Elefantes podem ter, em breve, mesmo fim que mamutes: extinção

Construção de novas estradas que se embrenham na floresta, destruição do habitat, ganância pelo marfim: essas são alguns dos motivos que podem ocasionar um infeliz desfecho para os elefantes.

O destino dos elefantes-da-floresta, que vivem na África, está em nossas mãos. A ação humana pode manter esses animais em nosso planeta ou levá-los à extinção, como aconteceu como os mamutes-lanosos, que tiveram seu habitat destruído e foram caçados em troca de seu marfim.

 

Até cerca de 15 mil anos atrás, mamutes, mastodontes e uma série de outros mamíferos, ancestrais dos elefante, estavam espalhados por todo o globo. No final do Pleistoceno havia milhões deles no mundo, inclusive em improváveis lugares como no norte da Europa e na América do Norte.

A mudança de clima e o habitat desses animais também foi alterado: o local em que costumavam viver foi invadido por outros tipos de vegetação, como a tundra. Se já estava difícil sobreviver nesta situação, a caça humana pode ter acelerado ainda mais a extinção de mamíferos como os mamutes. E ao que parece, a história pode estar se repetindo, desta vez com os nossos conhecidos elefantes.

Os elefantes contemporâneos vivem em três áreas: a Ásia, o cerrado africano e as florestas da África Central. O elefante-da-floresta, em especial, aparece cada vez de maneira mais diminuta, na África e sofre um grave risco de desaparecer e ser lembrado apenas em fotos ou documentários.

Até certo ponto, os elefantes africanos escaparam do “holocausto do marfim” durante os tempos coloniais, entre as décadas de 1970 e 1980, porque estavam escondidos na obscura floresta da Bacia do Congo. Mas este habitat está desaparecendo junto com os grandes mamíferos. Com a extração de recursos naturais da região, os animais se tornam alvos fáceis para os caçadores – sendo mortos em um ritmo alarmante.

Outro problema é a construção de estradas, que vão direto ao coração da floresta. Elas não só fragmentam o habitat como também facilitam o acesso de caçadores ilegais.

O vislumbramento de dinheiro fácil, atrelado ao crime organizado e a agitação civil em alguns países africanos aumentam o comércio ilegal de marfim. A crescente classe média da Ásia é um grande mercado deste produto. Na África Central, produtos de marfim são vendidos abertamente em lojas.

Assim como esses gigantes precisam da floresta, a floresta precisa dos elefantes. Elefantes-da-floresta são importantes fertilizadores, depositando grande quantidade de material orgânico na terra na forma de esterco.

Com a crescente perda de habitat e com a caça, pode restar pouco tempo para esses fantásticos animais na Terra. Existem parques nacionais e programas para a preservação das espécies de elefantes, mas elas não são tão rápidas quanto à devastação que o ser humano está causando. Será que eles vão conseguir superar a ganância humana?

Anúncios

Porquinho é ‘candidato’ a prefeito em cidade dos EUA.

Candidatura de Giggles é um protesto e gera polêmica na piada.
Mas, como não é eleitor registrado, suíno não pode assumir se eleito.