Pôster reúne e categoriza TODAS as pinturas a óleo já criadas por Van Gogh em um gráfico

Ao longo dos 37 turbulentos anos de sua vida, apesar das idas e vindas de sua delicada saúde mental, o pintor holandês Vincent Van Gogh criou prolificamente, produzindo das duas mil obras de arte e se tornando (lamentavelmente somente após tirar a própria vida) um dos mais importantes artistas em todos os tempos. Dentre flores, campos, mulheres, homens e autorretratos, quase 900 destas obras foram suas incríveis pinturas a óleo – que agora podem ser admiradas todas reunidas em um só quadro: uma gráfico completo, como uma tabela organizando por categorias, temas e universos, ligando-os entre caraterísticas comuns, tais pinturas.

Intitulado “Taxonomia Visual de Van Gogh”, o quadro divide a obra entre categorias como “natureza morta”, ‘paisagens”, “flores”, “cenários sociais”, “campos e jardins” e outras subcategorias.

A empreitada para realizar o pôster é da empresa Curious Charts, ou “tabelas curiosas” que, como nome diz, cria incríveis pôsteres com tabelas cobrindo os temas mais diversos.

Dentre os muitos desafios de realizar a tabela com as pinturas do pós-impressionista holandês, a maior questão era mesmo o tamanho para abrigar a imensa quantidade de obras.

O pôster, de cerca de 60 cm por 90 cm, traz não só todas as pinturas a óleo que Van Gogh realizou, como o nome e o ano em que foram pintadas – além das “famílias”, categorias e subcategorias que definem e ligam cada trabalho e entre si.

A incrível “Taxonomia Visual de Van Gogh” está sendo financiada por crowdfunding, através de uma campanha no Kickstarter, que já superou com folga sua meta e ainda vai até dia 14 de junho.

https://www.kickstarter.com/projects/1457045090/the-complete-paintings-of-van-gogh-poster/widget/video.html

© fotos: divulgação/fonte:via

Anúncios

Como um site de genealogia ajudou a solucionar um duplo assassinato ocorrido em 1987

A viagem que a jovem Tanya Van Cuylenborg, de 18 anos, faria com seu namorado, Jay Cook, de 20 anos, do Canadá até Seattle, nos EUA, deveria durar poucos dias. Quando os dois não voltaram para casa, rapidamente foram dados como desaparecidos. O corpo de Tanya foi encontrado seis dias depois, com sinais de abuso sexual e um tiro na cabeça. No dia seguinte o corpo de Cook foi também encontrado sem vida, com ferimentos e sinais de estrangulamento. Os dois crimes aconteceram em 1987, e permaneciam sem solução até poucos dias atrás, quando o assassino foi finalmente detido – e a resolução do caso se deu através de um banco de dados genealógicos de um site.

À época do crime, a polícia conseguiu levantar rastros de DNA do carro que o casal assassinado dirigia, mas não conseguiu chegar até um suspeito que se encaixasse na amostra de DNA registrada. Em abril passado, a polícia local enviou o material genético para um laboratório, que pode traçar a aparência aproximada do dono do DNA – e chegar a um retrato-falado do assassino em questão. Depois disso, os dados genéticos foram enviados para um site público que justamente conecta material genético com possíveis parentes.

Assim, através do site e do trabalho de outro genealogista, a polícia chegou até dois parentes do assassino, e assim resolveu o dilema que já durava três décadas: o dono do DNA é William Earl Talbott, um caminhoneiro de 55 anos da cidade de SeaTac, nos arredores de Seattle, estado de Washington, nos EUA.

A comprovação foi conseguida através do material de Talbott coletado de um copo utilizado e descartado – o DNA era compatível com o mesmo encontrado no carro ligado ao crime. Assim, na semana passada, após mais de 30 anos de um horrível crime e através de avanços tecnológicos e científicos, o assassino – que jamais havia sido sequer considerado suspeito – foi enfim detido.

© fotos: divulgação/fonte:via