803_203191263494183_2258061957607194624_n

17266020_1294463000649345_3066340997026807808_n (1)

18094599_1870264826582032_750782604285837312_n

18251503_808001232691275_7755328700136030208_n

18444941_1007913856011617_2966767411539214336_n

* Imagens: Reprodução fonte: via

Startup cria pequenas casas com impressora 3D que resistem a qualquer capricho da natureza

Não seria maravilhoso se a tecnologia fosse capaz de criar moradias baratas, resistentes e fáceis de ser construídas? Na verdade, já existem propostas nesse sentido, que utilizam impressoras 3D para “imprimir” casas. Simples assim – mas a ideia da startup ucraniana PassivDom vai mais longe.

A empresa foi capaz de criar uma casa completamente autônoma usando uma impressora 3D. Isso significa que os ambientes estão preparados para enfrentar diversas temperaturas, inclusive o frio extremo, sem precisar de nenhum combustível. A construção é feita utilizando fibra de carbono, fibra de vidro, poliuretano e resinas. Segundo o PSFK, todos os materiais são seguros e recicláveis.

modul3

As moradias utilizam energia solar para oferecer eletricidade, aquecimento e resfriamento, garantindo seu funcionamento sem nenhuma emissão de carbono. Toda a tecnologia da casa pode ser controlada utilizando apenas um smartphone. Os criadores garantem ainda que a casa é capaz de resistir a furacões e terremotos, o que pode ser essencial em zonas de risco.

modul8

Mesmo com todos esses benefícios, a casa pode ser erguida em apenas um dia. A empresa oferece diversos modelos com opcionais incluídos. A residência autônoma completa e mobiliada apelidada de modulOne, por exemplo, sai por apenas € 59.900. Nada mal, não acham?

Espia mais desse projeto no vídeo abaixo:

modul2

modul9

modul7

modul5

modul4

Todas as fotos: Reprodução,fonte: via

Artista transforma pinturas clássicas inserindo personagens do mundo nerd

É uma realidade: a arte clássica não é para todos, apesar de não negarmos sua importância ou beleza.As pinturas abaixo podem ser mais fáceis de gostar, no entanto. Elas foram transformadas por um artista digital que atende pelo nome de Lothlenan.Lothlenan resolveu fazer um remake de algumas das peças mais intemporais das belas artes, utilizando personagens do mundo geek.

Até agora, ele criou sete obras, inspiradas em séries como Sailor Moon, Adventure Time e The Legend of Zelda, compartilhadas na plataforma Tumblr.É bastante interessante ver como pinturas centenárias assumem uma impressão tão moderna quando combinadas com elementos de anime.

Compre

Se você é um nerd de carteirinha, gostou do trabalho de Lothlenon e queria um Totoro-à-la-Monet impressionista em sua parede, saiba que ele opera uma loja online no Redbubble onde vende exemplares de suas obras.

“Mulher com Guarda-Sol”, por Claude Monet

“The Accolade”, por Edmund Leighton

“O Grito”, por Edvard Munch

“O Balanço”, por Jean-Honore Fragonard

“Retrato de Louis XIV”, por Hyacinthe Rigaud

“Auto-retrato com sua filha”, por Madame Le Brun

“Lovers On A Swing”, por Pierre Auguste

 fonte: via