Com 19 obras pela cidade, Kobra é eleito personalidade do ano em NY

Boas notícias para fechar 2018, Kobra foi eleito personalidade do ano em Nova York. Nada mais justo, pois o artista paulistano possui 19 murais na cidade norte-americana. O último de sua autoria homenageia um personagem fundamental da cultura novaiorquina, Jean-Michel Basquiat.

A escolha de Eduardo Kobra foi chancelada pelo guia cultura Time Out. De acordo com a publicação, Nova York se transformou numa cidade mais viva graças ao talento do paulistano. Kobra enfeitou a Big Apple com suas cores e figuras como Michael Jackson, Madre Teresa de Calcutá e Mahatma Gandhi.

Basquiat lutando pela arte nas ruas de Nova York

Kobra, que passou cinco meses por lá em 2018, explicou a Veja SP a sensação boa do trabalho reconhecido.

Viva a arte de Kobra!

“A Time Out falou em alguns momentos sobre meu trabalho, mas não esperava fazer parte da lista. É muito gratificante, porque é uma publicação importante da área artística em Nova York”.

Ele explica ainda que possui uma conexão forte com a cidade e forma encontrada para trabalhar. “A base do meu trabalho é o respeito. Antes de chegar, eu faço uma pesquisa sobre o lugar e sobre a arte pública ali existente. Só depois vou para o muro. Pintar é a parte mais fácil”.

Niemeyer observando atento o movimento. Por Eduardo Kobra

Em São Paulo, Eduardo Kobra tem pelo menos oito paineis enfeitando a cidade cinza. Destaque para obra gigante com o rosto de Oscar Niemeyer em um prédio da Avenida Paulista.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Anúncios

Vida e arte de Basquiat vão se transformar em um musical na Broadway

Apesar de muita gente torcer o nariz para musicais, temos de admitir que eles podem ser excelentes maneiras de nos mostrar mais sobre a vida de um artista, de maneira lúdica e simples. Foi pensando nisso que o músico e premiado diretor de espetáculos musicais – John Doyle, decidiu transformar a vida de Jean-Michel Basquiat em musical da Broadway.

Resultado de imagem para Vida e arte de Basquiat vão se transformar em um musical na Broadway

A vida do artista foi rápida, intensa e marcada por altos e baixos. Hoje, 30 anos após sua morte, ela ainda é forte influência para artistas, grafiteiros ou simples mortais, como nós. Quando morreu – em 1988, de overdose, ele já era uma estrela no pulsante cenário artístico de Nova York e, hoje suas obras costumam ser adquiridas por altíssimos preços em leiloes de arte pelo mundo inteiro.

https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2018/02/basquiat2.jpg

Basquiat deixou 2 irmãs, que afirmam terem recebido diversas propostas para apresentar a vida de seu irmão nos palcos, mas somente a ideia de Dolye que as encantou: Ao longo dos anos, muitas pessoas nos abordaram sobre contar a história de nosso irmão no palco. Nosso interesse foi despertado quando entendemos que sua abordagem de contar a história de nosso irmão trata sua vida, sua arte e seu legado com respeito e paixão“, disseram ao site It’s Nice That.

https://i2.wp.com/ranieririzza.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Basquiat-imagem-livro.jpgA estreia ainda não tem data para acontecer, mas uma coisa já podemos adiantar: este provavelmente será o musical mais disputado dos últimos tempos!

https://jornalorebate.com.br/images/jean_michel_basquiat.jpg

Fotos: Reprodução/fonte:via

Conheça o Scribit, o ‘robô grafiteiro’ que faz desenhos e decora paredes

É preciso muita convicção do que se quer fazer para pintar ou desenhar uma imagem ou um texto na parede de sua casa ou de seu negócio. E, uma vez que se começa, voltar atrás é praticamente impossível.

Quer dizer… mais ou menos por aí.

Para quem não quer passar apuros, basta utilizar o Scribit, e todos esses riscos e exigências desaparecem, e o que aparece é uma incrível ilustração feita em sua parede à perfeição e, melhor, que pode ser apagada e substituída.

O aparelho é um “robô grafiteiro”, capaz de reproduzir imagens a partir de um aplicativo em praticamente qualquer superfície vertical.

O Scribit foi inventado pelo professor da MIT Carlo Ratti, e oferece uma solução tão engenhosa e eficaz que seu projeto de financiamento coletivo no Kickstarter alcançou a meta em somente duas horas.

O Scribit é a solução perfeita para, por exemplo, um restaurante que precisa anunciar os pratos do dia, para quem quer escrever frases inspiradoras, decorar o quarto com um desenho do Van Gogh – ou um original criado por você mesmo. O robô permite apagar ou atualizar o desenho quando se quiser.

Sua tecnologia opera ao mesmo tempo com até quatro cores, e basta um par de pregos presos à parede, uma tomada e uma conexão à internet para a mágica acontecer. As superfícies mais indicadas são paredes comuns e vidros, mas o Scribit em princípio imprime sobre qualquer superfície vertical, e o robô vem com 24 cores diferentes para serem utilizadas. Para apagar ele usa o calor – fazendo a tinta simplesmente evaporar.

Não só o resultado final é incrível, mas como mostram as imagens, o próprio robô realizado o desenho já é uma atração e tanto.

A Claro tem vantagens do pré ao pós-pago. Uma rede novinha, com o 4.5G até 10x mais rápido e WhatsApp e ligações Ilimitados. E ainda Passaportes Américas Europa para navegar e falar no exterior como se estivesse no Brasil. E aí, tá dentro?

© fotos: reprodução/fonte:via

Incríveis insetos 3D são o tema do trabalho deste artista de rua português

Muros e paredes vazias são excelentes espaços para que artistas mostrem seu talento e, deixem as cidades mais coloridas e interessantes, como Sergio Odeith – popularmente conhecido por Odeith, que é um grafiteiro português, mestre em fazer representações gigantes de insetos.

Nascido em Carcavelos, cidade muito próxima de Lisboa, ele começou a deixar suas marcas de grafite na cidade, em meados dos anos 1990, quando aproveitava muros vazios e trilhos de trem para arriscar-se no mundo da arte de rua.

O português, que já teve estúdio de tatuagem e morou quase uma década em Londres, já criou murais em grande escala para gigantes como Samsung, Coca-Cola e o time de futebol Benfica e, é mundialmente conhecido por suas composições em perspectiva.

Aproveitando de cantos que criam perfeitos ângulos em 90º, ele denomina sua própria arte de ‘sombra 3D’, que é uma mistura de técnica, ousadia e muita ilusão de ótica, transformando os espaços públicos em ambientes muito mais agradáveis e variados.

Fotos: Odeith /fonte:via

Grafite espacial: Esta artista cria murais de galáxias que brilham no escuro

 

“Acredito que procurar por respostas é indispensável na vida, e olhar para as coisas de jeitos diferentes pode nos ajudar a entender mais – até sobre nós mesmos. Quando penso nas pessoas fechadas em seus ambientes ou mentes, tenho vontade de anima-las do modo que puder”.

A declaração da artista húngara Bogi Fabian provoca o pensamento ao mesmo tempo em que promete algo difícil de cumprir. Mas seu trabalho deixa claro que ela é capaz de transportar as mentes de quem observa suas obras.

Bogi teve experiências com outras formas de arte, como o canto e a dança, antes de perceber que seu caminho seria a pintura. Seus retratos e lhe renderam reconhecimento na Europa, mas foi ao descobrir a luz ultravioleta e tintas que brilham no escuro que ela alcançou um novo nível.

Ela já apareceu no Hypeness em 2015, e continua evoluindo e criando trabalhos ainda mais impressionantes, cada vez mais inspirada em galáxias e universos oníricos.

“Estou tentando criar atmosferas de sonhos, pintando paredes e pisos e tentando iluminar minha arte com e sem uma fonte de energia”, escreveu. “Meu objetivo é criar espaços únicos, dando a eles identidade e alma, onde relaxar e mesmo viver sejam uma experiência”.

Bogi ressalta que se esforça para que as obra sejam interessantes com ou sem luz. Através de financiamento coletivo, ela desenvolveu uma maneira de imprimir alguns trabalhos e vende-los pela internet.

À luz do dia

No escuro

Com luz ultravioleta

Website | Instagram

Fotos: © Bogi Fabian/fonte:via

 

Grafite tipo exportação: OSGEMEOS ganham exposição especial em Hong Kong

Celebrado no mundo inteiro, o trabalho dos brasileiros Gustavo e Otavio Pandolfo, mais conhecidos como OSGEMEOS, ganhará exposição especial em Hong Kong. A dupla leva à cidade sua mais nova reunião, Déjà Vu, composta por instalações sonoras e uma série de pinturas com a inconfundível marca do grafite d’OSGEMEOS.

Transitando com fluidez das ruas para as galerias, o trabalho traz a influência do hip-hop e do grafite como parte de uma afirmação da própria força que hoje tais forças possuem no mundo da arte em todo o mundo. Como o próprio texto de apresentação da galeria diz, “a exposição paga um tributo à música em particular, com sua instalação sonora multidisciplinar White Carnival (Carnaval Branco, de 2016), na qual os artistas pintaram seus personagens diretamente sobre alto-falantes em uma formação que lembra um coral”.

Misturando trabalhos monumentais com peças delicadas e diminutas, OSGEMEOS são vistos dentro da feira como estando no auge de seus trabalhos, não só como artistas mas como embaixadores da força internacional da cultura hip-hop e do grafite – mas o trabalho não se restringe ao som. “Mais pinturas tradicionais de séries recentes foram feitas em homenagem ao fim dos anos 1970 e início dos anos 1980, período áureo do hip-hop, ligado diretamente às estruturas improvisadas e à descrição do dia-a-dia das ruas”.

A exposição Déjà Vu acontecerá na cidade entre os dias 26 de março e 12 de maio, como um dos eventos ao redor da Art Basel Week, semana de arte em Hong Kong.

 

© fotos: Sasha Bogojev/Juxtapoz /fonte:via

Novo grafite de Banksy em Nova York transforma pessoas em escravas das metas

Recentemente o artista inglês Banksy esteve em Nova York para grafitar um muro em homenagem à artista e jornalista turca Zehra Dogan, que foi presa e condenada a quase três anos de prisão em seu país por simplesmente pintar um quadro. O mural foi realizado no East Village, em Manhattan, com as devidas autorizações legais.

Como não poderia deixar de ser, Banksy aproveitou a estadia para também trabalhar em seu estilo – sem autorização nem anúncio, grafitando um local inesperado, deixando sua marca e desaparecendo em seu célebre anonimato. Um novo grafite em Nova York já foi confirmado como sendo de Banksy, em sua conta no Instagram.

O grafite já confirmado foi feito em Coney Island, e traz um empresário – um tanto similar à silhueta de Donald Trump – “chicoteando” a população com uma daquelas setas indicadoras dos movimentos nas bolsas de valores, como que expulsando as pessoas em nome do mercado. Banksy postou uma foto do trabalho em sua conta no Instagram.

Já há um outro trabalho, porém, bastante ao estilo do artista inglês, que ainda não teve sua autoria confirmada, mostrando um homem carregando dinheiro, com a legenda: “Você saqueia, nós registramos”.

Antes disso, ainda nesse ano, o primeiro Banksy comprovado feito em Nova York mostra um rato dentro de um relógio, correndo como se estivesse em uma daquelas rodas de exercício em uma gaiola.

Esse trabalho, no entanto, já foi removido pelos donos do prédio.

Um dos mais importantes artistas da atualidade, Banksy ainda mantém sua identidade verdadeira desconhecida. Muito se especula sobre quem estaria por trás dos grafites em estêncil, e até o vocalista da banda Massive Attack, Robert Del Naja, tornou-se um dos maiores suspeitos.

 

© fotos: Banksy/Divulgação/fonte:via