Série fotográfica desafia sua percepção das cores usando infravermelho

O diretor do estúdio de criação FIELD, Markus Wendt, viajou até as Ilhas Canário para fazer ao mundo uma pergunta: Será as cores uma propriedade ou uma sensação? São parte do objeto ou do espectador? Para se aproximar de tal tema, ao mesmo tempo objetivo e filosófico, que tanto pode nos inspirar questionamentos, ele decidiu realizar um experimento, fotografando a flora das Ilhas através de lentes com máxima aproximação. Depois, ele digitalmente transformou-as em imagens em infravermelho – e o resultado é tão psicodélico quanto científico.

Até o grande físico inglês Sir Isaac Newton, em seu aprofundado estudo sobre as cores, afirmou que a tonalidade das coisas nada mais é do que uma força e disposição a alcançar certa sensação dessa ou daquela cor. Assim, a partir dessa inspiração, Wendt se perguntou como seriam as plantas se estivéssemos em um plano com um sol de outra cor – e foi então que nasceu a ideia de transformar a flora canária em uma natureza abstrata, surreal e quase alienígena.

O desejo, por fim, é o de convidar os espectadores a reconsiderarem o que veem com seus próprios olhos como verdade – e perceberem que uma mínima mudança na tonalidade de uma cor é capaz de fazer o mundo ao nosso redor enlouquecer.

© fotos: Markus Wendt/fonte:via

Anúncios

Café constrói um bairro inteiro para pessoas em situação de rua

Um café na Escócia tomou para si o conceito de responsabilidade social e está transformando a vida da comunidade local. Além de empregar pessoas sem-teto, o Social Bite criou um sistema de distribuição gratuita de comida e agora vai construir uma vila com 11 casas para acomodar pelo menos 20 pessoas em situação de rua.

Em atividade desde 2012, a rede possui cinco representações na Escócia e 1 a cada 5 funcionários é sem-teto. A ideia de utilizar a marca como aceleradora de desenvolvimento nasce a partir da percepção de Josh Littlejohn de que esta parcela da população é ignorada pelo governo.

“Se seguirmos chamando a atenção de lideranças políticas para este assunto podemos resolver este problema”, declarou ao site da Reuters Littlejohn.

Apenas em 2017 a rede distribuiu 100 mil pratos de comida e atualmente assiste cerca de 300 mil pessoas por semana. A atuação do Social Bite faz parte de uma crescente onda de empreendimentos com cunho social, que ao mesmo tempo em que dão dignidade para um setor marginalizado, geram lucros para a economia do país britânico.

Atualmente cerca de 11 mil pessoas não têm onde morar na Escócia, número que vem subindo desde 2015. Para a contenção dos avanços o governo injetou mais de 50 milhões de libras destinadas para a criação de políticas sociais, entre elas o incentivo ao surgimento de empreendimentos sociais.

Foto: Reprodução/Twitter/fonte:via