Estas podem ser as imagens de cachorros mais antigas de que se tem notícia

Resultado de imagem para Maria Guagnin

A amizade entre humanos e cachorros é tão antiga que os pesquisadores acreditam que as duas espécies convivem desde o período Neolítico.

Recentemente, no entanto, foram encontradas o que podem ser as imagens mais antigas de nossos amigos peludos.

Resultado de imagem para Maria Guagnin

Tratam-se de pinturas rupestres gravadas em falésias localizadas no deserto da região norte de onde hoje se encontra a Arábia Saudita. Os painéis foram documentados pela arqueóloga Maria Guagnin, do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana na Alemanha, em conjunto com a Comissão Saudita de Turismo e Patrimônio Nacional. A descoberta foi publicada em março deste ano pelo Journal of Anthropological Archaeology.

Ao todo, foram documentados 1.400 painéis, com 6.618 representações de animais. Em alguns dos registros, os cães aparecem presos por uma espécie de coleira ligada à cintura dos humanos. De acordo com os pesquisadores, as imagens retratam os cachorros como companheiros de caça.

Resultado de imagem para Maria Guagnin

As estimativas dizem que as pinturas podem ter surgido entre o sexto e nono milênio antes da nossa era. Entretanto, as evidências de data das figuras ainda não são conclusivas. Se confirmado, estas podem ser as imagens mais antigas de cães já encontradas. Já pensou?

Resultado de imagem para Maria Guagnin

  imagens Maria Guagnin /fonte:via

Anúncios

Crânio de Luzia, fóssil mais antigo das Américas, é localizado em escombros do Museu Nacional

O estilo se transforma ao longo das épocas, e o hipster de ontem pode se transformar no careta de amanhã e voltar a ser estiloso no futuro. Muitas das marcas mais características do que hoje entendemos como algo moderno e interessante foram determinadas e disseminadas por artistas do passado – e se artistas são estilosos quase que por definição, como seriam, por exemplo, alguns dos ícones da pintura se vivessem hoje? Ou mais: como seriam se fossem os hipsters de agora? Foi essa a pergunta que o ilustrador israelense Amit Shimoni se fez, e que ele próprio respondeu através de seus desenhos.

Salvador Dali com um coque masculino e coberto de tatuagens, Van Gogh de AirPod, barba feita e camisa estampada com seu próprio trabalho, Frida Kahlo de piercing e trança e Andy Warhol… bem, Andy Warhol já era um tanto hipster em vida, e sua mudança é a menos perceptível. As incríveis ilustrações, além de serem bem-humoradas, traçam também os sinais dos tempos sobre alguns dos rostos mais famosos – e estilosos – da história.

© arte: Amit Shimoni/fonte:via

15 coisas que tinham um nome totalmente diferente e você nem imaginava

Ter grandes ideias capazes de impactar o mundo não é nada fácil. Mas há um passo quase tão difícil quanto esse: escolher um nome para sua criação. Muita gente já passou por isso, e um nome ruim pode arruinar todo o potencial de uma grande ideia.

O site Bored Panda compilou algumas empresas, bandas, filmes e séries de TV que, por muito pouco, não colocaram o futuro sucesso em risco por causa de nomes esdrúxulos. Esses são nossos favoritos:

1 – The Big Bang Theory – Lenny, Penny, And Kenny

A mudança no título de uma das séries de comédia mais bem sucedidas dos últimos tempos também teve um impacto secundário importante: Você consegue imaginar Sheldon Cooper se chamando Kenny?

2 – Friends – Six of One

O nome original de Friends era Six of One, expressão que indica que coisas diferentes são praticamente iguais – e também um jogo de palavras com os 6 personagens principais da série. Ainda bem que mudaram…

3 – Back to the Future – Spaceman From Pluto

Por que De Volta Para o Futuro poderia se chamar O Astronauta de Plutão? Bem, apenas porque Sid Sheinberg, presidente do estúdio responsável pelo filme, dizia que nenhum longa com ‘futuro’ no nome já havia feito sucesso.

A saída para o problema foi enviar um memorando para Sid dizendo que todos haviam achado sua sugestão muito engraçada. Ele jamais admitiria que estava falando sério, e Marty McFly acabou mesmo voltando para o futuro.

4 – Hannah Montana – Alexis Texas

Dizem que a personagem que tornou Miley Cyrus mundialmente conhecida se chamaria originalmente Alexis Texas. Os produtores não tiveram outra opção se não mudar depois de descobrirem que havia uma famosa atriz pornô com o mesmo nome…

5 – Mickey Mouse – Mortimer

Dizem que a mais famosa criação de Walt Disney só mudou de nome porque Lillian Bounds, a esposa do desenhista, odiava o nome Mortimer, formal demais para o personagem. Em inglês, porém, o personagem Ranulfo, rival de Mickey que tenta roubar Minnie do protagonista, se chama Mortimer.

6 – Bob Esponja Calça Quadrada – SpongeBoy

Bob Esponja (ou Spongebob) quase se chamou Spongeboy (ou Garoto Esponja). Para nossa sorte, o criador do personagem, Stephen Hillenbur, teve que mudar o nome porque uma empresa de esfregões tinha registrado o nome Spongeboy para um de seus produtos. O sobrenome Calça Quadrada (no original “Squarepants”) só surgiria depois da mudança.

7 – Limp Bizkit – Blood Fart

Fred Durst, vocalista do Limp Bizkit, revelou no Reddit que, quando a banda estava em busca de um nome, eles cogitaram se batizar Blood Fart, literalmente “peido de sangue”. “Nós não levávamos isso muito a sério, já que naquela época nem considerávamos que poderíamos fazer sucesso”, justificou.

8 – Sony – Tokyo Tsushin Kogyo

Em 1958, aquela que viria a se tornar uma das maiores empresas de tecnologia do mundo ainda operava basicamente no Japão, com o nome Tokyo Tsushin Kogyo. Certamente a mudança fez bem para os planos de internacionalizar a marca.

9 – Buzz Lightyear – Lunar Larry

Duas mudanças de última hora mudaram totalmente o destino de Toy Story: Buzz Lightyear jamais seria tão carismático se continuasse se chamando Lunar Larry, e a parceria dele com Woody não aconteceria se o personagem do cowboy não tivesse mudado de um idiota para o herói que conquistou a simpatia de todo o mundo.

10 – Firefox – Firebird

O navegador que enfrentou a hegemonia do Internet Explorer num passado já distante e anterior ao Google Chrome quase se chamou Firebird. A mudança de nome foi causada por uma outra companhia que já havia registrado a marca.

11 – O Rei Leão – O Rei da Selva

Esse clássico só não se chamou King of the Jungle (O Rei da Selva) porque… a história se passa em uma savana, e não em uma selva. A opção seguinte foi King of the Beasts (O Rei das Feras), mas os produtores decidiram simplificar e focar no reinado de Simba.

12 – Nintendo – Marufuku Company

A história da Nintendo começou em 1889, com a fabricação de cards em Kyoto, no Japão. Só na década de 1950 a empresa mudou de nome para Nintendo, uma estratégia que ajudou a levar os produtos para todo o mundo – imagine comprar um videogame chamado Super Marukufu…

13 – Queen – Smile

Além de toda a genialidade artística que Freddie Mercury deu ao Queen, ele também salvou a banda de ter um dos nomes mais bregas da música: Smile, ou Sorriso. Segundo o cantor, a ideia surgiu do conceito de fazer parte de uma banda majestosa, assim como a Rainha (Queen).

14 – eBay – AuctionWeb

O maior site de compras e vendas do mundo se chamava AuctionWeb (algo como “Leilão na Rede”) e fazia parte do grupo eBay Internet até 1997. A mudança foi quase natural: como público e mídia chamavam o AuctionWeb de eBay, foi mais fácil simplificar e ficar com o nome mais famoso.

15 – Algodão Doce – Seda de Fada

Você sabia que o algodão doce existe há mais de 600 anos? Mas, naquela época, ele era feito de um jeito muito mais difícil e caro. Só no começo do século 20 ele voltou à moda, e foi rebatizado para Cotton Candy (Algodão Doce), em vez do original Fairy Floss (Seda de Fada)

Fotos: Reprodução/fonte:via

Ela pintou 12 gatos no estilo de 12 artistas consagrados e o resultado é adorável

Apaixonados por gatos também irão se apaixonar pelo estilo da ilustradora Veselka Velinova. Ela se desafiou a desenhar 12 gatos copiando 12 conhecidos estilos artísticos.

Eu criei esta série de gatos porque sou fascinada pela variedade de estilos encontrados na história da arte. Tentei recriar ideais artísticos, estilo, bem como abordagens técnicas de cada um dos períodos artísticos“, descreveu ela em um texto para o site Bored Panda.

Será que você consegue adivinhar qual a inspiração por trás de cada uma destas ilustrações maravilhosas?

Imagens: Veselka Velinova fonte:via

Programaram um robô capaz de desenhar melhor que muitos artistas

Robôs são ótimos para muitas coisas, mas será que eles podem se transformar também em bons artistas?

Se depender apenas de suas habilidades em desenho, a resposta é sim.

Basta olhar as criações de Karel, um robô programado para aprender a desenhar a partir de fotografias. Durante nove meses, ela já foi ensinada a reproduzir imagens com diferentes estilos de traço.

Karel é uma criação do LinesLab, um estúdio experimental criado por Sergej Stoppel, que explora arte algorítimica e robótica.

E, embora ela já possa desenhar melhor do que muitos artistas, dificilmente conseguirá recriar aquilo que faz da arte algo tão especial: a criatividade de seus criadores.

Espia só algumas das obras de Karel!

Gostou do que viu? Você pode adquirir um dos desenhos de Karel clicando aqui.

Fotos: reprodução/fonte:via

Conheça o Scribit, o ‘robô grafiteiro’ que faz desenhos e decora paredes

É preciso muita convicção do que se quer fazer para pintar ou desenhar uma imagem ou um texto na parede de sua casa ou de seu negócio. E, uma vez que se começa, voltar atrás é praticamente impossível.

Quer dizer… mais ou menos por aí.

Para quem não quer passar apuros, basta utilizar o Scribit, e todos esses riscos e exigências desaparecem, e o que aparece é uma incrível ilustração feita em sua parede à perfeição e, melhor, que pode ser apagada e substituída.

O aparelho é um “robô grafiteiro”, capaz de reproduzir imagens a partir de um aplicativo em praticamente qualquer superfície vertical.

O Scribit foi inventado pelo professor da MIT Carlo Ratti, e oferece uma solução tão engenhosa e eficaz que seu projeto de financiamento coletivo no Kickstarter alcançou a meta em somente duas horas.

O Scribit é a solução perfeita para, por exemplo, um restaurante que precisa anunciar os pratos do dia, para quem quer escrever frases inspiradoras, decorar o quarto com um desenho do Van Gogh – ou um original criado por você mesmo. O robô permite apagar ou atualizar o desenho quando se quiser.

Sua tecnologia opera ao mesmo tempo com até quatro cores, e basta um par de pregos presos à parede, uma tomada e uma conexão à internet para a mágica acontecer. As superfícies mais indicadas são paredes comuns e vidros, mas o Scribit em princípio imprime sobre qualquer superfície vertical, e o robô vem com 24 cores diferentes para serem utilizadas. Para apagar ele usa o calor – fazendo a tinta simplesmente evaporar.

Não só o resultado final é incrível, mas como mostram as imagens, o próprio robô realizado o desenho já é uma atração e tanto.

A Claro tem vantagens do pré ao pós-pago. Uma rede novinha, com o 4.5G até 10x mais rápido e WhatsApp e ligações Ilimitados. E ainda Passaportes Américas Europa para navegar e falar no exterior como se estivesse no Brasil. E aí, tá dentro?

© fotos: reprodução/fonte:via

Professor primário ilustra seu dia a dia em quadrinhos sarcásticos e divertidos

Trabalhar como professor primário é, na mesma medida, uma das mais nobres profissões e uma árdua tarefa em qualquer lugar do mundo – tanto no Brasil quanto, por exemplo, na Irlanda. As histórias escritas e desenhadas pelo professor Colm Cuffe, do condado irlandês de Galway, são a prova disso. Com diferenças contextuais mas semelhanças essenciais com realidades de qualquer professor, Colm alivia as tensões do trabalho desenhando quadrinhos sobre as curiosidades e situações cômicas de seu ofício.

A relação com os alunos, as histórias reincidentes, as tensões e graças familiares entre professores, alunos e familiares são a matéria prima de suas histórias, publicadas no Facebook e no Instagram. Como mesmo quem não é professor já foi aluno em algum momento, trata-se de uma história para todos – se divertirem, se reconhecerem, refletirem e se divertirem.

© arte: Colm Cuffe/fonte:via