Bebê nasce sem crânio e desafia as probabilidades

bebe sem parte do cranio

Jaxon Buell nasceu sem uma grande parte de seu crânio e cérebro. Os médicos disseram aos pais que seu filho não viveria mais do que poucas semanas. Mas, contra todas as probabilidades, a família comemorou em agosto seu primeiro aniversário.

Depois de muitos meses de testes e diagnósticos errados, os médicos finalmente diagnosticaram Jaxon com uma malformação cerebral grave para o qual não há cura conhecida, chamada microhidranencefalia.

A curta vida de Jaxon não foi sem luta. Em um post publicado em setembro no Facebook, o pai do bebê, Brandon Buell, explicou a decisão do casal para continuar com a gravidez mesmo depois de saberem por meio de um ultrassom, na 17ª semana de gestação, que o filho deles tinha algo errado.

Na publicação, ele conta que receberam duas opções: arcar com as consequências de um problema não definido na época ou fazer um aborto. Nenhum médico pode lhes dizer exatamente o que estava errado ou o que esperar. Então, a preocupação do casal foi garantir que Jaxon não estivesse sofrendo ou com dor – ou se a gestação teria mais riscos para Brittany, mãe do bebê.

bebe sem parte do cranio2

Quando eles receberam o “não” para ambas as respostas, o casal imediatamente descartou a possibilidade de fazer um aborto.Se tivesse havido qualquer sofrimento no útero ou algum perigo envolvido (com exceção de Jaxon possivelmente não ser capaz de viver fora do útero por conta de problemas de má formação), eles teriam tomado uma decisão diferente.

Apesar da microhidranencefalia e da pouca expectativa de vida que os médicos deram ao bebê, Jaxon acaba de completar 1 ano de idade.

Dificuldades da microhidranencefalia

Jaxon não pode comer por conta própria e sua alimentação se baseia em um tubo de nutrição. Contudo, segundo seu pai, esta é uma das únicas diferenças entre ele e as demais crianças. De muitas maneiras, é um bebê normal: chora, vai ao banheiro, quer que sua fralda suja seja trocada e, cá entre nós, tem um rostinho lindo.

bebe sem parte do cranio3

A longo prazo

Os pais sabem que Jaxon vai precisar de um milagre para viver por mais anos, mas não perdem as esperanças. Ele tem o brilho nos olhos que todas as crianças têm, é alerta e reconhece muitas coisas. Esperamos que os médicos consigam respostas e desenvolvam um tratamento. [cnn

 

 
 
Anúncios

A bizarra competição de quem come mais pimenta em que os participantes ficam dentro de tinas de gelo



Pimenta na própria boca pode ser refresco – se você estiver participando do bizarro concurso ocorrido na cidade de Hangzhou, na China, semana passada, por exemplo. A disputa consistiu em uma competição simples, ainda que nada fácil: quem comer mais pimentas em menos tempo ganha. O detalhe foi que os competidores tinham que degustar a violenta iguaria imersos dentro de um balde de água congelante.

Pimenta6 

Para dificultar ainda mais a competição, a temperatura na cidade alcançava os 40 graus quando a competição começou (o que ao menos trouxe algum sentido para o enorme balde de gelo). Segundo relatos, o calor intenso, somado à quentura das pimentas, em contraste com o frio da água em que estavam imersos fez diversos competidores mal suportarem começar a comer. Suor intenso, dores de cabeça e mal-estar foram alguns dos sintomas. Tudo isso por uma barra de ouro de 24 quilates, oferecida ao vencedor.

Pimenta14 

Pimenta13 

Pimenta12 

Pimenta11 

Pimenta10 

Pimenta9 

Pimenta8 

Pimenta7 

Pimenta5 

Pimenta3 

Pimenta4 

Pimenta1 

E o feito do campeão é realmente impressionante, para o bem e para o mal: 62 pimentas ingeridas em 3 minutos. Como terá sido a digestão de tanta pimenta é a pergunta que não quer calar.

O campeão

O campeão

© fotos: divulgação/ImagineChina/REX/Shutterstock

Artista brasileira decide colorir fotos históricas e o resultado e inacreditável

Colocar cor em uma imagem é também uma maneira de traze-la à vida. O trabalho da artista mineira Marina Amaral é, de certa forma, esse: fazer com que fotos antigas em preto e branco ganhem vida no mundo de hoje. Autodidata do Photoshop, Marina somou a esse talento gráfico inato o seu interesse por história para fazer de seu incrível trabalho de colorir fotos antigas uma profissão.

marina4

O resultado impressiona, e parece realmente trazer para hoje a imagem de um passado até então perpetuamente cinza – como se aquilo que parecia uma fantasia de outra época se tornasse enfim, e novamente, real. Diante da enorme demanda por seu trabalho, Marina largou a faculdade de Relações Públicas para se dedicar ao ofício de colorir.

marina11

marina23

O trabalho de Marina já alcançou milhares seguidores em suas redes sociais, e chamou a atenção do canal britânico Channel 5, através do historiador e apresentador Daniel Jones, que convidou Marina para um trabalho conjunto. A razão pela qual a quase totalidade de suas imagens ser estrangeira é pela qualidade disponível e por estarem em domínio público, mas Marina garante que adoraria colorir também a história do Brasil.

marina14

marina13

De acordo com a reportagem da BCC, Marina já publicou na revista americana Wired e no jornal ingles Daily Mail e, para Jones, as fotos de Marina “são a maneira perfeita de fazer as pessoas se interessarem por história na internet”, porque “nos fazem ter empatia pelo que é retratado de uma forma que a foto em preto e branco não permite em um mundo saturado de cores como o nosso”.

marina12

marina24

marina22

marina21

marina18

marina17

marina9

marina19

marina7

marina8

marina1

marina10

marina20

marina16

marina15

marina6

marina5

marina3

marina2

© fotos: domínio público/Marina Amaral

Leia a entrevista com Marina Amaral na BBC.

Movimento inspirador na internet tenta salvar Pizza, o “urso polar mais triste do mundo”

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14448949_1777903462486074_788085020249662981_n.jpg?oh=51bad336b09636912c85e3bbf2cd580d&oe=587F4CDC

Centenas de pessoas param para tirar fotos com Pizza, um urso polar que vive em uma pequena jaula no aquário instalado dentro de um shopping em Guangzhou, na China. A alegria dos visitantes contrasta com a tristeza do animal, que vem sendo apelidado como o “urso polar mais triste do mundo”.

640x364

O local, chamado Grandview Aquarium, abriga outras espécies, que, segundo a Animals Asia, uma ONG em defesa dos animais, também sofrem com os cativeiros, mas nenhum como Pizza.

Ursos polares precisam de espaço para andar, correr, nadar, escalar e caçar. Segundo biólogos, “a lista de coisas que eles precisam é tão longa que você pode resumir assim: eles precisam mesmo viver em liberdade”. O caso lembra o do urso Arturo, que morreu em julho após anos de tristeza num zoológico argentino, e que era até então o triste do dono do epíteto que agora dão a Pizza.

https-%2f%2fblueprint-api-production-s3-amazonaws-com%2fuploads%2fcard%2fimage%2f216322%2fpizza1

Há alguns meses a ONG criou uma petição online para pedir a liberdade do animal, que já foi assinada mais de 500 mil vezes. Apesar de o aquário entrar em contato com os especialistas para procurar fornecer melhores condições de vida ao bichos – depois de ver sua reputação ser manchada graças à internet -, os administradores do lugar não parecem dispostos a abrir mão de Pizza.

980x

Um parque inglês de 90 acres, o equivalente a cerca de 364 mil metros quadrados, dedicado a conservar a vida selvagem, se dispôs a acolher Pizza, mas os responsáveis pelo Grandview Aquarium não demonstraram interesse. Enquanto isso, o urso segue a rotina confinado num pequeno espaço e servindo de atração aos visitantes do shopping.

Assine a petição e ajude a terminar com essa situação absolutamente intolerável.

https-%2f%2fblueprint-api-production-s3-amazonaws-com%2fuploads%2fcard%2fimage%2f216384%2fpizza3

Todas as imagens © Animals Asia

Jacaré-do-pantanal parece sorrir ao ser clicado com coroa de borboletas

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14370326_1777902675819486_251560876301105329_n.jpg?oh=88930d5200d85d73b0918c82b15f15f5&oe=5879BDA4

Um Caiman yacare, ou jacaré-do-pantanal, foi flagrado com uma “coroa” de borboletas coloridas. O animal aparece descansando na margem de um rio, com mais de dez borboletas de diferentes espécies pousadas em sua cabeça. Quem fez o registro foi Mark Cowan, pesquisador da Universidade de Michigan (EUA), em visita à América do Sul.

Este acontecimento não é único, já que borboletas e outros insetos como abelhas bebem a lágrima dos répteis em busca de sais. Belas imagens com borboletas e tartarugas também já foram registradas no Equador.

https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/tartarga-e-borboleta-838x740.jpg

O que tornou a imagem especial é o posicionamento dos insetos e o olhar lateral do jacaré, que parece exibir um sorrisinho satisfeito. A imagem recebeu destaque na competição Royal Society Publishing 2016.

https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/jacare-close-up-838x838.jpg

 

[Colossal]