‘I’m The Light’: Brasileiro faz exposição em NY com fotos em que humanos são pura luz

Gabriel Wickbold, fotógrafo brasileiro – baseado em São Paulo, possui um estilo único e bastante expressivo. Suas séries, que misturam fotografia com efeitos digitais, já estamparam revistas de moda e exposições pelo mundo inteiro, como seu mais novo trabalho, intitulado de ‘I’m the light’, que a partir da semana que vem estará nas paredes da galeria Isay Weinfeld – em Nova York.

Um trabalho que busca representar a essência da humanidade, um misto entre bem e mal, luz e sombra, traduzido em cores fortes e expressões marcantes. Uma arte que nos faz pensar em nossa própria natureza e importância frente à imensidão do universo.

É sempre bom ver um brasileiro conquistando cada vez mais espaço no fechado mundo das artes, mostrando um pouco do Brasil criativo e colorido, para o resto do mundo ver. Depois de passear por Nova York, uma das cidades mais importantes na cena artística mundial, em novembro, a série estará disponível também em São Paulo e é um programa imperdível!

Fotos: Gabriel Wickbold /fonte:via

Anúncios

Brasileiros desiludidos pedem ajuda para voltar de Portugal

Brasileiros formam a maior comunidade de estrangeiros em Portugal. Atualmente, são cerca de 85 mil pessoas vivendo no país europeu. Porém, o ápice da imigração parece estar chegando ao fim.

Apenas nos últimos cinco anos, o Programa de Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração (Árvore), órgão ligado à Organização Internacional para Migrações (OIM) e ao governo português, financiou a viagem de volta de 1.639 cidadãos brasileiros.

A dificuldade de conseguir um emprego está entre os principais motivos de arrependimento dos que vão tentar a vida no país ibérico. Isso se reflete nos números, pois apesar de formarem a maioria dos imigrantes, os brasileiros respondem por mais de 80% dos pedidos de auxílio para voltar pra casa. Em 2018, mais de 200 pessoas receberam ajuda para o retorno.

A grave crise vivida pelo Brasil, com mais de 13 milhões de desempregados, faz de Portugal a menina dos olhos. Entretanto, mesmo com a facilidade proporcionada pela língua, ser uma estrangeiro não é fácil. Um dos entraves é o visto, pois sem a autorização do governo para trabalhar, restam apenas vagas informais, que evidentemente pagam pouco.

Para atenuar as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros e claro, evitar o surgimento de uma crise em solo português, a Organização Internacional para Migrações auxilia na documentação, compra de passagem e cobertura de outros gastos da viagem de volta.

Em entrevista ao UOL, Patrícia Cunha – assistente de projeto da OIM Lisboa ressalta que é preciso se informar e sobretudo fazer um planejamento consistente antes de se mudar de país.

“A falta de informação e planejamento é a principal causa para a vulnerabilidade econômica e até psicossocial das pessoas que chegam à OIM. Muitos vêm a Portugal com passagem de volta para uma semana, mas [quando querem voltar ao Brasil] não é possível ou é muito caro reagendar”.

Foto: Unsplash/fonte:via